Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias / Economia

Em missão oficial, Maggi visita China e busca diversificar exportações

Da Redação - Thaís Fávaro

06 Nov 2018 - 17:41

Foto: Assessoria

Em missão oficial,  Maggi visita China e busca diversificar exportações
Em missão comercial a China, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, visitou, no último final de semana, a sede da Sany Group, em Changsha, na região de Xangai. A visita faz parte da extensa agenda que o ministro cumpre no país que é o maior parceiro comercial do Brasil. O objetivo é aumentar ainda mais e diversificar as exportações brasileiras com o país asiático. O ministro destacou que a área em que a empresa Sany atua terá um novo impulso no Brasil, pois o Governo acaba de tirar o imposto de importação sobre máquinas.

Leia mais
Blairo Maggi lamenta fusão de ministério em governo Bolsonaro e prevê prejuízos ao agro
 
De janeiro a setembro deste ano, o Brasil vendeu para a China um total de US$ 47,2 bilhões em produtos, principalmente soja, petróleo e minério de ferro. Esse volume comercializado representa 26,3% do total das exportações brasileiras para o exterior. A China tem 1,3 bilhão de consumidores e um amplo um mercado ainda a ser explorado. A Sany é, atualmente, a maior fabricante de máquinas para concreto do mundo, com foco principal na área de máquinas de construção, especificamente bombas de concreto em grande escala, incluindo escavadeiras, guindastes e turbinas eólicas. 
 
Aos representantes da Sany, que é a maior fábrica de máquinas pesadas da China e terceira do mundo, Blairo falou sobre a potencialidade agrícola de Mato Grosso, que hoje produz 60 milhões de toneladas de grãos. Maggi enfocou que, mesmo produzindo muito, o Estado tem preservado suas florestas e habitat natural, em torno de 65% do território mato-grossense está preservado, com agricultura ocupando uma área de 9% e a pecuária aproximadamente 20%. 
 
O ministro destacou também que a área em que a empresa atua terá um novo impulso no Brasil ainda este ano, mas especialmente, a partir de 2019, pois o Governo Brasileiro acaba de tirar o imposto de importação sobre máquinas com valores até dois milhões de dólares. Antes o imposto era de 17% e agora a importação deste tipo de máquina, especialmente retroescavadeiras, será isenta de impostos. 
 
"Outra boa notícia para o setor é que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, divulgou que vai facilitar o licenciamento e as regras para o setor da mineração, que exige equipamentos pesados. O Brasil ainda é um país pequeno na área de mineração, mas que tem um potencial muito grande", apontou o ministro. 
 
Maggi lembrou que com a nova isenção de imposto, este setor deve aquecer ainda mais no Brasil e, principalmente em Mato Grosso, que é o maior produtor de grãos do país. Durante a visita à Sany, Maggi estava acompanhado da vice-presidente da Extra Máquinas, Talissa Briante, representante da marca em Mato Grosso e sul do Pará.
 
Na segunda-feira (5), Blairo Maggi participou da abertura da Feira China International Import Expo e visitará pavilhões e estandes brasileiros.  Essa é uma das poucas feiras do planeta em que o foco é a importação. As empresas estarão na disputa por uma fatia dos US$ 10 trilhões que os chineses estão dispostos a gastar, nos próximos cinco anos, na compra de produtos industriais e agropecuários. Integram a delegação brasileira empresas de economia criativa, setor no qual o Brasil já é reconhecido em especial pelo design, pela criatividade e pela inovação. Também serão destaque os setores de editoração, games, música e futebol. 
 
Maggi também terá encontros os ministros chineses da Administração Geral da Aduana (GACC), Ni Yuefeng, e da Agricultura, Han Changfu, junto com demais ministros do Conselho Agropecuário do Sul (CAS). Nesta terça-feira (6) o ministro esteve em evento organizado pelo Mapa e pela Apex, o Asia Investor Road Show Agribusiness (Airsa), com a presença de especialistas em biotecnologia, representantes do governo chinês e empresários.
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gilmar
    06 Nov 2018 às 18:29

    Aproveita Blairo Maggi, por que o Bolsonaro tá querendo azedar esse negócio asiático.

Sitevip Internet