Olhar Jurídico

Terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Notícias / Civil

Promotor investiga reforma da Praça Ipiranga e possíveis danos a prédio tombado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

11 Jan 2018 - 11:07

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Promotor investiga reforma da Praça Ipiranga e possíveis danos a prédio tombado
O Ministério Público de Mato Grosso instaurou inquérito para apurar possível impacto causado pela reforma da Praça Ipiranga ao prédio onde hoje está localizado o Ganha Tempo, antigo Quartel da Força Pública.

Leia mais:
TJMT cobra Taques pelo pagamento de duodécimo de 2017; Poder recebeu R$ 148 milhões


O procedimento foi assinado pelo promotor Carlos Eduardo Silva no dia 9 de janeiro. Segundo os autos, o prédio do Ganha Tempo é tombado pelo Estado de Mato Grosso. Qualquer modificação pode ser referenciada como ato irregular.

A reforma na Praça Ipiranga trouxe questionamentos. O principal deles teve como alvo a reformulação do chafariz instalado no local há décadas. Ainda segundo o Ministério Público, as modificações ocorreram sem ao menos existir consulta na Secretaria de Estado de Cultura.

O inquérito determinou a realização de inspeção na área do entorno do antigo Quartel da Força Pública. Serão verificados os impactos negativos causado ao bem.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria Lucia
    12 Jan 2018 às 12:03

    O PATRIMÔNIO CULTURAL DE CUIABÁ ESTA AMEAÇADO POR QUEM TEM O DEVER DE PROTEGE-LOS. REFORMA SÃO FEITAS SEM QUE PROFISSIONAIS COM FORMAÇÃO ESPECIFICA EM PATRIMÔNIO ESTEJAM ENVOLVIDAS NOS PROJETOS. E UM VERDADEIRO DESASTRE AS INTERVENÇÕES QUE ESTÃO ACONTECENDO NO CENTRO HISTÓRICO DE CUIABÁ. O IPHAN ESTÁ CONIVENTE COM ESTAS INTERVENÇÕES SEM NENHUM CRITÉRIO E TÉCNICA. BASTA VER A DESTRUIÇÃO DE UM MURO FEITO DE PEDRA CANGA ALI NA ESQUINA DAS RUAS PEDRO CELESTINO COM A CAMPO GRANDE. UM DOS POUCOS EXEMPLOS QUE AINDA RESTAVA DO USO DOS MATÉRIAS DISPONÍVEIS NA ÉPOCA PARA A CONSTRUÇÃO DE MUROS DE ARRIMO. ESTE EXEMPLAR FOI DESTRUÍDO COM A APROVAÇÃO DO IPHAN PARA CONSTRUÇÃO DE UM EDIFICIO QUE É UM PUXADINHO DE UM OUTRO CUJA ARQUITETURA É UM EXEMPLO DE PROJETO VOLTADO PARA UM PATIO MUITO BONITO E CUJA FUNÇÃO ERA DE VENTILAR E DIMINUIR A TEMPERATURA. JÁ SERIA UM EXEMPLO DE CONSTRUÇÃO JA DIFERENCIADA ONDE OS EDIFÍCIOS NÃO ESTÃO TOTALMENTE GEMINADAS O QUE ERA COMUM NO CENTRO DE CUIABÁ. EXEMPLOS IMPORTANTE PARA A HISTORIA DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA SENDO DESTRUÍDA DEVIDO A FALTA DE PROFISSIONAIS HABILITADOS PARA UMA LEITURA HISTORIA DA EVOLUÇÃO DA OCUPAÇÃO DO ESPAÇO ONDE HJ ESTA O CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE .O MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL TEM A OBRIGAÇÃO DE INVESTIGAR A ATUAÇÃO DO IPHAN EM MATO-G

  • Chacal
    12 Jan 2018 às 10:52

    Investiguem o lançamento de esgoto no rio Cuiabá, justifiquem seus salário, mordomias e auxílio imorais.

  • Zé Borracheiro
    12 Jan 2018 às 00:07

    Pq os promotores sempre procuram travar obras ou melhorias para a população? Toda vez isso acontece e eu não entendo muito. Já é difícil conseguir alguma melhoria por parte da nossa política, e quando consegue vem muitos empecilhos que travam tudo, causando caos e desordem nas vias públicas.

  • Alberto
    11 Jan 2018 às 21:05

    Tantas coisas mais importante para o ministério público preocupar do que reforma de praça. É o fim da picada.

  • Zumbi do espaço
    11 Jan 2018 às 20:10

    Engraçado, quando os noiados ficam lá depredando a praça, não aparece ninguém do ministério público pra resolver.

  • Neila Barreto
    11 Jan 2018 às 16:48

    Parabens Olhar Direto pela publicacao da ingormacao.

  • Ad
    11 Jan 2018 às 13:45

    Inpacto negativo? A mendicância e o uso de drogas na regão deve ser positivo então. A praça esta tao tombada e o promotor tao preocupado em conservar o patrimonio e a historia assim como deve estar com o Morro da Luz. Vergonha. E o centro de Cuiabá continuará sendo uma vergonha, um nojo, fétido, impossivel de transitar quando chove e sem segurança por conta de posturas assim.

  • JOSE CARLOS
    11 Jan 2018 às 11:46

    Será que esses promotores não tem mais o que fazer do que ficar "emperrando" obra publica, o impacto que vai acontecer é obvio, vai se tirar uma coisa velha, degradada, sem funcionamento e fazer uma coisa nova e que funcione.

Sitevip Internet