Olhar Conceito

Terça-feira, 26 de setembro de 2017

Notícias / Artes Cênicas

Peças 'Escola de Bonecas' e 'Geni' discutem realidade transexual no Cine Teatro de Cuiabá

Da Redação - Isabela Mercuri

13 Set 2017 - 17:00

Peças 'Escola de Bonecas' e 'Geni' discutem realidade transexual no Cine Teatro de Cuiabá
Duas peças dirigidas pelo cuiabano André D’Lucca serão apresentadas no Cine Teatro de Cuiabá no próximo sábado. Ambas estão em segunda temporada, e foram sucesso de público. ‘Geni’ será às 19h e, logo em seguida, ‘Escola de Bonecas’, às 21h.

Leia também:
Poeta cuiabano lança livro 'A máquina de carregar nadas' no Metade Cheio

A primeira a ser exibida será ‘Geni’. Baseada na música ‘Geni e o Zepelim’, de Chico Buarque, o espetáculo foi feito a partir de uma criação coletiva, e foi o primeiro em Cuiabá a ter uma mulher transexual como protagonista, Bi Pinheiro, que interpreta Geni.

“A primeira vez que eu ouvi essa música eu tinha uns sete anos de idade. Eu estava na casa de uma prima e a música me chamou a atenção. Eu não entendi muito bem a história, mas eu fiquei com dó da Geni pela questão dela ser apedrejada o tempo todo no refrão da música”, lembra o diretor André.

Além de Geni, outros onze personagens participam da trama, dentre eles ‘José Pelintra’, um traficante que veio de São Paulo a negócios, foi traído e ficou quinze meses preso no Pascoal Ramos. Quando saiu, prometeu se vingar de Cuiabá, mas mudou de ideia ao conhecer Geni.
 
Claudia Tremer, socialite que zela por sua Ong “Belas Recatadas e do Lar”, Marta do Santo Espírito, beata muito preocupada com a salvação, Pastor Átila, um hipócrita, Lilli, melhor amiga da Geni, antropóloga e blogueira, César Mattar, prefeito e banqueiro da cidade, Kaka, prostituta, Bartolomeu, filho de Marta, e Serena, uma sulista que veio morar em Cuiabá, são os outros que compõem essa história.
  
‘Escola de Bonecas’, por sua vez, fala sobre o dia-a-dia e a realidade das transexuais Dentre os atores e atrizes estão cinco travestis, uma drag Queen, uma crossdresser e três homens cis, que também interpretam transexuais.

O espetáculo conta a história de uma casa, comandada pela cafetina Norma (André D’Lucca), onde moram garotas transexuais. A maioria delas trabalha com prostituição, mas cada uma tem sua peculiaridade e representa um estereótipo: a travesti sonhadora, a que usa silicone industrial, dentre outras.

De acordo com a assessoria, esta peça era um desejo do diretor já há um tempo. “O espetáculo é novo porque nunca foi montado, mas velho, pois tem mais de uma década que tento fazer e não consigo”, enfatizou D’Lucca. Segundo ele, essa vontade veio principalmente porque Cuiabá é a cidade mais transfóbica, e o Brasil o país mais transfóbico do mundo. “Ou seja, a Escola de Bonecas traz essa realidade e busca mudá-la e tornar a travesti em Cuiabá respeitada”.

A primeira peça tem classificação indicativa de 16 anos, e a segunda, de dezoito. A classificação é de 18 anos. Os ingressos custam R$ 20 inteira e R$ 10 meia entrada, e são vendidos na bilheteria do Cine Teatro Cuiabá ou pelo SITE.

Serviço

Geni
Data: Sábado (16)
Horário: 19h
Classificação 16 anos
Ingressos: R$20 / R$10 (Bilheteria do Cine Teatro ou Guichê Web)
 
Escola de Bonecas
Data: Sábado (16)
Horário: 21h
Classificação 18 anos
Ingressos: R$20 / R$10 (Bilheteria do Cine Teatro ou Guichê Web)

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet