Notícias / Comportamento

11/01/2017 - 10:50

Um ano após sua morte, entra em vigor lei que declara Jejé de Oyá como 'Patrono do colunismo social'

Da Redação - Isabela Mercuri

Foto: Reprodução

Jejé de Oyá

Jejé de Oyá

O irrevrente Jejé de Oyá, falecido há exatamente um ano, é declarado a partir desta quarta-feira (11) como Patrono do Colunismo Social de Mato Grosso. A lei foi sancionada na última terça (10) pelo governador Pedro Taques e publicada nesta quarta no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso. A autoria é do Deputado Guilherme Maluf.

Leia mais:

Amigos prestam última homenagem a Jejé e relembram sua alegria, carisma e coragem



Jejé faleceu em 11 de janeiro de 2016 em decorrência de uma parada respiratória. O ícone foi homenageado por Maluf, pois, segundo suas palavras, “nascido pobre, negro e assumindo-se gay em um cenário de discriminação temporal, Jejé se firmou como profissional e referência pelo talento” e “Jejé de Oyá foi testemunha ocular de vários momentos históricos e sociopolíticos de Mato Grosso”.

O colunista escreveu durante anos no antigo jornal O Estado de Mato Grosso. Na ocasião de sua morte, Carlinhos Corrêa, seu afilhado, afirmou que “As pessoas o respeitavam porque ele tinha o quarto poder, que era a caneta na mão. Se alguém falasse alguma coisa dele, ele descontava no outro dia”.

Além de tudo, Jejé ainda era considerado um ícone do carnaval mato-grossense, e foi tema do bloco “Vem Oyá Jejé”, que teve seu primeiro desfile em oito de fevereiro de 2016, saindo da Praça Santos Dummond. Em Chapada, ele também foi homeageado pelo bloco “Quem é ele, quem é ela”.

10 comentários

comentar
por Jaqueline, em 11/01/2017 às 20:46
É sério isso??? Cuiabá, a cidade mais provinciana de uma República.
por willian, em 11/01/2017 às 17:50
Tenho respeito pela memória de Jejé. Porém, gostaria de ver mais notícias sobre aprovações de lei, que de fato, diminuíssem a miséria, a insegurança, a falta de saúde, de educação de qualidade para população.
por Cuiabano, em 11/01/2017 às 16:52
Sem preconceito, vai mudar o que uma lei desta natureza? Porque não legislar coisas sérias que mudam para melhor a vida dos Cuiabanos. Eita cabecinhas vazias, e ganham uma furtiva, isso é cultura e lei INÚTIL!!!!
por MOISÉS, em 11/01/2017 às 14:32
desculpe minha ignorância: isso serve pra quê...????
por Paulo, em 11/01/2017 às 13:43
Como sempre......agora já foi, já era, já morreu.....pobre, esquecido, amparado por poucos sinceros e verdadeiros amigos. O que vem depois é só o oportunismo de muitos.
por ANDRE CINICO SILVA, em 11/01/2017 às 12:38
QUANDO VAO ELEGER UM POLITICO COMO O "PATRONO DO CAOS SOCIAL", UM QUE TA PRESO FAZ TEMPO? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
por Negao, em 11/01/2017 às 12:24
Parabens...pela escolha...
por Charada, em 11/01/2017 às 12:18
Falta de coisa séria pra fazer. É cada uma.
por Telma Cenira Couto da Silva, em 11/01/2017 às 12:00
Apoiadíssimo. Só os hipócritas são contra homenagear Jejé. Viva Jejé e viva Zé Bolo-Flor, Antonio Peteté, Cobra-Fumante e muitos outros. Eles ajudaram a construir um pouco da nossa história.
por TOTONHO PICANÇO, em 11/01/2017 às 11:25
Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.
Sitevip Internet