Olhar Jurídico

Quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Notícias / Criminal

Júri condena a 7 anos de prisão motorista que atropelou e matou duas mulheres a 135 km/h no CPA

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

14 Nov 2017 - 11:32

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Tribunal de Júri

Tribunal de Júri

O Tribunal do Júri condenou a 07 anos de prisão o motorista Francisley Moreira de Paula pelo assassinato de Jackiles Rosa do Nascimento Gonçalves e Nadia de Oliveira Vale, em acidente de transito ocorrido na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA), em 2007. A sentença foi proferida pela juíza Mônica Catarina Perri, da Primeira Vara Criminal, nesta segunda-feira (13).

Leia meia:
Juiz coloca em liberdade comerciante que atirou em suposto assaltante que morreu após cair em piscina

Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), o crime ocorreu no dia 31 de março de 2007. Francisley Paula dirigia uma Saveiro à 135km/h na Avenida CPA, quando atingiu em cheio as vítimas, que estavam no canteiro central, tentando atravessar.

Com o impacto da batida, a vítima Nadia foi arremessada a cerca de 50 metros distante do local da colisão. Tanto ela quanto Jackiles não resistiram aos ferimentos e morreram no local.

Conforme a denúncia, o carro do réu foi alterado para melhorar o desempenho (tunado), o que teria sido desfeito em oficina, para reverter as alterações mecânicas, prejudicando as investigações. 

“A motivação do crime foi a velocidade excessiva desenvolvida pelo réu na condução do veículo VW Saveiro, assumindo o risco de produzir o resultado morte, o que configurou o dolo eventual reconhecido pelo Conselho de Sentença”, afirmou a magistrada.

Embora condenado, o réu teve seu direito de conduzir veículos revertido. Ele estava proibido de dirigir há nove anos, como medida cautelar, enquanto aguardava sentença. Explica que "desde a aplicação da referida medida, não se tem notícia de que o réu praticou qualquer conduta apta a demonstrar a sua periculosidade ou a violação da cautelar imposta, razão pela qual a sua conservação não se faz mais necessária".

A pena será cumprida em regime semi-aberto. A condenação poderá ser recorrida pelo réu.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sampaio
    14 Nov 2017 às 19:50

    Muito injusta essa condenação ,Policias são presos e condenados por matar bandido e um elemento que mata pessoas inocentes fica solto , Me desculpe Dra Monica mas você fui injusta, É sabido que a Meritíssima sempre foi linha dura e justa mas desta vez foi ao contrario , uma pena...

  • Juze
    14 Nov 2017 às 17:54

    Ta, p.. lagartixa, esse carro bebeu agua demais... kkk

  • Velho Juca
    14 Nov 2017 às 15:13

    315 Km por hora ou 135 km por hora? A manchete diz uma velocidade e o texto outro. Creio que o correto seja 135 Km por hora, não?

  • Bolt
    14 Nov 2017 às 13:43

    135 ou 315km/h?

  • Paulo
    14 Nov 2017 às 13:10

    Pouco, muito pouco, a pena tem o caráter de reparar o lesado (neste caso a família das vítimas) e inibir para que a prática não se repita, um recado não só para o condenado mas também para a sociedade. Neste caso o recado dado é que a vida das duas trabalhadoras, confrontadas com a irresponsabilidade do criminoso, não valiam tanto assim. Triste isso.

  • Fabrício
    14 Nov 2017 às 12:54

    7 anos em regime semi-aberto por assassinar 2 pessoas...por isso que tem gente que acha que o crime compensa...

Sitevip Internet