Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Notícias / Agronegócio

Programa de modernização do Ministério da Agricultura registra mil entregas

Da Redação - Lucas Bólico

08 Set 2018 - 10:00

Foto: Assessoria

Programa de modernização do Ministério da Agricultura registra mil entregas
Representantes de mais de 100 entidades do agronegócio reuniram-se ao longo do mês agosto na sede do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) com o objetivo de avaliar as medidas adotadas pelo programa de modernização e desburocratização, Agro +, lançado há dois anos pelo ministério.

As reuniões de trabalho foram coordenadas pelo secretário executivo do Mapa, Eumar Novacki, responsável pelo programa. Ele disse que nos últimos dois anos foram realizadas mais de mil entregas ao setor e que a meta até o final do ano é que esse número chegue a 1,5 mil. Novacki, no entanto, disse que, para isso, precisa continuar recebendo demandas das associações. “Esse programa só é possível graças à sinergia entre o ministério e o setor”, observou.

Leia também:
Mapa firma parceria com setor privado para desenvolver fruticultura nos próximos 20 anos

Os representantes das entidades foram ouvidos sobre as mudanças ocorridas no setor, a partir da implantação do programa de modernização e desburocratização. O diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), Paulo Petroni, disse que a mudança de comportamento e a atitude de liderança do Mapa está gerando bons resultados. “Somos um mercado que vice do lançamento de novos produtos e por isso que a desburocratização dos registros desses produtos está sendo fundamental para nós”. O setor tem cerca de 700 empresas produtoras de cerveja e produz 14 bilhões de litros da bebida por ano. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de cerveja.

A diretora executiva da Associação das Empresas na Biotecnologia e na Agricultura e Agroindústria (AgroBio Brasil), Eliane Kay, enfatizou que o País tem de estimular a pesquisa para o desenvolvimento de uma melhor genética e biotecnologia para as sementes do Brasil, e elogiou a iniciativa do Mapa. “O Agro + é benéfico para o setor. Seus processos auxiliam no aumento da eficiência com qualidade e melhora na renda”.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos), Marcelo Martins, o principal ponto do programa de desburocratização foi a mudança no Riispoa (Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal), ocorrido em 2017, que modernizou a legislação em vigor. Ele disse ainda que espera mudanças em mais oito novos regulamentos, que devem ser publicados até o final deste ano.

A dirigente da Associação Brasileira de Criação de Suínos (ABCS), Ana Paula Vidal, enfatizou alguns avanços alcançados nos últimos dois anos. “Conseguimos desburocratizar processos em sanidade animal o que impulsionou a exportação de genética suína e em 60 dias devemos ver destravadas novas vendas para a América Latina”.

Já o vice-presidente da Associação Nacional de Ovinos (Arco|), Armando Vieira Filho, lembrou que o setor ainda é pequeno, são apenas 25 milhões de ovinos e caprinos no país, que é importador dessas carnes, mas tem grande capacidade de crescimento e que o Mapa, por meio do programa de modernização e desburocratização pode ajudar nesta tarefa.

Entidades pedem mais desburocratização

O diretor de Relações Institucionais do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani, lembrou que muito já foi realizado pelo Agro + desde seu início e que existem novas demandas dos produtores. “Decretos específicos da uva e do vinho foram alterados melhorando as condições para o setor e temos outras demandas que estão no Mapa”.

Na opinião do presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Pescado (Abipesca), Eduardo Novo, os setores têm enfrentado muitas dificuldades com os bloqueios europeus ao pescado brasileiro, mas disse que as demandas do setor estão encaminhadas e tendem a ser resolvidas pelo Mapa.

O presidente da Associação Nacional dos Confinadores (Assocon), Bruno Andrade, destacou que o setor quer exportar carne de alta qualidade. “Apesentamos, junto com outras entidades, protocolo ao Mapa para agilizar a discussão sobre a produção e venda de carne de alta qualidade “.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet