Olhar Jurídico

Sábado, 25 de novembro de 2017

Notícias / Criminal

Ordem pede instauração de investigação criminal contra juízes suspeitos em casos de grampos

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Jul 2017 - 14:34

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Ordem pede instauração de investigação criminal contra juízes suspeitos em casos de grampos
A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso interpôs uma notícia-crime no Tribunal de Justiça para apurar possíveis decisões irregulares de juízes sobre interceptações telefônicas. O caso segue sob sigilo e é relatado pelo desembargador Orlando Perri.
 
Leia mais:
Coronel prorroga inquérito sobre grampos e pede segurança pessoal


Conforme divulgado pelo procurador de Justiça Domingos Sávio, em sessão do Pleno nesta quinta-feira (13), a notícia crime guarda semelhança com outro procedimento da própria Ordem, que postulou a instauração de investigação criminal para apuração da prática de crimes supostamente praticados por membros do Ministério Público Estadual.

Sobre o mesmo caso, foram instaurados procedimentos investigatórios na Procuradoria Geral da República (PGR), na Corregedoria da Polícia Militar e no Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
 
o caso

Reportagem do programa "Fantástico", da Rede Globo, revelou na noite de 14 de maio que a Polícia Militar em Mato Grosso “grampeou” de maneira irregular uma lista de pessoas que não eram investigadas por crime.
 
A matéria destacou como vítimas a deputada estadual Janaína Riva (PMDB), o advogado José do Patrocínio e o jornalista José Marcondes, conhecido como Muvuca. Eles são apenas alguns dos “monitorados”.

O esquema de “arapongagem” já havia vazado na imprensa local após o início da apuração de Fantástico.
  
Barriga de aluguel
 
Os grampos foram conseguidos na modalidade “barriga de aluguel”, quando investigadores solicitam à Justiça acesso aos telefonemas de determinadas pessoas envolvidas em crimes e no meio dos nomes inserem contatos de não investigados.

Neste caso específico, as vítimas foram inseridas em uma apuração sobre tráfico de drogas.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet