Agro Olhar

Sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Notícias / Economia

FCO tem R$ 86,6 milhões aprovados em projetos que devem gerar 1.615 empregos em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

17 Abr 2017 - 08:02

Foto: Sedec-MT

FCO tem R$ 86,6 milhões aprovados em projetos que devem gerar 1.615 empregos em Mato Grosso
Trinta e quatro cartas consultas para financiamentos de projetos junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) Empresarial foram aprovados na última semana, resultando um volume de R$ 86,6 milhões a serem investidos e 1.615 empregos a serem gerados. A maioria dos projetos é voltado para pequenas e médias empresas.
 
A aprovação das cartas consultas para financiamentos de projetos junto ao FCO Empresarial, através do Banco do Brasil e do Sicredi, foi realizada pelo Conselho de Desenvolvimento Empresarial (Cedem) na última quinta-feira, 13 de abril, durante reunião.

Leia mais:
Reunião confirma que Mato Grosso terá R$ 2,9 bilhões para financiamento de projetos via FCO
 
Dos 1.615 empregos a serem gerados pelos projetos aprovados pelo Conselho 481 são postos de trabalho diretos e 1.134 indiretos.
 
A maioria das cartas consultas é para empresas de pequeno e médio porte com atuação em diversas áreas como educação, saúde, transporte de cargas, assistência técnica rural, comércio atacadista e varejista.
 
Conforme informações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), o financiamento deverá ser aplicado na aquisição de máquinas e equipamentos, veículos, móveis, utensílios e construção civil.
 
A Sedec observa que a dispensa da exigência de carta consulta na linha do FCO Empresarial para financiamento de capital de giro dissociado às micros e pequenas empresas, assim como o financiamento de capital de giro dissociado às médias e grandes empresas no FCO Empresarial, permanecem válida para 2017.
 
Enquadramento e suspensões
 
Ainda segundo a Sedec, o Cedem aprovou o pedido de enquadramento de quatro empresas Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic). Além disso, uma empresa teve o pedido de inclusão de produtos e revisão de percentual aprovados, enquanto outra empresa teve pedido de manutenção parcial do benefício também aprovado.
 
Além dos enquadramentos no Prodeic, o Cedem aprovou ainda 14 suspensões de empresas no programa, sendo que duas delas haviam sido solicitadas pelas empresas.
 
O Conselho ainda aprovou o enquadramento de uma empresa no Programa Pró-Leite, de acordo com a Lei nº 7.608/2001 e Decreto nº 897/2017, para concessão de benefício fiscal. O Pró-Leite visa promover e estimular a indústria do leite dentro dos mais altos padrões de sustentabilidade social, ambiental e econômica, em conformidade com as crescentes demandas da sociedade em geral e dos consumidores nacionais e internacionais, oferecendo incentivos fiscais àquelas indústrias e, também, as de máquinas, equipamentos, instalações, embalagens e insumos voltadas ao agronegócio do leite, instaladas em Mato Grosso.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • José Antonio
    18 Abr 2017 às 09:43

    Para completar a notícia e dar maior transparência ao fato, seria de bom alvitre publicar a relação das empresas a serem beneficiadas e seus sócios.

Sitevip Internet