Olhar Jurídico

Terça-feira, 21 de novembro de 2017

Notícias / Civil

MPE investiga direcionamento e superfaturamento de licitação envolvendo Antonio Joaquim e Antero

Da Redação - Arthur Santos da Silva

14 Nov 2017 - 08:11

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MPE investiga direcionamento e superfaturamento de licitação envolvendo Antonio Joaquim e Antero
O Ministério Público de Mato Grosso instaurou inquérito civil no dia 9 de novembro para investigar um possível ato de improbidade administrativa praticado pelo conselheiro afastado do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Antonio Joaquim.
 
Leia mais:
Advogado é condenado por não repassar verbas previdenciárias a idosos


Documento assinado pelo promotor Clóvis de Almeida Júnior  promete apurar se Antônio Joaquim contratou de forma irregular a empresa "A Produtora – Produção de Áudio e Vídeo Eirelli Ltda”. A suspeita é de que tenha havido direcionamento do certame e o superfaturamento do preço.
 
Ainda de acordo com o Ministério Público,  foi noticiado que a referida empresa seria de propriedade do ex-senador e comunicador social Antero Paes de Barros.
 
Clóvis de Álmeida estabeleceu o prazo de um ano para a conclusão da investigação.
 
Antônio Joaquim, afastado de suas funções desde que foi citado pelo ex-governador Silval Barbosa em sua delação, busca se aposentar para concorrer ao cargo de governador de Mato Grosso.
 
Já Antero Paes de Barros é conhecido por ser um dos principais marqueteiros do estado.

O outro lado

Ao Olhar Jurídico, por telefone, Antero afirmou que não comanda a empresa "A Produtora".

Já Antônio Joaquim emitiu a seguinte nota: O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), Antônio Joaquim, informa que o processo licitatório foi aberto ao público e conduzido com lisura, por meio de pregão presencial, estando acessível a qualquer cidadão no Portal da Transparência.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Julio
    15 Nov 2017 às 01:54

    Realmente não é do Antero e do filho dele chamado Ranulfinho é o sobrinho chamado Alexander e tem como sócio a filha do Antonio Joaquim que trabalha lá inclusive de faz de conta que funcionário.

  • Mestre Jolavo
    14 Nov 2017 às 12:07

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ondino Lima Neto
    14 Nov 2017 às 09:15

    Bastou Antônio Joaquim, mencionar a possibilidade de se candidatar ao Governo do Estado, para dar início a caça às bruxas !...

Sitevip Internet