Notícias / Mundo

18/07/2013 - 18:35

África do Sul comemora os 95 anos de Mandela, que continua hospitalizado

G1

Com centenas de eventos em todo o país, a África do Sul comemorou o 95º aniversário de seu herói nacional, o ex-presidente Nelson Mandela, que continua hospitalizado em estado grave, mas sua saúde vem apresentando melhoras.

As homenagens e os votos de felicidade para o ícone da luta contra o regime racista do 'apartheid' chegaram de todos os pontos do país e de pessoas de todas as raças e condições sociais, confirmando, mais uma vez, a admiração quase unânime que sua figura desperta nas pessoas.

O dia foi marcado desde as primeiras horas da manhã pelo otimismo em relação à recuperação do primeiro presidente negro da África do Sul, depois que a Presidência informou que a saúde de Mandela está melhorando 'em um ritmo constante'.

O ponto nevrálgico do dia foi o hospital de Pretória, onde Mandela está internado desde o dia 8 de junho pela recaída de uma infecção pulmonar.

No hospital, Mandela recebeu a visita de familiares, assim como do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, e da ministra da Defesa, Nosiviwe Mapisa-Nqakula.

'Quando o visitei hoje, o encontrei realmente estável e pude lhe dizer 'feliz aniversário'. E ele foi capaz de sorrir', disse Zuma.

A ministra, que entregou ao ex-presidente um cartão de aniversário, afirmou que Mandela 'abre os olhos e mexe com a cabeça como quem está querendo dizer: 'Estou aqui com você e lhe agradeço pelo que você está fazendo''.

Em frente ao hospital, várias pessoas se reuniram para desejar um feliz aniversário a Mandela, além de deixaram cartões de parabéns e flores.

Uma das dedicatórias que mais chamou a atenção foi a de um grupo de alunos de uma escola de Soshanguve, um bairro marginalizado ao norte de Pretória, que cantaram 'Feliz aniversário ao nosso Mandela!'.

Em um ambiente festivo, milhões de sul-africanos dedicaram hoje 67 minutos para realizar obras de caridade e trabalhos comunitários, em lembrança aos 67 anos que Mandela dedicou na luta contra o 'apartheid' e em defesa dos direitos humanos.

Esse costume foi adotado em 2009, após a ONU ter estabelecido a data do aniversário do antigo estadista como o 'Dia Internacional de Nelson Mandela'.

Por toda a África do Sul, escolas, igrejas, centros sociais, empresas e pessoas deixaram seus afazeres por mais de uma hora para pintar colégios, recolher lixo da rua, distribuir comida aos necessitados e roupas aos indigentes.

No antigo gueto negro de Soweto, o centro da resistência contra o 'apartheid' e onde Mandela viveu durante décadas, o ministro sul-africano de Prisões, Sbu Ndebele, liderou os trabalhos comunitários de um grupo de detentos.

Os presos ajudaram a reformar e pintar um orfanato e distribuíram os alimentos cultivados nas fazendas da prisão entre as famílias pobres.

No outro extremo do país, na Cidade do Cabo, a empresa que administra o aeroporto da cidade comemorou a data enviando ontem 67 adolescentes de bairros pobres, próximos do aeroporto, para passarem a noite na antiga ilha-prisão de Robben Island.

Com essa iniciativa, a companhia pretende que os jovens estudantes sintam de alguma maneira como foram os 27 anos que Mandela passou preso nessa ilha.

Para isso, ex-prisioneiros políticos e antigos companheiros de Mandela explicaram aos jovens como era a vida ali, informou hoje o Aeroporto Internacional da Cidade do Cabo em comunicado.

No momento mais oficial da agenda de eventos, o presidente sul-africano e seus ministros fizeram um tributo a Madiba - forma como Mandela é comumente chamado no país - e participaram de diversas atividades solidárias.

O último presidente do 'apartheid', Frederik Willem De Klerk, que dividiu em 1993 o Prêmio Nobel da Paz com Mandela, também se juntou à festa e pediu a celebração da 'extraordinária contribuição que ele fez para a África do Sul e todo o seu povo'.

Do exterior vieram muitos votos de felicidade para Madiba, como os do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e sua esposa, Michelle, que enviaram uma mensagem de felicitação a Mandela e pediram que o mundo o homenageasse em seu Dia Internacional.

Obama confessou que sua família ainda está comovida com a recente visita que fizeram à cela onde Mandela ficou preso na Ilha de Robben. Para o presidente americano, 'Mandela será sempre um exemplo de força e inspiração por seus valores morais, sua bondade e humildade'.

O Dia Internacional de Nelson Mandela também foi celebrado com emoção na Assembleia Geral da ONU, onde o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, classificou Madiba como um 'gigante do nosso tempo'. EFE