Olhar Jurídico

Terça-feira, 26 de setembro de 2017

Notícias / Criminal

Juíza nega liberdade a jornalista acusado de extorquir Silval Barbosa

Da Redação - Lázaro Thor Borges

15 Fev 2017 - 09:05

Foto: Olhar Direto

Faixa deixada em frente à Sétima Vara

Faixa deixada em frente à Sétima Vara

O jornalista Antônio Carlos Milas, acusado de extorquir o ex-governador Silval Barbosa, teve pedido de liberdade negado pela Justiça. A Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) o prendeu em novembro de 2016. 

Leia mais:
Mendes diz nunca ter aceitado extorsão e afirma que mentiras publicadas pelo Grupo Milas 'caíram por terra'


Milas foi preso pela Operação Liberdade de Extorsão e é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de utilizar empresas de comunicação de sua propriedade para extorquir o ex-governador e políticos do alto escalão na época. O jornalista, segundo o apurado pela Polícia, cobrava do governador alta quantia em dinheiro para não divulgar informações prejudiciais a reputação dos políticos de sua gestão.

No pedido de liberdade, Milas argumenta que a sua inclusão no processo foi feita a partir de “mera suposição”. A defesa também pontuou  para à Justiça que Milas jamais descumpriu as medidas judiciais que lhe foram determinadas.

Ao analisar o pedido, a juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal em Cuiabá, verificou que Milas não demonstrou novas provas que pudesse ocasionar a revogação da prisão preventiva. A magistrada, na decisão, também lembrou que não é possível substituir a prisão por alguma medida cautelar uma vez que o réu ainda apresenta risco ao andamento do processo.

“Isso posto, sem mais delongas, verificando estarem presentes os presentes os fundamentos legais para a manutenção da prisão, INDEFIRO o pleito formulado pela Defesa do acusado Antônio Carlos Milas de Oliveira, devidamente qualificado nos autos”, determinou a juíza. 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ROBERTO-FUNC. PUBLICO-MT
    15 Fev 2017 às 12:23

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Chacal
    15 Fev 2017 às 10:03

    Enquanto os bandidos de gravata estão agindo livremente com foto privilegiado.

Sitevip Internet