Imprimir

Notícias / Comportamento

Um ano após sua morte, entra em vigor lei que declara Jejé de Oyá como 'Patrono do colunismo social'

Da Redação - Isabela Mercuri

O irrevrente Jejé de Oyá, falecido há exatamente um ano, é declarado a partir desta quarta-feira (11) como Patrono do Colunismo Social de Mato Grosso. A lei foi sancionada na última terça (10) pelo governador Pedro Taques e publicada nesta quarta no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso. A autoria é do Deputado Guilherme Maluf.

Leia mais:

Amigos prestam última homenagem a Jejé e relembram sua alegria, carisma e coragem



Jejé faleceu em 11 de janeiro de 2016 em decorrência de uma parada respiratória. O ícone foi homenageado por Maluf, pois, segundo suas palavras, “nascido pobre, negro e assumindo-se gay em um cenário de discriminação temporal, Jejé se firmou como profissional e referência pelo talento” e “Jejé de Oyá foi testemunha ocular de vários momentos históricos e sociopolíticos de Mato Grosso”.

O colunista escreveu durante anos no antigo jornal O Estado de Mato Grosso. Na ocasião de sua morte, Carlinhos Corrêa, seu afilhado, afirmou que “As pessoas o respeitavam porque ele tinha o quarto poder, que era a caneta na mão. Se alguém falasse alguma coisa dele, ele descontava no outro dia”.

Além de tudo, Jejé ainda era considerado um ícone do carnaval mato-grossense, e foi tema do bloco “Vem Oyá Jejé”, que teve seu primeiro desfile em oito de fevereiro de 2016, saindo da Praça Santos Dummond. Em Chapada, ele também foi homeageado pelo bloco “Quem é ele, quem é ela”.