Notícias / Cidades

26/04/2013 - 09:42

Taxista é demitido após denunciar irregularidades na distribuição de vagas

De Rondonópolis - Cairo Lustoza - Olhar Direto/Agência Pauta Pronta

Foto: Cairo Lustoza - Agência Pauta Pronta

Taxista é demitido após denunciar irregularidades na distribuição de vagas
Um grupo de taxista procurou o Centro Integrado de Segurança e Cidadania de Rondonópolis para prestar registrar boletim de ocorrência contra o sindicato da categoria alegando que estão sofrendo retaliação porque procuraram a justiça denunciar irregularidades na distribuição de vagas do setor.

Rondonópolis tem uma frota de 170 veículos. Quem aluga uma vaga paga R$ 104 reais por mês e tem que fornecer 60% dos valores para o dono da vaga. Isso tipo de negociação acontece com a maioria dos taxistas.

No ano passado a Prefeitura de Rondonópolis concedeu novas vagas e os taxistas esperavam ser agraciados. Os profissionais alegam que as vagas foram distribuídas para pessoas fora do setor. Inconformado, o grupo resolveu procurar o Ministério Público. O MP detectou irregularidades no processo e recomendou que todas concessões sejam canceladas.

O taxista José Adevaldo de Oliveira disse a reportagem que está sofrendo retaliação depois do parecer favorável do MP. A empresa Rádio Táxi Rio Vermelho o despediu o trabalhador que tem 14 anos de experiência. “Quando fui trabalhador me avisaram que eu não podia estar denunciando, e que a dispensa é um aviso para os outros taxitas, que também fizeram queixa no MP”, explicou o taxista.

A reportagem do site Olhar Direto procurou a direção Sindicato dos Taxistas, mas o presidente João Scheffer está viajando. A proprietária da empresa Rádio Táxi Rio Vermelho, Andreía Scheffer, que é esposa do presidente do sindicato informou que José Adevaldo foi dispensado em virtude de desentendimento com colegas de trabalho.
por Armando, Rondonópolis - MT, em 26/04/2013 às 14:23
Que essa é uma prática quase que normal no Brasil. Tudo é criado com uma boa intenção, mas depois vira máfia. Sou apenas um usuário de táxis, mas mesmo assim percebo que sempre tem alguém tentando levar vantagens, seja porque paga pra isso, ou porque parece uma prática corriqueira na corrida pela sobrevivência. Só acho que cada profissional do táxi tem qualificação pra exercer a profissão e dela depende pra criar os seus filhos. É preciso uma fiscalização mais séria no setor e uma tomada de atitude pelas autoridades competentes para averiguar em loco e descobrir quem está sendo injustiçado nesse caso em especial. É inadmissível que nos dias de hoje ainda se fala em perseguição desse ou daquele profissional, é nesse momento, que os colegas de profissão deve se unir ao injustiçado porque hoje é um, mas numa outra ocasião o perseguição pode mudar de direção.
por Carlos Pedrosa, em 26/04/2013 às 10:31
Amigão, em CUIABÁ a coisa não é diferente. O Ministério Público nada faz para apurar essas irregularidades, a prefeitura fecha os olhos e fica tudo por isso mesmo. Tem um cidadão em CUIABÁ que possui mais de 40 (QUARENTA) PONTOS, ISSO MESMO, UMA MESMA PESSOA É "TITULAR" DE MAIS DE 40 (QUARENTA) PONTOS DE TAXI, QUE ELE ARRENDA PARA TERCEIROS, O QUE É PROIBIDO POR LEI. O NOME DELE É DEUSDETE N. SANTOS.
por ZE DA GUARITA, em 26/04/2013 às 10:20
EU NÃO ENTLENDO COMO É QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO PERMANECE INERTE. AQUI EM CUIABÁ O COMÉRCIO DE PONTO DE TAXI ROLA SOLTO!!!!
Sitevip Internet