Olhar Jurídico

Terça-feira, 26 de setembro de 2017

Notícias / Civil

Juiz homologa recuperação judicial do grupo Droga Chick, endividado em R$ 9,6 milhões

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Jul 2017 - 10:03

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juiz homologa recuperação judicial do grupo Droga Chick, endividado em R$ 9,6 milhões
A magistrada Anglizey Solivan de Oliveira, da Primeira Vara Cível de Cuiabá, homologou no dia 4 de julho o plano de recuperação judicial do grupo de farmácias Droga Chick, com dívida estimada em R$ 9,6 milhões.
 
Leia mais:
TJ estabelece prazo para juiz apresentar alegações finais em processo por fraudes em recuperações judiciais


Para homologar o plano foram feitas algumas alterações. A magistrada declarou as nulidades da previsão de alteração societária e da previsão de substituição/extinção de garantias sem anuência do credor. A juíza declarou ainda ineficaz parte da cláusula relativa à forma de pagamento dos créditos trabalhistas.

Formado por seis lojas distribuídas pela Capital, o grupo atua no segmento de varejo de remédios desde 1987 e também atribui a dívida às dificuldades em disputar mercado com outros empreendimentos. Segundo a companhia, os concorrentes atuam de maneira desleal, vendendo seus produtos abaixo do preço de custo, e inviabilizando a margem de lucro.

A recuperação abrangerá as empresas Drogaria Droga Chick Ltda., Drogasarah Medicamentos Ltda. Epp, Maxmed Medicamento e Perfumaria Ltda. Epp, Chick Prime Drogaria Ltda. Epp, C.H.K. Drogaria Ltda.-ME e DJ Drogaria Ltda.-ME.
 
A recuperação judicial é uma medida tomada a fim de evitar a falência de uma empresa. Pedida quando a corporação perde a capacidade de pagar suas dívidas, ela serve como meio para reorganização dos negócios. A norma é abordada no capítulo três da lei Lei de Falências e Recuperação de Empresas (LFRE), de 2005. Por meio dela a empresa mantém sua produção, o emprego dos trabalhadores e os interesses dos credores.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pedro
    13 Jul 2017 às 10:59

    Difícil ler essas matérias, a crise está engolindo todos. O que estava ruim ficou pior e quem ja estava balançando agora estão todos caindo. torço pra tudo isso passar e que a econômica volte ao normal.

  • beto
    13 Jul 2017 às 10:20

    rede droga chick nao pode falir..uma das melhores farmacia em que eu trabalhei...devo muito ao falecido caio sandoval......

  • Ótima notícia
    13 Jul 2017 às 10:19

    Ótima notícia, pois o que temos visto nos últimos anos são empresas falindo e fechando suas portas.

Sitevip Internet