Agro Olhar

Sábado, 25 de novembro de 2017

Notícias / Indústria

Produção industrial em Mato Grosso cai 1,1% em 2016, aponta IBGE

Da Redação - Viviane Petroli

11 Jan 2017 - 15:54

Foto: Rafaella Zanol - Gcom/MT

Produção industrial em Mato Grosso cai 1,1% em 2016, aponta IBGE
A produção industrial em Mato Grosso recuou 1,1% no período de janeiro a novembro de 2016 ao se comparar com igual período o ano passado. O resultado negativo, aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), reverte a expansão de 8,9% verificada no primeiro semestre de 2016 em relação a 2015 em igual período.

A taxa nos últimos 12 meses foi 0,1% menor. Já no comparativo de novembro de 2016 com o mês em 2015 houve acréscimo de 0,3%.

Leia mais:
Parceria entre Fiagril e multinacional dos EUA gera US$ 450 mi em investimentos em usina de etanol

Dentre os 14 Estados avaliados o Espírito Santo foi o que apresentou o maior percentual negativo de 20,3% na produção industrial, seguido do Amazonas de 11,7% e de Pernambuco de 10,8%. No Brasil o decréscimo verificado no período de janeiro a novembro foi de 7,1% frente a 2015.

Segundo O IBGE, a principal contribuição para o saldo negativo de 1,1% na produção industrial no Estado no acumulado de 2016 é proveniente da atividade de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis com 52,3%, pressionada pela menor fabricação de álcool etílico. Os produtos de madeira apresentaram decréscimo de 3,3% e de produtos não-metálicos de 5,2%.

Ao contrário de tais segmentos, a indústria alimentícia apresentou alta de 6,8% na produção, impulsionada pela maior fabricação de carnes de bovinos congeladas, frescas ou refrigeradas e rações.

Novembro

De acordo com o IBGE, a expansão em 0,3% no mês de novembro teve a influência positiva da indústria de alimentos com 9,7%, do setor de produtos químicos com 32,2% e de produtos de minerais não metálicos com 16,2%.

Apesar de tais resultados, novembro teve impacto negativo de 65,9% no setor de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, pressionado, principalmente, pela menor produção de álcool etílico, além de 11,4% vindo de produtos de madeira.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet