Opinião / Artigos

20/09/2012 - 12:45

Até dezembro

Autor: Gabriel Novis Neves

Nos últimos anos Mato Grosso tem cadeira cativa no anedotário nacional e com excelentes inserções no livro dos recordes.

O momento máximo dessa nossa conquista aconteceu no governo anterior, quando chegamos a receber, inclusive, troféus internacionais.

A gente deste Estado não se esquece do Troféu Moto-Serra de Ouro.

Lendo o site Olhar Direto, me deparo com esta preciosidade e, não resisti, encaminhei-a ao livro dos recordes.

Diz o jornal eletrônico: “Silval promete quitar repasses da Saúde até final deste ano”.

Para quem não está ligando a notícia ao que acontece com a Saúde em Mato Grosso, vou tentar explicar.

O governo do Estado, simplesmente, deixou de repassar os recursos da Saúde para os municípios mato-grossenses.

Isso ocasionou o maior apagão social da história deste Estado. Hospitais deixaram de internar pacientes ou foram forçados a fechar suas portas.

Os hospitais Regionais de Sorriso e Colider, administrados pelas Organizações Sociais (OS), estão sem internar pacientes já faz algum tempo.

O Pronto Socorro de Cuiabá, cujo prefeito não está ‘alinhado’, funciona em precária situação, e espera receber do Estado, R$ 6.4 milhões de reais.

Em Várzea-Grande, o prefeito atual é candidato à reeleição, mas não está ‘alinhado’. O Estado ainda não fez o repasse dos recursos de julho e, para agravar mais a situação, os médicos estão em greve.

O quadro dos pacientes do hospital é tão doloroso que a Comissão de Direitos Humanos deveria dar uma passadinha por lá.

Tanto o Conselho Regional de Medicina, como o Sindicato dos Médicos, já denunciaram esse estado de calamidade pública ao governo do Estado e ao Ministério Público, sem nenhum sucesso que favorecesse aos pacientes.

O Ministério Público encontra dificuldades para conseguir liberar medicamentos na falida Farmácia de Alto Custo, pois suas prateleiras estão vazias.

A nossa Santa Casa está impedida de receber novos pacientes na sua UTI por falta de repasses financeiros do Estado.

Este é o terrível quadro dos nossos pacientes. E é uma fiel radiografia do descaso dos governantes para com a Saúde dos pobres em todo o nosso território.

O governo já privatizou os Hospitais Regionais, e os resultados foram os piores possíveis. Agora, na lista para privatizações estão: o Hemocentro, o Centro de Reabilitação Dom Aquino Correa e o SAMU (Serviço de Assistência Médica de Urgência).

Diante desse verdadeiro tsumani na Saúde Pública de Mato Grosso, o governador se manifestou e disse que esse problema de repasse é antigo – “desde antes de Blairo”.

Louvável a fidelidade ao governo anterior que, em quase oito anos, não conseguiu quebrar esse paradigma de calote às instituições que cuidam da saúde do nosso povo.

Mas, não cabe aqui apontar culpados, isto pode ser analisado depois. Cabe aqui, tão somente, alertar aos senhores do poder, que esses pacientes não suportarão esperar até dezembro para resolver seus problemas de saúde.

Muitos morrerão nas filas de espera para internação ou na espera de um medicamento de uso contínuo.

Não seria o caso, já que as obras da Copa estão atrasadas, deixar de pagar uma medição para esses gigantes consórcios que ganharam as concorrências bilionárias para a construção da Arena Pantanal e do VLT e, com esse dinheiro, pagar o que deve à nossa combalida Saúde Pública?

Esperar até dezembro para atender aos nossos doentes é crime hediondo.


Nenhum comentário

comentar
Sitevip Internet