Olhar Jurídico

Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Notícias / Criminal

Cabo preso por grampos mandou bilhete a coronel para comunicar fidelidade: “amo você”

Da Redação - Arthur Santos da Silva

12 Out 2017 - 08:53

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Cabo preso por grampos mandou bilhete a coronel para comunicar fidelidade: “amo você”
O cabo da Polícia Militar Gerson Corrêa Junior enviou um bilhete da cadeia para se comunicar com o Coronel Evandro Lesco. Ambos estão presos provisoriamente por suspeita de organização criminosa para execução de grampos telefônicos em Mato Grosso. No documento, Gerson afirmava que mesmo sob pressão, não abriria mão da “irmandade, fidelidade e lealdade”.
 
Leia mais:
Coronel e esposa confessam grampos cometidos por militares em Mato Grosso, veja vídeo


O bilhete foi apreendido durante a Operação Esdras, que desbancou um esquema para afastar o desembargador Orlando Perri de casos sobre interceptações.
 
Na época, o coronel Lesco estava em liberdade. Gerson seguia detido no Centro de Custódia de Cuiabá. Atualmente ambos estão presos (Gerson conta com dois mandados em seu desfavor).  
 
No documento, o cabo ainda comunicou a amizade em relação a Lesco.  “Vamos virar esse jogo, e vamos dar muitas risadas, tomar muito chopp, eu creio”. Gerson concluiu afirmando: “amo você meu irmão, estou bem”.
 
Nova prisão de gerson
 
O desembargador Orlando de Almeida de Almeida Perri decretou pela segunda vez prisão preventiva em face do cabo da Polícia Militar Gerson Corrêa Júnior, réu da ação penal que apura o esquema de grampos cometidos por Policiais Militares em Mato Grosso.

A decisão foi estabelecida na quarta-feira (11).

Gerson é apontado como o operador principal do sistema de interceptação.
 
Operação Esdras

A operação Esdras, desencadeada no dia 27 de setembro, com base no depoimento prestado pelo tenente coronel da Policia Militar José Henrique Costa Soares, revelou um verdadeiro esquema criminoso para frear as investigações sobre interceptações ilegais e afastar o desembargador Orlando Perri do caso.
 
Conforme os autos, em depoimentos prestados por Soares “descortinou-se um sórdido e inescrupuloso plano” no intuito de interferir nas investigações policiais e macular a reputação do desembargador Orlando Perri em todos os inquéritos instaurados.

Segundo o processo, Costa Soares foi convocado para atuar como escrivão no inquérito do caso grampos. Logo da convocação, a suposta organização criminosa teria buscado sua cooptação.
 
Seria tarefa do tenente coronel a juntada de informações sobre Perri para provocar a suspeição do magistrado.
 
Na Operação Esdras foram cumpridas medidas contra Paulo Taques, coronel Airton Benedito de Siqueira Júnior, o ex-secretário de Estado Rogers Eizandro Jarbas, o corornel Evandro Aexandre Ferraz Lesco, o sargento João Ricardo Soler, o major pm Michel Ferronato, Helen Christy Carvalho Dias Lesco (esposa de Lesco), o empresario José Marilson da Silva e o advogado Marciano Xavier das Neves.
 
Processo

Até o momento apenas militares foram processados. A denúncia refere-se aos delitos previstos na Legislação Militar.
 
Os acusados são: Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco, Ronelson Barros, Januário Batista e Gerson Correa Junior. 
 
Os cinco vão responder pelos crimes de Ação Militar Ilícita, Falsificação de Documento, Falsidade Ideológica e Prevaricação, todos previstos na Legislação Militar. Zaqueu Barbosa e Gerson Correa Junior seguem presos preventivamente.
 
Confira trechos do bilhete disponibilizado pela Justiça
 
“[...] Irmão, quanto à pressão da mídia, notadamente, TVCA (Globo/MT), todos os dias ‘batem’, porém, estamos cientes de que nada será além disso, ‘pressões midiáticas’, vamos bancar com muita serenidade, sem apavorar. Os fatos que ora a TVCA noticiam, com supedâneo na decisão do Dr. Perri, não prosperam e iremos reverter isso. Acredito que a revogação da sua PP irá ocorrer e depois vamos trabalhar para que ocorra dos demais irmãos. A minha bancarei o tempo que for sem esmorecer um segundo sequer. Confio plenamente na atuação do Dr. Marciano e demais profissionais envolvidos, mas continuemos sempre alinhados, não abro mão da nossa irmandade, fidelidade e lealdade, custe o que custar.

Ademais, não preocupe comigo, essa aqui vamos bancar com muita naturalidade e foco nos princípios, teses e convicções. Estou muito tranquilo, muito seguro que vamos virar esse jogo, e vamos dar muitas risadas, tomar muito chopp, eu creio.

[...]

Irmão fico por aqui, na certeza de saber que está bem e já lhe informando que estou melhor ainda, certeza. A cada dia que passa fico mais firme, ‘tô’ mais forte e mais convicto. Um grande abraço, fique com Deus, muita força por aí. Amo você meu irmão, estou bem.

CCC, Cuiabá, 02/08/2017.

Gerson Luiz Ferreira Correa Júnior”.
 

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • JOAO PANCADA
    13 Out 2017 às 09:43

    Que amor esse dois..hemmm?...sei naoooo

  • Sr. Atento
    13 Out 2017 às 09:27

    Que lindoooo... é muito amor!!!

  • Advilson Teixeira torres
    12 Out 2017 às 10:50

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Cidadão Mato Grossence
    12 Out 2017 às 10:30

    Hum.... isso está parecendo o Bruno e o Macarrão.... já já vão estar de mal... kkkkkkk, só faltou a tatuagem.

  • cramulhão
    12 Out 2017 às 10:15

    Tolinho!

  • Taty
    12 Out 2017 às 09:48

    Pode até estar errado, mais vou dar mérito a essa carta!! Que menino parceiro e esse, passa o tempo que passa, vai morre abraçado cm amigo!! Virei fã sua Cabo!!!

  • Angelo
    12 Out 2017 às 09:33

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • servidor publico
    12 Out 2017 às 09:12

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet