Olhar Jurídico

Quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Notícias / Criminal

​Julgamento de ação penal contra Gilmar Fabris é adiado

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Out 2018 - 15:53

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

​Julgamento de ação penal contra Gilmar Fabris é adiado
O julgamento de uma ação penal contra o deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), que estava na pauta do Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) desta quinta-feira (11), foi adiado por ausência do relator, o desembargador Pedro Sakamoto. Fabris supostamente teria cometido crimes como lavagem de dinheiro e peculato.
 
Leia mais:
Deputado Gilmar Fabris deixa prisão após decisão de colegas; veja vídeo
 
A denúncia foi oferecida pela Procuradoria-Geral de Justiça contra o deputado Gilmar Fabris, e também contra Éder de Moraes Dias, Ocimar Carneiro de Campos, João Vicente Picorelli, Enelson Alessandro Nonato, Dorgival Veras de Carvalho, Dilmar Portilho Meira (Procurador do Estado de Mato Grosso), Gerson Valério Pouso (Procurador do Estado de Mato Grosso), Edmilson José dos Santos, Nelson Pereira dos Santos (Procurador do Estado de Mato Grosso), Jenz Prochnow Junior (Procurador do Estado de Mato Grosso), Anglisey Battini Volcov, Laura Tereza da Costa Dias, Vanúzia da Silva Araújo e Luciano Dias de Souza.

Eles são acusados de suposta prática dos crimes de formação de quadrilha, falsificação de papéis públicos, peculato e lavagem de capitais. O processo foi distribuído ao Tribunal Pleno em 2016, sob relatoria do desembargador Pedro Sakamoto.

Gilmar Fabris foi preso em setembro de 2017, após a deflagração da Operação Malebolge, da Polícia Federal, que investigou fatos relacionados à delação premiada do ex-governador Silval Barbosa.

Esta foi a 12ª fase da “Operação Ararath”, que apurou a realização de pagamentos por parte do Governo de Mato Grosso, em desacordo com as determinações legais, para empreiteiras, além do desvio desses recursos em favor de agentes públicos e empresários através a utilização de instituição financeira clandestina.

A ação penal seria julgada na Sessão Plenária do TJ desta quinta-feira (11), mas por causa da ausência justificada do relator, foi adiada. A ação já havia sido retirara anteriormente para realização de diligência, que foi depois submetida à apreciação do desembargador Pedro Sakamoto.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • j
    12 Out 2018 às 09:10

    Ficha limpa? Só aqui mesmo.

  • Carlos
    12 Out 2018 às 07:25

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Raimundo
    11 Out 2018 às 22:04

    Isso é vergonhoso...

  • Zeca
    11 Out 2018 às 18:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • eleitor
    11 Out 2018 às 16:42

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet