Olhar Direto

Terça-feira, 14 de agosto de 2018

Opinião

Luzes e vida

Autor: Graci Ourives de Miranda

30 Dez 2017 - 12:00

Neste dezembro de 2017, muitos sonhos perpassam no nosso cotidiano. Uns têm a intenção de obter uma vida melhor para seus familiares. Estes jovens investem incansavelmente em educação, noites e feriados dedicando-se à ciência. Tudo com pretensões de concorrer à uma vaga para um trabalho moral e ético.

Será? muitos servidores públicos estão em cargo de confiança e não adentraram pela porta de brilhante?

Os discentes frequentam as bibliotecas, algumas precárias. Conforme o romano efilósofo:  Marco Túlio Cícero “Se tiveres uma biblioteca com jardim terás tudo”. (106/43aC.).
 
E, Castro Alves diz: “Livros ...à mão-cheia e manda o povo pensar.” (1847-1871). Os jovens têm crido que irão passar nos concursos. Assim dedicam-se à pesquisa como prioridade das prioridades. Contudo à realidade de muitas instituições são frágeis? detecta-se quantos cargos são utilizados por servidores de ‘confiança’. Quantas competências aguardando concursos. Jovens que seu único partido é: moral-ética.
 
Deus! Gestores, vamos gerar oportunidades para estes jovens adentrar-se pela ‘porta de brilhante ‘e assim todos iguais perante à Lei, igualdade e fraternidade. Cultura é vida, o cidadão com grau de escolaridade é luzes. Os Poderes e sociedade podem se unir parapropiciar: Luzes e vida a todos cidadãos. Acreditamos nasLeis, na justiça de Deus e dos homens.
 
Os jovens cientistas frequentadores de bibliotecas, não balançaram bandeiras de candidatos nas avenidas, nem sequer fizeram parte de comitê de campanha. Que exista concurso por favor.
 
Convidamos o leitor a refletir em quem nós iremos votar e confiar.
 
Administrar o Estado e municípios necessitam de cidadãos que saibam lidar com valores dos impostos, e que tenham também passado cristalino.  Daí então teremos: concursos, bibliotecas de qualidade e o Morro da luz repleto de cidadãos saudáveis e lendo belos livros. Assim transportando-os para o mundo da paz, sensatez e equilíbrio.
 
Recorro às sábias palavras do ex ministro do Supremo Tribunal Federal – STF, Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto, (28/12/2017-JN- jurista/magistrado/poeta)pontuou sobre o patrimônio, diz: “(...)esse povo ladrão não tem consciência, e somente pensa duas vezes antes de perpetrar o crime quando pode tomar prejuízo financeiro. Têm que tratar esse pessoal às rédeas curtas, esse pessoal que assalta o erário.”  OMinistro ao tratar sobre ‘indulto de natal’.  Então, vamos VOTAR com seriedade para obtermos Luzes.
 
 
Graci Ourives de Miranda – professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/DEMEC/SP-SP.  Especialização História Social-UFMT. Curso -USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos-UFMT.04 Livros publicados, sendo 1- obra científica.
Sitevip Internet