Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Notícias / Criminal

Juiz recebe processo por assassinato de prefeito e mantém prisão contra médica

Da Redação - Arthur Santos da Silva

03 Jan 2018 - 16:21

Foto: Reprodução

Juiz recebe processo por assassinato de prefeito e mantém prisão contra médica
O magistrado Ricardo Nicolino de Castro, plantonista da Vara Única de Colniza, recebeu no dia 2 de janeiro o processo contra quatro acusados pela morte do prefeito daquele município, Esvandir Antonio Mendes, 61 anos, e pela tentativa de homicídio do secretário de Finanças, Admilson Ferreira dos Santos, 41 anos.

Leia mais:
Empresa de ônibus é acionada em R$ 100 mil por demitir funcionário durante eleição sindical
                 
              
Nicolino decidiu ainda por negar pedido de revogação da prisão imposta em face de Yana Fois Coelho Alvarenga, médica suspeita de participação no caso. A detenção foi convertida de provisória para preventiva. Segundo os autos, considerou-se que “há descrição pormenorizada dos crimes supostamente cometidos” no dia 15 de dezembro. 

O órgão busca responsabilizar os envolvidos por crimes de homicídio qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa.

Foram denunciados os suspeitos, Antônio Pereira Rodrigues Neto, Zenilton Xavier de Almeida e Welisson Brito Silva, presos em flagrante, no dia 17 de dezembro, em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira.  

A esposa de Antônio Rodrigues, Yana Fois Coelho Alvarenga, também foi denunciada por suposta participação na ação criminosa.
 
Antônio Pereira Rodrigues Neto é empresário em Colniza do ramo de rede de combustível e táxi aéreo.
 
Segundo as investigações, ele arregimentou dois comparsas oriundos do Pará para o crime, motivado por cobrança de dívida. Apontado como o mandante, o suspeito também participou da execução do prefeito.
 
Segundo investigação, Yana tinha conhecimento do crime e acobertou a ação do marido.
 
Antônio, Zenilton, e Welisson  fugiam em um veículo Fiat Uno cinza, quando foram abordados a cerca de 20 km após Castanheira, por uma viatura do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), da  Regional da Polícia Civil de Juína, que auxiliou as investigações. Dentro do automóvel foram apreendidos R$ 60 mil, em espécie.
 
O dinheiro estava em um pacote do Banco do Brasil, sendo um montante de R$ 50 mil, e outros dois volumes de R$ 10 mil.
 
Foram usadas quatro armas de fogo no crime, mas somente um revólver calibre 38 e um fuzil 22, com numeração raspada, foram encontrados dentro de uma bolsa deixada no mato, pela Polícia Militar. As armas estavam a cerca de 15 km de Colniza, localidade onde também foi abandonada a caminhonete da ação criminosa.
 
Duas pistolas, que segundo as informações levantadas, também foram usadas, teriam sido jogadas dentro de um rio.
 
O crime

O prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos, em um veículo SUV, preto, a cerca de sete quilômetros da entrada da cidade.
 
O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra o prefeito Esvandir que ainda conseguiu dirigir, mas acabou morrendo no perímetro urbano, na BR 174, esquina com a Rua 7 de Setembro.
 
Outros dois disparos feriram o secretário Admilson, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. O fato ocorreu por volta das 18h40, de sexta-feira (15).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet