Olhar Jurídico

Segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Notícias / Criminal

No Dia do Advogado, ex-secretário Paulo Taques deixa Centro de Custódia; veja vídeo

Da Redação - Patrícia Neves e Paulo Victor Fanaia Teixeira / Da Reportagem Local - Arthur Santos Silva

11 Ago 2017 - 14:27

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

No Dia do Advogado, ex-secretário Paulo Taques deixa Centro de Custódia;   veja vídeo
O ex-secretário chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Paulo Zamar Taques, acaba de deixar Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), nesta sexta-feira, 11, Dia do Advogado. Ele não quis prestar declarações, mas prometeu à imprensa que falará sobre o caso e sobre sua prisão na semana que vem.

Leia Mais:
Por determinação do STJ, ex-secretário Paulo Taques deixa o Centro de Custódia

Diferente do que normalmente ocorre, o telegrama com a ordem de soltura de Paulo Taques partiu do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, para Cuiabá, por meio de carta, o que explica a demora de cerca de 20h para cumprimento da ordem.

Acompanhe: 

Às 14h desta sexta-feira (11), a mensagem foi entregue pelos Correios a diretora da 2º Secretária de Direito Privado (plantonista). Ela já encaminhou à sua assessoria, que repassou a decisão para a desembargadora Antônia Siqueira (plantonista). Coube a ela a determinação para que um oficial de justiça executasse a ordem de soltura.

14h44: O oficial de justiça chega ao CCC para cumprimento da ordem.

14h46: Lembrando que esta sexta-feira (11) comemora-se o Dia do Advogado, feriado celebrado pelos profissionais do ramo jurídico. Motivo pelo qual o funcionamento da justiça em regime de plantão. 

14h50: Em liberdade, Paulo Taques deverá cumprir as seguintes medidas cautelares: 1) comparecimento regular, mensalmente, em juízo; 2) não se ausentar do país sem autorização e da comarca sem comunicação judicial; 3) proibição de ingressar em prédios públicos da governadoria, da secretaria de estado de segurança pública, da secretaria de estado de justiça e direitos humanos, da casa civil, da casa militar e da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso; 4) proibição de se comunicar com integrantes do serviço de inteligência do Estado.

14h53: A movimentação em frente ao CCC torna-se intensa neste momento. Jornalistas se aglomeram na porta onde deverá sair o ex-secretário dentro de instantes. 

15h21: Paulo Taques acaba de deixar o CCC.



15h23: Ele disse que não irá prestar declarações.

Veja Vídeo:
 

Contexto:

Paulo Taques foi preso por determinação do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, no último dia 4 de agosto, que considerou o risco de obstrução das investigações ou ainda a tentativa de agir de forma a estimular a ocultação e destruição de provas.

Entenda  o caso:

Reportagem do programa "Fantástico", da Rede Globo, revelou na noite de 14 de maio que a Polícia Militar em Mato Grosso “grampeou” de maneira irregular uma lista de pessoas que não eram investigadas por crime.
 
A matéria destacou como vítimas a deputada estadual Janaína Riva (PMDB), o advogado José do Patrocínio e o jornalista José Marcondes, conhecido como Muvuca. Eles são apenas alguns dos “monitorados”.

O esquema de “arapongagem” já havia vazado na imprensa local após o início da apuração de Fantástico.
  
Barriga de aluguel
 
Os grampos foram conseguidos na modalidade “barriga de aluguel”, quando investigadores solicitam à Justiça acesso aos telefonemas de determinadas pessoas envolvidas em crimes e no meio dos nomes inserem contatos de não investigados.

Neste caso específico, as vítimas foram inseridas em uma apuração sobre tráfico de drogas.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jurisconsulto
    11 Ago 2017 às 17:46

    Um tucano impune é só mais um dia normal no brasil. Nem deveria ser notícia. Nenhuma novidade. Para ser mais rotineiro ainda poderiam ter prendido um petista que cuspiu na calçada, criticou esse povo nos comentários, algo assim.

  • Júlio
    11 Ago 2017 às 16:50

    O que faz o ex chefe da casa Militar o cel. Renato Martins ao lado do Paulo Taques? É segurança dele?

Sitevip Internet