Agro Olhar

Terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Notícias / Pecuária

Carne Fraca, corrupção e boicote: pecuária enfrenta instabilidade e fecha 2017 com arroba em recuperação

Da Redação - André Garcia Santana

03 Jan 2018 - 10:57

Foto: Reprodução/Internet

Carne Fraca, corrupção e boicote: pecuária enfrenta instabilidade e fecha 2017 com arroba  em recuperação
Operações policiais, denúncias de corrupção, questionamentos sobre a sanidade do rebanho e boicote comercial. Mesmo diante do cenário de instabilidade a pecuária de corte encerrou o ano mais forte e com preço da arroba em recuperação. Ao longo de 2017, a variação no valor da arroba chegou a 17% entre o mais baixo, R$ 114,14, e o mais alto, R$ 133,40, registrados em Mato Grosso. No último janeiro, a perspectiva era de um mercado consistente, com alta nas exportações, recuperação da economia brasileira e estabilidade no rebanho.

Leia mais:
Governo federal prorroga prazo para inscrição no CAR; produtor regularizado em Mato Grosso tem até junho

As expectativas caíram por terra em março, com a primeira queda de preço decorrente da Operação Carne Fraca. O trabalho de investigação da Polícia Federal (PF) apontava a corrupção no sistema de inspeção sanitária nos frigoríficos e colocou em xeque a qualidade da carne. A arroba do boi gordo caiu de R$ 125,47para R$ 118,75 entre fevereiro e março. Em maio, com a delação de empresários do setor frigorífico envolvendo políticos brasileiros, os preços voltaram a cair novamente e atingiram R$ 114.

Neste período, algumas plantas frigoríficas paralisaram as atividades e os pagamentos à vista do boi foram suspensos. O diretor-executivo da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari, lembra que desde a redução da alíquota do Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) até a discussão sobre o sistema sanitário brasileiro no Congressos Nacional, a entidade atuou para garantir mercado ao produtor, buscando políticas para fortalecer o setor e retomar a credibilidade da carne mato-grossense.

"Por muitas vezes ao longo de 2017, o pecuarista teve a renda ameaçada e ficou refém de problemas políticos envolvendo agentes públicos. O mais importante de todos os acontecimentos, é que se voltou a discutir a importância de um mercado livre, diversificado e competitivo. Há anos a Acrimat fala sobre os prejuízos da concentração no setor para o produtor e este ano sentimos a consequência", analisa Vacari.

Mesmo em meio as oscilações no mercado, o Brasil conseguiu garantir importantes mercados internacionais e Mato Grosso superou, ainda em novembro, as exportações de carne bovina de 2016. O mercado internacional da carne mato-grossense movimentou US$ 1,05 bilhão de janeiro a novembro de 2017, sendo que de janeiro a dezembro de 2016 foram US$ 888,45 milhões. O volume também aumentou na comparação dos dois períodos, passando de 211,60 mil toneladas em todo o ano anterior, para 242 mil toneladas até novembro deste ano.
 
"As exportações foram fundamentais para o mercado da carne. Mesmo responsável por somente 20% da produção mato-grossense, a exportação agrega valor e remunera melhor", afirma Luciano Vacari.

Perspectiva 2018

Alguns acontecimentos agendados para o próximo ano poderão influenciar positivamente o mercado da carne. Copa do Mundo e eleições tendem a movimentar a economia local e aumentar a demanda por proteína vermelha. Estimativa do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) também aponta crescimento nas exportações em decorrência de maior demanda por parte da China, Hong Kong e Irã.

"Há perspectiva de crescimento no mercado interno e internacional. Caberá ao produtor se planejar para atender a demanda e saber utilizar ferramentas para mensurar os custos e os investimentos a serem feitos", analisa Luciano Vacari.

Preço da Arroba

Dezembro – R$ 131,17

Novembro - R$ 128,33

Outubro - R$ 130,45

Setembro - R$ 127,78

Julho - R$ 114,86

Junho - R$ 118,60

Maio - R$ 114,65

Abril - R$ 124,67

Março - R$ 118,75

Fevereiro -  R$ 125,47

Janeiro – R$ 121,76

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet