Notícias / Brasil

06/05/2011 - 23:02

Vídeo mostra ação de caçadores em matança de onças no Pantanal, veja

2 comentários

G1/MS

Foto: Reprodução

Vídeo mostra ação de caçadores em matança de onças no Pantanal, veja
O vídeo que faz parte do inquérito instaurado pela Polícia Federal para investigar a caça clandestina de onças no Pantanal de Mato Grosso do Sul revela como era a ação de caçadores clandestinos durante a matança dos animais. Segundo a PF, o vídeo foi enviado por um estrangeiro que teve acesso às imagens. O áudio é original do material enviado. A prática estava sendo vendida para outros países como uma atração turística.

Filmado em inglês como um vídeo-documentário de aproximadamente 20 minutos, as imagens contrastam o cenário de belezas naturais do Pantanal com cenas chocantes de matanças de onças pardas e pintadas feita por caçadores brasileiros e estrangeiros.

Em um dos trechos do vídeo aparecem caçadores com vestimentas camufladas (iguais as fardas do exército), armados com espingardas e carabinas. Em uma das cenas mais fortes, o caçador aponta a arma para o animal que está no alto de uma árvore e atira. Ferida, a onça despenca da árvore.

Já em outro trecho do vídeo a prática se repete, mas desta vez com uma onça pintada. O animal está em cima da árvore, quando é atingindo pelo tiro de um dos caçadores.

O vídeo foi o estopim para o início das investigações que resultaram na operação Jaguar II, feita pela PF em conjunto com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama/MS). Na tarde desta quinta-feira (5), policiais federais e agentes do Ibama apreenderam peles e partes de animais abatidos além de armas e munições na Fazenda Santa Sofia, localizada no município de Aquidauana, a 130 quilômetros de Campo Grande (MS).

Em entrevista ao G1, a proprietária da fazenda, Beatriz Rondon, confirmou a apreensão de armamentos, munições, peles e crânios de animais feita pela Polícia Federal em sua propriedade na tarde de quinta. No entanto a fazendeira não quis dar maiores esclarecimentos.

Versão da fazendeira
O advogado de Beatriz, René Siufi, informou que as peles, crânios e galhadas de animais que foram apreendidos na propriedade são antigos, de caças que aconteceram há aproximadamente 40 anos. Ele informou ainda que todo o armamento aprendido na fazenda está em situação legal.

“Todas as armas e munições que estavam na propriedade são legalizadas e possuem cadastro no Exército porque a Beatriz é uma colecionadora de armas”, explicou o advogado.

Siufi afirmou, ainda, que a Beatriz nunca permitiu caças em sua propriedade e lembrou que ela faz parte da Organização Não-Governamental (ONG) Sodepan, fundada por proprietários rurais, ambientalistas, pesquisadores e empresários do setor turístico.

A fazenda Santa Sofia é considerada uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e faz parte da Associação de Proprietários de Reservas Particulares de Mato Grosso do Sul (REPAMS), apoiada por diversas instituições ambientais como a WWF-Brasil.

De acordo com a polícia, Beatriz Rondon não foi indiciada porque as investigações ainda estão em andamento.

Vídeo Relacionado

por ff ll, em 08/05/2011 às 10:22
Sabe que eu acho, essa criminosa entrou na oNG ja como meio de defesa para quando descrobirem seus crimes hediondos, e ainda, a muniçao e arma encontrada com a meliante é de uso restrito de modo que impossivel ser legal, sua advogada devia estudar. cadeia é o que merece pois a pena para cada arma é acima de 02 anos de reclusao, e principalmente pelo crime ambiental, além de uma multa pesada com sequestro imediato da fazenda, uma pessoa deste naipe, de baixa conduta, merece ficar na miseria dentro de um presidio. Ai vou pensar, sera que ela vai gostar de ser cacada dentro da penintenciaria? Como seria legal, ela merece.
por evandro eder weirich, em 07/05/2011 às 12:26
Ate quando vamos ficar assim, esses maltitos caçadores e pessoas envolvidas que sao fazendeiros ou talvez empresários. Eu acredito ainda que 10% desses turistas estrangeiros que são maravilhosamente recebidos aqui no Brasil, pelos queridos Brasileiros não possam investigar essa ação, porque tratam um estrangeiro aqui como se fosse um deus, e cheio de regalias. E por fim o maldito bem aqui não apenas para ver as belezas do Brasil mas vem para agredir a natureza , defamar o povo Brasileiro chamando de Macacos etc. Sou da associação de proteção aos Animais do Brasil. Parabéns a Policia Federal do Brasil. prendam esses bandidos.