Olhar Conceito

Sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Colunas

HUJM necessita: dos Três Poderes e dos empresários

Autor: Graci Ourives de Miranda

10 Ago 2017 - 15:08

 A proposição deste artigo é para demostrar a importância da sobrevivência de um relevante hospital escola: Hospital Universitário Júlio Müller-HUJM, localizado na rua Luiz Felipe, no coração de Cuiabá. Neste local que cotidianamente os heróis médicos e servidores salvam vidas da população carente. Isto de todo o Estado.  É prioridade das maiores prioridades TODOS lançarem seus olhares para o HUJM. Os respeitáveis e éticos trabalhadores médicos, pacientes e servidores, estão solicitando para a sociedade, Três poderes e empresários o resgate da dignidade do ambiente hospitalar. Leitor, convidamos a refletir sobre as imagens, e discursos dos experientes médicos e servidores. Nós nos deparamos com as lindas imagens dos pomposos poderes, tal como: Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, palácio do governo etc., quanta pompa e regalia, tanto interna quanto externa, e, o acabamento das entradas dos grandes corredores, são admiráveis. Enquanto o povo doente e que necessita de ambiente adequado e totalmente higienizado. Estão assim (imagem) em que a foto grita: Pelo amor de DEUS. Nós votamos e queremos que cumpram a Constituição: BEM-ESTAR.

No Hospital encontramos profissionais renomados, mais o Estado e algumas autoridades ignoram até o endereço, local em que o povo vai pedir socorro e pelo amor de Deus: “faça em encaixe” A Constituição garante tratamento de saúde, com tudo algum poder ignoram. Então vamos refletir nos discursos destes profissionais comprometidos com a Constituição.  O humanismo impera no interior do hospital, enquilhando os que usam indumentários e belos discursos ou falácias mantem distante do povo. E a distância entre as políticas públicas e os pacientes e médicos elevam a cada dia. Quem aproxima do povo são os médicos. Alguns políticos instalaram-se no poder e foi-se o povo para o pelo amor de Deus me ajude”.  Os depoentes vivem a realidade e sofrimento do povo esquecido pelas autoridades.

Médico/Professor, Eduardo De Lamonica Freire, ex-reitor da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT, ex-superintendentes do HUJM, atualmente professor do hospital.
Um pensamento cotidiano e postura nobre do ex-Reitor, “não deixo de cumprir o que prometo. ” Assim pontua dr. De Lamonica Freire (05/08/2017).

 “ (...)do Povo, para o Povo e pelo Povo e em seu nome (e sob sua Vontade...) será exercido". Assim os idealistas da Democracia lapidaram a concepção mais atual de Liberdade Humana. Na prática isto acontece? Acontece em nosso estado de Mato Grosso? No nosso Brasil??
Vejamos: entre a construção de palácios, "arenas", casas de espetáculos e a oferta de leitos e de ambulatórios para mitigar, com dignidade, o sofrimento causado pela doença que o atingiu (ou à sua família) o que o Povo escolheria?
O que o que os escolhidos pelo mesmo Povo tem feito?
Na contramão da poesia libertária escrita pelo ideal democrático, uma vez escolhidos, esses escolhidos travestem-se de monarcas absolutistas e, tal qual, vai "governar" com o seu povo...
Para estes, convivência em palácios modernosos, ajardinados, chiques.
Para o Povo, Hospitais Públicos decadentes, indignos, filas, mau atendimento...
Com o apoio da mídia e de cuiabanos, que assim se declaram, tornaram a Avenida do CPA um agressivo deserto. Dizem que ceifaram mais de 3 mil árvores ali e nas adjacências. Tudo para passar um modernoso "cavalo de ferro" que, não resolvendo a vontade popular da solução do transporte de massa, por alguns bilhões de reais deverá transportar, sem amassos e bem climatizados nossos "enternados" (sic) burocratas. A custo subsidiado(...)
E a saúde... Bom ela fica por conta de "caravanas da saúde" midiáticas e sem rumo. Sem planos e sem projetos.  Substituindo, numa rotina frenética, secretários sem apoio, despreparados. Descompromissados.
 Recentemente participei, com muita satisfação, da gestão do extraordinário Hospital Universitário Júlio Muller, 100% Público. Foram 3 anos de muita luta. De "pires-na-mão", buscamos apoio das autoridades de todos os poderes, em todos os níveis do estado (governador, secretários, prefeitos, deputados estaduais e federais, senadores, autoridades judiciárias). Visitamos palácios e jardins(...) com exceção do Prefeito Mauro Mendes, que com sua equipe da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos e do Senador Wellington Fagundes, que nos apoiou o resto, eleito ou delegado para construir a vontade popular, nada fez. Um até prejudicou.

DOIS DELES, QUE INCLUSIVE QUEREM "GOVERNAR" ESTE ESTADO, NÃO SABEM ONDE FICA O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MULLER!
Há 44 anos me dedico à Saúde e à Educação Pública neste Estado, neste querido Brasil.
Vou continuar lutando e me sinto no direito, por todas as oportunidades que o Povo Brasileiro me ofereceu (inclusive o financiamento de estudos, em todos os níveis, em Escola Pública) de começar a conclamar a todos a lutar contra o silêncio ensurdecedor que está contaminando a Sociedade Brasileira. ”
Depoimento do Doutor Francisco Souto, Professor da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT, da faculdade de medicina, do Hospital Júlio Müller-HUJM-MT, ex diretor do Hospital Júlio Müller e foi vice-reitor-UFMT, para Graci O.de Miranda 04/08/2017.
 

 “O Hospital HUJM têm feito historicamente um papel muito importante no SUS de Mato Grosso –MT, atendendo exclusivamente pacientes do: Sistema Único de Saúde-SUS, pacientes principalmente de baixa renda, e, têm lutado para conseguir sobreviver nesse tempo todo, e, em especial pelas já conhecidas dificuldades, principalmente relacionadas à um déficit de financiamento dos hospitais públicos, isso é notório, e dificuldades em relação a organização e gestão. É, além de tudo é um hospital especial, e mais, por conta disso mais dispendencioso, mais caro para a instituição Universidade Federal de Mato Grosso- UFMT, porque os hospitais universitários, eles gastam mais. Então têm sido uma dificuldade no meu período que fiquei a frente no HUJM, senti isso na pele, e uma coisa que agente ressente é o fato de que, outras instituições outros poderes, e mesmo a sociedade civil, de um modo geral não se volta muito para o auxílio para o apoio ao hospital Júlio Müller, entendendo que ele é uma instituição federal, e que, portanto, têm financiamento pleno vindo do governo. É, infelizmente isso não é verdade , porquê todos os hospitais que trabalham com o SUS, eles se submetem ao mesmo sistema, que é o sistema de remuneração de pagamento contra produção, ou seja o hospital ganha pelo que ele produz de atendimento, e essa produção, a gente sabe ela  acaba sempre gerando valores deficitários,   porque as tabelas de pagamento de remuneração do SUS , elas são muito inferiores aos valores de mercado, então assim como hospitais como: a Santa Casa, o hospital do Câncer que sempre fazem campanhas, sensibilizando a população  para que ela colabore com essas instituições, o Júlio Müller sofre do mesmo problema, com um agravante, as pessoas , a comunidade  os poderes constituídos não enxergam essa dificuldade que a Santa Casa têm,  o hospital do Câncer  têm , mas que o HUJM têm mais ainda, pelo fato dele só trabalhar com o SUS, esses outros hospitais ainda têm outras fontes de remuneração, elas atendem pacientes particulares, elas atendem pacientes de convênios, que de uma certa forma pode recuperar seu caixa.  O HUJM justamente por trabalhar apenas somente com pacientes do SUS, não têm essa segunda forma de financiamento, e sofre muito com a falta de recurso. É importante que a sociedade de um modo geral esteja atenta para isso, e que também colabore com a manutenção do hospital, uma vez que estamos particularmente neste momento sofrendo uma crise importante de financiamento, e de déficit no setor público e com isso as instituições voltadas para o social, são as que mais são penalizados. ” (Médico FRANCISCO SOUTO, (04/08/2017).
 
 Pontuou o Dr. Hildebrando Monteiro Fortes, conhecido por: ‘Maninho’ atual superintendente do HUJM, circulando de gabinete em gabinete parta solicitar recursos para que os pacientes do HUJM tenham mais conforto merecidamente. E em 04/08/17 20:31:38, Fortes diz “Diante de tantas adversidades o HUJM, com sua equipe de profissionais qualificados nas diversas áreas de atuação, continua executando as suas atividades no atendimento à comunidade empobrecida e necessitada do nosso Estado e de outros vizinhos, prestando um serviço de qualidade e de real valor social, além de formar e capacitar profissionais que atuarão para a melhoria da saúde da nossa população. Precisamos do apoio da sociedade organizada, dos entes públicos e privados para continuar a nossa luta com esse objetivo. Vamos adotar o HUJM!
Precisamos de vocês na mesma proporção que precisam dos nossos serviços. Vamos nos unir! ”  (FORTES, 05/08/2017)
Abaixo encontra-se o sonho dos profissionais do HUJM o projeto à ser elaborado e que solicitamos APOIO, ou seja, pelo amor de DEUS “Adotem o Júlio Müller”

Segundo Cláudio Pereira da Silva, chefe da regulação-HUJM, diz: “O Hospital Universitário Júlio Müller-HUJM, atendemos, mais de 600 pessoas, (dia) nas mais especialidades medicas de todos os municípios de Mato grosso, com os mais renomados especialistas, infelizmente o nosso Serviço não compete a estrutura física, por isso necessitamos que a nossa obra seja tomada com urgência, não é justo que à nossa população fique de baixo da chuva, pois como a obra não está acabada isso acaba acontecendo, não é justo que a população seja prejudicada, o nosso serviço tem que ser humanizado.”
  O senhor SILVA, parece nos que tem rodinha nos pés, tanto que circula no interior do HUJM, isto para ajudar o povo abandonado e esquecido dos poderes. A imagem da cadeirante feita por Thiêgo Maia de Menezes, 21.07.2017, aluno de medicina, retrata o realmente o relaxamento e pouco caso dos poderes com o eleitor sofrido e carente. Os poderes não estão cumprindo a Constituição, cadê os fiscais?
Com relação às calçadas e bem-estar do POVO. A cadeirante saindo do HUM, lamentável o fato e ato do Estado. Fazer de conta que o eleitor não existe.
 Em se tratando do apoio dos poderes a senhora Silvana, evidencia sobre logística e profissionais; (depoimento para Graci O., de Miranda)
“(...)poderes poderiam, e até deveriam (...) são vários idosos, e essas cadeiras são muito desconfortáveis, para eles passarem o dia todo aqui, tem gente que não tem como ir para casa fica aqui direto (...) são excelentes médicos as acomodações estão um pouco precárias. (...) eu gostaria que todos os Poderes olhassem mais para o Hospital Júlio Müller porque eles atendem pessoas não só de Cuiabá-MT, mais de Mato Grosso todinho, têm pessoas que vem depende daqui, e ficam aqui o dia todo, às vezes dormem até aqui na porta. Então as acomodações, a estrutura, deveriam ser bem melhores, dar uma olhada mais para o hospital, que nós precisamos, pessoas carentes estão aqui necessitando desse tratamento e não tem uma estrutura boa para eles ficarem, pessoal vem de ônibus, ficam aí na porta (...)pessoas dos municípios (...). ” Essa obra está ultrapassando a demora. (...)”. Silva (2017) Profissão, técnica em nutrição (concursada, entrou pela porta de brilhante) (Ao abordar sobre o espaço físico “precário...muito precário ” Silvana, sua mãe é Paciente do hospital).
Algumas autoridades quando sentem acometidas de imprevistos dirigem-se para os grandes centros. E o povo amanhecendo nas filas, isso sem ter certeza que vai conseguir um encaixe. Lamentável e cruel quando as autoridades brincam com vidas, como se elas fossem nada. E isto que temos presenciado. Somente os médicos e servidores se compadecem das vítimas do Estado. Alguns jornalistas também vestiram a camisa do POVO- que são atendidos no HUJM. E parabéns! Para todos profissionais que gostam do povo, este povo que não oferece viagens nem diárias mais necessitam de viver a Constituição e a bandeira verde e amarela.
 Autoridades, sociedade e empresários: Sejamos céleres para olhar o entorno. 

* Graci Ourives de Miranda, Escritora/voluntária
 

Redes Sociais

Sitevip Internet