Olhar Jurídico

Sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Notícias / Criminal

Ministério Público quer anular contrato de médica suspeita em assassinato de prefeito

Da Redação - Arthur Santos da Silva

08 Jan 2018 - 16:45

Foto: Reprodução

Ministério Público quer anular contrato de médica suspeita em assassinato de prefeito
O Ministério Público de Mato Grosso notificou o município de Colniza (1.065 km) para que proceda a anulação do contrato administrativo relacionado à prestação de serviços clínicos envolvendo a médica Yana Fois Coelho Alvarenga, presa por suposta participação na morte do prefeito Esvandir Antonio Mendes, crime ocorrida no dia 15 de dezembro de 2017.

Leia mais:
Médica fez "ponte" entre empresário e supostos executores de prefeito; juiz vê risco de fuga


De acordo com a notificação, antes de ser assassinado, o prefeito municipal informou ao Ministério Público, de maneira informal, que não assinaria contrato envolvendo a médica Yana Fois Coelho Alvarenga, uma vez que convocaria servidores concursados.

Além disso, existe liminar que proíbe a contratação temporária em detrimento da regra constitucional da realização de concurso público.

Segundo informações no edital do resultado final do concurso público nº 001/2017, da Prefeitura Municipal de Colniza, a médica foi desclassificada do certame, por não ter obtido a nota de corte para os cargos de médico clínico geral.

A médica é mulher do empresário Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio.

Ela está presa desde o dia 26 de dezembro na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

Zenilton Xavier de Almeida e Welisson Brito Silva são acusados de compor o grupo criminoso. O prefeito foi assassinado quando voltava da zona rural do município. Ele foi perseguido pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta.  

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet