Imprimir

Notícias / Criminal

MP é favorável que Henry trabalhe como médico, mas alerta sobre a “gravidade” dos atos praticados pelo ex-deputado

Da Redação - Katiana Pereira

O promotor de Justiça Joelson de Campos Maciel emitiu na terça-feira (7) um parecer favorável do Ministério Publico Estadual (MPE/MT) para que o ex-deputado federal pelo PP, Pedro Henry, possa trabalhar durante o dia no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá.

No parecer, o representante do MP ressalta que é necessário resguardar a integridade moral dos pacientes que possam vir a ser assistidos pelo ex-parlamentar. Henry foi condenado a 7 anos e 2 meses e multa de R$ 932 mil por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, na Ação Penal 470 - o mensalão.

“Considerando a gravidade dos atos praticados pelo reeducando e, levando-se em conta a necessidade de preservar a integridade moral dos pacientes e da profissão médica, requer seja dado ciência da presente condenação e executivo de pena ao Conselho Regional de Medicina, para adoção das providências que julgar necessárias”, diz trecho do parecer ministerial.

Leia mais
Pedro Henry deve ser um dos primeiros reeducandos de MT a usar ‘tornozeleira judiciária’

Henry está recolhido no Anexo I da Penitenciária Estadual do Pascoal Ramos, que funciona anexo à Delegacia Especializada de Vigilância e Capturas (Polinter), no bairro Centro América.

Maciel requer ainda "imediata realização da audiência admonitória, para que se dê cumprimento a ação penal condenatória 470/STF; Que sejam realizados os exames legais, estabelecidos no artigo 5º e seguintes da LEP e após a realização a audiência admonitória, sem prejuízo da realização dos exames legais, seja deferida a liberação para o trabalho formulado pelo reeducando, junto a Empresa Hospital de Medicina Especializada Ltda – Hospital Santa Rosa". (Veja aqui a íntegra do parecer)

Pela Lei de Execuções Penais, o ex-deputado pode utilizar o benefício do trabalho para se ausentar da unidade prisional das 6h às 19h. Para cada três dias trabalhados, um é reduzido na pena. Henry deve receber cerca de R$ 7,5 mil por mês para atuar na unidade hospitalar. 

Pedro Henry foi preso no dia 13 de dezembro, após se apresentar espontaneamente à Polícia Federal em Brasília (DF). No mesmo dia, ele teve a prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Antes, entregou sua carta de renúncia ao mandato de deputado para a Mesa Diretora da Câmara Federal.

Trabalho começa essa semana

 O juiz Geraldo Fidelis da Segunda Vara Criminal, da comarca de Cuiabá, durante audiência admonitória nesta quarta-feira (8), permitiu que o ex-deputado começa a trabalhar no Hospital Santa Rosa na quinta-feira (9).

Atualizada às 15h50

Leia outras notícias do Olhar Jurídico