Olhar Conceito

Sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Notícias / Comportamento

Duas semanas após inauguração, orla do Porto tem azulejos danificados e sujeira na beira do rio

Da Redação - Isabela Mercuri

04 Jan 2017 - 14:29

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Duas semanas após inauguração, orla do Porto tem azulejos danificados e sujeira na beira do rio
A nova orla do Rio Cuiabá, localizada no Bairro do Porto, foi inaugurada no último dia 22 de dezembro. Menos de duas semanas depois, uma passeada no local já mostra que a obra não está totalmente finalizada.

Azulejos quebrados, canos saindo do chão e a pintura escorrendo da ‘Vila Cuiabana’ chamam a atenção dos turistas que visitam o local. Este é o caso, por exemplo, de Nelba Andrade, 44. A baiana que mora em Colniza está visitando parentes em Cuiabá desde o dia 20 de dezembro, mas só na última terça-feira (3) foi conhecer o novo ponto turístico da capital.


Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Leia mais:
Bares da Praça da Mandioca são proibidos de colocar mesas na rua e movimento cai 70%

“Eu achei tudo muito bonito, mas quem fez, fez mal feito, não teve carinho. O piso está quebrado, a vila está mal pintada”, reclamou. Segundo a turista, outro problema grave do local é a falta de lixeiras.

O resultado pode passar despercebido para quem olha somente para a orla. No entanto, chegando mais perto da grade e olhando para baixo, é possível ver garrafas de água, embalagens de caixa de cerveja, potes de isopor e todo tipo de lixo. No último final de semana, a festa de réveillon da capital foi realizada no local, e os dejetos acabaram bem próximos ao Rio Cuiabá.

O projeto da orla e do ‘novo Porto’ foi uma das últimas obras inauguradas na gestão do ex-prefeito Mauro Mendes (PSB). A construção foi paga majoritariamente com recursos próprios do Executivo Municipal, e, segundo o ex-gestor, custou R$16 milhões.

A construção começou em 2013, e desde o início o projeto previa um calçadão com cerca de 1300 metros, pista de caminhada, áreas de contemplação do Rio Cuiabá, Mirante, academias ao ar livre e os cinco bares ou restaurantes.

Na data de inauguração, no entanto, apenas dois bares estavam funcionando: a Frutaria Marília e o Jacá Pier Bar. Outros dois ainda estão em construção e devem ser inaugurados até o mês de fevereiro.

As empresas que conseguiram abrir unidades no local compraram lotes da Prefeitura por meio de uma licitação realizada em julho de 2016. Na época, assessoria informou que o valor de lance inicial variava de R$1800 a R$2462 por lote.

Ainda naquela época, a Prefeitura informou que as empresas tinham quatro meses para terminar a construção, e 30 dias (a partir de julho) para iniciá-la. A concessão teria vigência de 20 anos, podendo ser prorrogada por mais 10 anos, e os recursos pagos mensalmente seriam destinados à Empresa Cuiabana de Limpeza Urbana (LIMPURB).

Por enquanto, além dos dois bares em funcionamento é possível encontrar ambulantes vendendo água, açaí e picolés por toda a extensão da orla. As palmeiras instaladas ali não ajudam e a falta de um local com sombra também incomoda os que passeiam no local.


Frutaria Marília (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

A nova gestão da Prefeitura, que assumiu no último domingo (1), ainda não sinalizou o que será feito com as obras. A última gestão deixou, também, sem inaugurar, o ‘Aquário Municipal’.

35 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ademir
    05 Jan 2017 às 12:26

    Quanto ao lixo a impressa tem que falar é das falta de educação de alguns da população, fui na orla no dia 01/01/17 a tarde deu vergonha de tanto lixo jogado no chão quem jogou foi a gestão da prefeitura ou o povo? Quanto aos detalhes que faltou tempo, temos que ver porque faltou tempo acredito que um dos motivos foi os embargos na obra principalmente meio ambiente que quando o porto era um verdadeiro lixo ninguém foi la resolver .

  • Daniele
    05 Jan 2017 às 11:42

    Acho que quanto ao lixo não é culpa da gestão e sim a população deve ter consciência e valorizar pelo menos o que ele quis oferecer, quem em todos esses anos se propôs a valorizar o porto? A praça do porto? Onde era praticamente "casa" dos andarilhos...Tudo bem, realmente foi uma obra anacabada, os pisos estão saindo, mas vamos tocar também quanto aos policiais, que andam nos cavalos, ai o cavalo faz "cocô " e eles deixam lá no meio da praça. Do mesmo jeito que quem andar com cachorro e se o cachorro fizer tem que limpar, nada mais justo que os policiais limparem também e previr pela limpeza do local.

  • Ricardo
    05 Jan 2017 às 10:51

    cadê a faixa de ciclovia? ainda vou atropelada um...

  • Gilston
    05 Jan 2017 às 09:42

    A dona Virgina ta reclamando que o povo ta criticando o Mauro Mendes. O povo não ta falando mal da pessoa do MM não o que nos estamos reclamando é as obras de mal feita e de baixa qualidade, feito na correria no final de feira de mandato, pra poder por a placa do ex-prefeito. Eu até creio que o novo prefeito deveria por a marca da nova gestão nelas ja que os parques estão sendo terminado na gestão atual e não na gestão do Mauro Mende. Mais que justo a placa de que termina.

  • claison ribeiro
    05 Jan 2017 às 09:38

    Mais uma obra "Padrão-Brasil". Mas o povão tb não coopera hein, é lixo para todos os lados....Bora cooperar gente !!

  • WELLINGTON
    05 Jan 2017 às 09:29

    foi inaugurada as pressas , mas são reparos fáceis de serem resolvidos , nao merece ficarem queimando a obra por conta disso..nem nas nossas casas as vezes o pedreiro pisa na bola....

  • joao pc
    05 Jan 2017 às 08:21

    CAMPOGRANDENSE volta lá pra sua cidade , tá fazendo o que aqui ?

  • Maria Lucia
    05 Jan 2017 às 07:25

    Gente a Praça do Porto está completamente descaracterizado. Cimentaram tudo ao invés de criar canteiros.Ao arrepio da Lei que estabelece que qualquer construção devera ter um % de área verde e de infiltração.Qual a moral tem a prefeitura pra cobrar do munícipe se ela própria não obdesse a Lei de Uso do Solo.

  • Gustavo
    05 Jan 2017 às 01:24

    Não vamos ficar no blá blá vamos cobrar afinal é o nosso dinheiro... Se inaugurou. Foi como os outros políticos quis fazer para lucrar. Agora reta saber se a prefeitura ter a dindin para manter. Não podemos cobrar da gestão passada ... Atual e futura e sim de todos. Ate de quem frequenta.... Saber cuidar. No dia que visitei tinha pessoas deixando lixo pelo chão. Garrafa de agua sacolas plásticas. Apesar de ter entregue nas couxas a obra mais vamos esperar. Quanto ao aquário temos que cobrar pois o mesmo falou que estava tudo comprado para fazer se não conseguiu que faca o atual........

  • Moysés do Porto
    04 Jan 2017 às 21:23

    não justifica entregar a obra do jeito que foi...muito errado era melhor o Mauro Mendes, comunicar e deixar para o novo prefeito acabar e entregar uma coisa acabada. mas, sabemos que não é assim que funciona... todos que rem aparecer na foto.. deu no que deu.... obra meia boca

Redes Sociais

Sitevip Internet