Agro Olhar

Quarta-feira, 26 de julho de 2017

Notícias / Economia

FGTS de contas inativas deve “ajudar” comércio enquanto reformas não são aprovadas, diz CDL-Cuiabá

Da Redação - Viviane Petroli

13 Mar 2017 - 10:39

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

FGTS de contas inativas deve “ajudar” comércio enquanto reformas não são aprovadas, diz CDL-Cuiabá
Os R$ 728 milhões em Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de contas inativas a serem pagos em Mato Grosso devem ajudar o comércio a chegar ao segundo semestre de 2017 com um pouco mais de “tranquilidade”. A avaliação é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL-Cuiabá), Nelson Soares. Segundo a entidade representante dos comerciantes, somente as reformas que tramitam no Congresso, como a Tributária, da Previdência e Fiscal, é que ditarão o crescimento do setor.
 
O pagamento de FGTS de contas inativas para nascidos em janeiro e fevereiro teve início na sexta-feira, 10 de março. As agências da Caixa Econômica Federal até terça-feira, 14, irão abrir 2 horas mais cedo.

Leia mais:
Caixa inicia pagamento de R$ 728 mi em FGTS de contas inativas em MT e abre 2h mais cedo; saiba como sacar
 
A expectativa é que em torno de R$ 30 bilhões venham a ser sacados e injetados na economia do país, sendo aproximadamente R$ 728 milhões provenientes de Mato Grosso.
 
Na sexta-feira, 10, em todo o país 3,3 milhões de pessoas receberam R$ 3,8 bilhões do FGTS. Para Mato Grosso ainda não há uma estimativa de quanto foi sacado até o momento, conforme repassado pela assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal a reportagem do Agro Olhar.
 
De acordo com o presidente da CDL-Cuiabá, Nelson Soares, a liberação do FGTS de contas inativas para o comércio é uma “medida boa”. Ele afirma que a decisão do Governo Federal em liberar o recurso “vai ajudar o comércio a chegar ao segundo semestre com mais tranquilidade, porém quem ditará o crescimento de fato do setor são as reformas que tramitam no Congresso, como a tributária, fiscal e previdência”.
 
O presidente da CDL-Cuiabá pontua que “se as reformas não forem aprovadas não se terá um ambiente para investimentos”.
 
Desde o dia 10 de março, nascidos em janeiro e fevereiro podem sacar o benefício do FGTS com saldo em uma conta inativa. O saque é valido para aqueles com conta inativa até 31 de dezembro de 2015. Os saques poderão ser realizados até o dia 31 de julho.
 
A Caixa Econômica destaca que no caso daqueles que nasceram em março, abril e maio o saque será a partir do dia 10 de abril. No caso dos nascidos em junho, julho e agosto o saque estará liberado a partir de 12 de maio. Para os nascidos em setembro, outubro e novembro a Caixa Econômica irá liberar o saque do FGTS de contas inativas no dia 16 de junho. Enquanto, os nascidos em dezembro sacam a partir de 14 de julho.
 
O cronograma de saques de FGTS proveniente de contas inativas foi divulgado no dia 14 de fevereiro pelo presidente Michel Temer e pela Caixa Econômica. São mais de R$ 43 bilhões parados e calcula-se que desse total em torno R$ 30 bilhões venham a ser sacados e injetados na economia do país.
 
Em Mato Grosso, mais de 715 mil trabalhadores possuem o direito de resgatar o benefício, o que deverá colocar em circulação mais de R$ 728 milhões.
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Justo
    13 Mar 2017 às 15:22

    Como a maioria dos cidadãos brasileiros é assalariado, não passa de jun mil reais, ai lhe pergunto se da para o cara fazer alguma coisa, esse governo continua a mesma mesmice da Dilma, até agora não mostrou para que veio.

  • Luis
    13 Mar 2017 às 12:41

    O governo está atendendo interesses do mercado financeiro. O cidadão vai sacar o FGTS, vai pagar contas, e amanhã ou depois voltará a se endividar, pois a necessidade de consumo continuará e o governo não tem uma politica de geração de empregos.

Sitevip Internet