Agro Olhar

Quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Notícias / Agronegócio

"Ninguém será poupado, quem tiver que ser punido, será", diz ministro Blairo Maggi sobre operação Carne Fraca

Da Redação - Viviane Petroli

19 Mar 2017 - 16:52

Foto: Reprodução/Facebook

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou neste domingo, 19 de março, que "Ninguém será poupado, quem tiver que ser punido, será". Junto com o presidente Michel Temer, o ministro esteve reunido na tarde de hoje com representantes das indústrias de carne, proteína animal e com a Confederação Nacional da Agricultura.
 
Preocupado com o "estrago" que a operação "Carne Fraca" pode causar às exportações brasileiras, o presidente Michel Temer deu início a uma série de reuniões neste domingo no Palácio do Planalto.

Leia mais:
Mapa não concorda com forma como informações foram divulgadas, mas apoia investigação da PF, diz Novacki
 
Temer e Maggi estiveram reunidos no começo da tarde com representantes da Associação Brasileira das Indústrias de Carne (ABIEC), da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e da Confederação Nacional da Agricultura (CNA).
 
Em publicação na sua página do Facebook, o ministro Blairo Maggi declarou que ficou decidido que as três plantas frigoríficas envolvidas na operação "Carne Fraca" permanecerão interditadas, bem como os 33 fiscais agropecuários, que estão sob investigação, continuarão afastados de suas funções.


 
Após a reunião com representantes da ABIEC, ABPA e CNA, Maggi e Temer deram início a um encontro com aproximadamente 40 embaixadores de países importadores de carne. De acordo com informações da Folha de S.Paulo, o governo federal pretende enviar ainda neste domingo um comunicado aos países importadores de carne brasileira atestando a qualidade do que é produzido no país. O comunicado deverá ainda relatar as medidas adotadas pelo Ministério da Agricultura, após a deflagração da operação da Polícia Federal na última sexta-feira, 17.
 
Ainda em sua página na rede social, o ministro Blairo Maggi, ressaltou o envio de  três funcionários da Consultoria Jurídica para Curitiba (PR). O intuito do Ministério da Agricultura é ter acesso ao processo de 350 páginas, a fim de obter os laudos periciais dos produtos.
 
"Estamos preocupados com a segurança alimentar do consumidor. E, também com a imagem do Brasil lá fora a respeito da qualidade da nossa carne", destacou Maggi no Facebook. O ministro completou ainda ao salientar que "O nosso Sistema de Inspeção Federal é um dos mais eficientes e rigorosos do mundo. Somos um país exportador de carnes. Os países que compram nossos produtos também fazem inspeção. No Ministério, são mais de 2.300 servidores que fiscalizam mais de 4.800 unidades produtoras habilitadas para a exportação para 160 países. Foi com esse serviço que conquistamos mercados".

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aderbal Siqueira
    19 Mar 2017 às 17:34

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet