Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Notícias / Economia

Petrobrás arrenda Termoelétrica de Cuiabá e reinaugura usina no dia 12

Depois de quatro anos sem funcionar por conta do rompimento do contrato do fornecimento de gás com a Bolívia, a Usina Termoelétrica de Cuiabá voltará a operar no dia 12 de setembro, sob tutela da Petrobrás. A usina possui capacidade para gerar 480 Mega Watts de energia, três vezes maior que a Usina de Manso, por exemplo.

Da Redação - Laura Petraglia

29 Ago 2011 - 12:30

Foto: Lenine Martins - Secom/MT

Petrobrás arrenda Termoelétrica de Cuiabá e reinaugura usina no dia 12
Depois de quatro anos sem funcionar por conta do rompimento do contrato do fornecimento de gás com a Bolívia, a Usina Termoelétrica de Cuiabá voltará a operar no dia 12 de setembro, sob tutela da Petrobrás. A usina possui capacidade para gerar 480 Mega Watts de energia, três vezes maior que a Usina de Manso, por exemplo.

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (29) pelo governador Silval Barbosa (PMBD), durante entrevista coletiva no Palácio Paiaguás. De acordo com informações do representante da Empresa Pantanal Energia, Fábio Garcia, assinatura entre a empresa, o governo do Estado, a Petrobrás e o governo boliviano, será feita no dia 5 de setembro no Rio de Janeiro, e a reinauguração já está marcada para o dia 12.

Desde o final de semana o gás voltou aos dutos da Termoelétrica de Cuiabá, e amanhã (30), serão realizados os primeiros testes de equalização para funcionamento definitivo da usina. O novo contrato dá à Petrobrás a concessão da distribuição do Gás para o funcionamento da Usina pelo período de dois anos. A quantia, segundo o governador, é suficiente para retomar o funcionamento da usina e ainda suprir a demanda de 60% do Estado de Mato Grosso.

Pelo acordo, Mato Grosso receberá em princípio 2,2 milhões de m³/dia de Gás Natural. O secretário Pedro Nadaf complementou que desde a paralisação das atividades da Usina, o Estado determinou como política de Governo a solução do impasse. “Foram realizadas várias viagens à Bolívia com o objetivo de estabelecer um acordo com o governo boliviano para que a Termelétrica volte a funcionar”, disse. Nadaf destacou que o acordo é exclusivo para o funcionamento da Usina, mas que este processo pode se ampliar à distribuição inclusive de Gás Natural Veicular (GNV), que tem contrato sólido de dez anos entre Governo do Estado e a Bolívia.

Segundo Silval com a paralisação da Usina o Estado deixou de arrecadar milhões em ICMS. Com o retorno da Usina ao funcionamento será possível planejar a expansão da rede de energia para o interior do Estado.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joão carlos brito
    29 Ago 2011 às 15:30

    Parabens ao Governador Silval Barbosa, mas principalmente ao executivo da Termoeletrica o Sr. Fábio Garcia, pelo seu empenho ao longos dos últimos 03 (três) anos para que Mato Grosso não perdesse essa imprescindivel Usina termoeletrica, que é essencial ao desenvolvimento do nosso Estado.

  • Álvaro Martins
    29 Ago 2011 às 14:54

    Parabéns ao nosso governador e sua equipe de minas e energia juntamente com a Petrobras, que ressucitou um empreendimento de grande importancia para a sociedade matogrossensse. agora com esse aumento na capacidade de energia anunciada, é preciso que o Governador lute para minimizar a carga tributaria embutida na conta de enegia dos consumidores matogrossensses, só assim, o Estado arrecadaria mais, pois haveria mais consumidores dentro da legalidade.

  • de lara
    29 Ago 2011 às 13:51

    Parece que a incompetência , ingerencia, a falta de diplomacia do estado e do planalto chegou ao fim . Parabéns , fico feliz em saber que a nossa termoelétrica voltará a funcionar , é inademissivél ver um patrimonio desse porte transformando em sucata .