Olhar Jurídico

Sábado, 21 de outubro de 2017

Notícias / Criminal

Fraudes no 'MT Saúde' garantiram R$ 4 milhões para Maluf e R$ 3 milhões para ex-secretários, revela Silval

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

30 Ago 2017 - 16:25

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Guilherme Maluf

Guilherme Maluf

Em seu acordo de delação premiada, o ex-governador do Estado Silval Barbosa revela um esquema de fraudes na quitação de uma dívida de R$ 40 milhões no programa MT Saúde. As operações teriam rendido R$ 4 milhões para o atual primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) deputado Guilherme Maluf (PSDB). A quantia teria servido para pagar dívida de R$ 2 milhões que tinha com Valdir Piran.

Do total de dinheiro movimentado para quitar as dívidas do programa, R$ 2,5 milhões teriam enchido o bolso do ex-secretário César Zílio, R$ 500 mil teria ficado com o ex-secretário Adjaíme Ramos de Souza e outro meio milhão para o próprio delator. Acompanhe:

Leia mais:
Bezerra pegou propinas de obras em MT e deu calote de R$ 5 milhões em empréstimo ilegal, diz Silval

A narrativa consta do quesito "Evento - Fraudes no Programa MT Saúde", na página 166 do Volume 1 da delação. Nele, Silval conta que o 'MT Saúde' era um programa administrado pela Secretaria de Estado de Administração (SAD, atual Secretaria de Estado de Gestão - SEGES) e que em determinado momento, os pagamentos dos serviços prestados começaram a atrasar, ficando uma dívida em torno de R$ 40 milhões para os hospitais que prestavam serviços ao programa.

Em 2012, o governador do Estado foi procurado pelo Secretario da SAD, à época César Roberto Zílio (hoje delator da Sodoma) e pelo deputado Estadual Guilherme Maluf (atual primeiro-secretário da Assembleia Legislativa). A proposta feita foi a seguinte: que o governador pagasse estes R$ 40 milhões, quitando a dívida, "pois se fossem efetuados os pagamentos os proprietários dos hospitais iriam passar para Guilherme Maluf um percentual de 10% dessa dívida", ou seja, R$ 4 milhões.

Frisa o delator que Guilherme Maluf é um dos proprietários do Hospital Santa Rosa, instituto médico particular de Cuiabá. Com estes R$ 4 milhões, Guilherme Maluf teria dito que enviaria metade para Valdir Piran, empresário do ramo de factoring que havia lhe emprestado R$ 2 milhões.

Depois deste diálogo, o colaborador se comprometeu a quitar as dívidas do 'MT Saúde', pagamento que foi feito em oito parcelas de R$ 5 milhões.  Na ocasião, Silval informou ”que passaria uma parte para César Zílio”, R$ 2,5 milhões.

Outra parte ficou com a empresa que administrava e controlava o programa de pagamentos para hospitais do 'MT Saúde', segundo Silval, tratava-se da 'Remanso Prestadora de Serviços e Terceirizados Ltda'.

O ex-secretário Adjaíme Ramos de Souza, que era Adjunto da Casa Civil, segundo Cesar Zílio, também teria recebido R$ 500 mil, bem como foram repassados R$ 500 mil reais também para o próprio Silval.

O outro lado:

Sobre a cobrança de R$ 4 milhões para intermediar o pagamento do MT Saúde para os hospitais privados, em 2012, Maluf considerou um descalabro. “O MT Saúde devia [para os hospitais] e não houve desvio. Se eu ganhei algum dinheiro com isso acho incoerência, porque é o Estado quem me deve [como proprietário do Hospitial Santa Rosa, o maior credor] e que me deve até hoje. Como vou ganhar dinheiro com algo que já é meu?”, ponderou o primeiro secretário. 

“Estou pronto para responder a qualquer sitaução. É uma irresponsabilidade  de quem fez tantas acusações levianas contra tantos agentes públicos, sem nenhuma prova”,  retrucou o parlamentar tucano, que acrescenta. 

"O ilustre ex-governador jogou uma série de denúncias e vai ter que provar! Falar e não apresentar provas vai acabar depondo contra a deleção dele e certamente voltará para a cadeia. Tudo já está sendo investigado pela Polícia Federal e Ministério Público Federal, com acompanhado do Poder Judiciário. A verdade virá á tona”, disse Maluf ao Olhar Direto.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • luiz otavio
    02 Set 2017 às 12:39

    o bandido que frauda saude merece pena de morte

  • Poker
    31 Ago 2017 às 03:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Joao
    30 Ago 2017 às 18:04

    ESSE DEPUTADO JÁ FOI DENUNCIADO PELO PRIMO E ATÉ AGORA ESTAR SOLTO MAIS OLHA DE QUE PARTIDO É A CRIANÇA O GOVERNADOR SEGURA A BRONCA SALVE-SE QUEM PUDER

Sitevip Internet