Olhar Direto

Terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias / Educação

Autor da maior fraude científica do Brasil é exonerado da UFMT

Da Redação - Priscilla Silva

13 Fev 2014 - 12:05

Foto: Reprodução

Autor da maior fraude científica do Brasil é exonerado da UFMT
O autor da maior fraude científica do Brasil foi demitido da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) depois de um longo processo administrativo disciplinar instaurado há mais de dois anos. Denis de Jesus Lima Guerra deixou de corpo acadêmico da instituição desde o dia 13 de janeiro deste ano, conforme publicação no Diário Oficial da União.

Leia mais: Professor da UFMT é acusado da maior fraude científica do Brasil

O polêmico caso de Denis Guerra foi tema de uma reportagem da revista Piauí, de 2011. A publicação revelou que o Brasil aparecia no mapa da fraude cientifica mundial pela primeira vez com este caso. Segundo a UFMT, a demora do processo foi devido a inúmeras prorrogações e à complexidade dos fatos e, ainda, à realização de análises periciais, documentais e testemunhais.

Guerra recebeu uma penalização severa depois de ter forjado onze artigos anulados pela Elsevier, maior editora científica do mundo, conforme publicou a Piauí. Ainda de acordo com a edição da revista, “ele e seus coautores foram acusados de forjar dados obtidos por ressonância magnética nuclear usados nos artigos”.

Até agora, este foi o maior episódio de fraude envolvendo grande quantidade de artigos forjados e má conduta de pesquisadores brasileiros.

Com base em cinco infrações, ele foi afastado por valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública; improbidade administrativa; de não ter sido leal à instituição a que serve; e, não ter observado as normas legais e regulamentares.

Denis Guerra fez sua última atualização do currículo Lattes, no dia 5 de fevereiro deste ano e ainda escreve que é professor adjunto do Departamento de Recursos Minerais e dos Programas de pós-graduações em Geociências e Química da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT.

De acordo com a UFMT, a instituição só tomou conhecimento do caso no dia 15 de abril de 2011, quando uma Comissão Investigativa foi composta para apurar as denúncias da Editora Elsevier. Depois de formado o grupo deu início ao processo administrativo disciplinar contra o professor.

Em 19 de agosto de 2011, após a entrega do relatório da Comissão Investigativa, foi designada a Comissão Processante, composta por dois membros procuradores federais e um professor da UFMT. Esta comissão concluiu os trabalhos em dezembro de 2013, com a decisão de exoneração, pela UFMT, no dia 13 em janeiro de 2013.

A instituição também ressaltou que zela pela qualidade e credibilidade de suas produções científicas. Por isso, lamenta que esse caso tenha ocorrido, sobretudo em um momento de expansão de sua graduação, pós-graduação e pesquisa: nos últimos cinco anos a UFMT recebeu mais de 500 novos doutores e ampliou o número de cursos de pós-graduação stricto senso, passando de 24 para 47 cursos, sendo 35 mestrados e 12 doutorados.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Denuncia
    09 Abr 2015 às 22:35

    PLAGIO: http://premio2014.mi.gov.br/documents/10157/15660/Projeto desclassificado.pdf?version=1.0

  • EDSON
    10 Out 2014 às 15:33

    http://edsonjnovaes.wordpress.com/2014/10/08/nada-se-cria-tudo-se-copia/

  • De Olho
    14 Fev 2014 às 13:46

    Letícia... acho q vc devia procurar direito as coisas antes de falar asneira... clica no link: http://www.portaldatransparencia.gov.br/expulsoes/detalheServidor?codigoPunicao=14677

  • De Olho
    14 Fev 2014 às 13:44

    Rogério... vc não entende o q lê ou é do tipo q já foi "arrebanhado" pela mídia urubu... o texto deixa claro que esse é o PRIMEIRO caso de fraude grande do Brasil... que cientistas de países como Alemanha, Coréia do Sul, China, Estados Unidos e afins já foram pegos antes... Deixa de ser vira-latas...

  • MARCIO DE ANDRADE BATISTA
    14 Fev 2014 às 13:23

    SENHA = PRODUTIVIDADE CIENTIFICA + BOAS NOTAS + TRABALHOS EXTRAS + PRÊMIOS + IC + EXPERIENCIAS EM AULAS.....ETC

  • P/ Cleber Silva
    14 Fev 2014 às 13:23

    Observa a educação e o nível da linguagem usada pelo doutorando. Se agora já está assim, imagina o depois com doutorado.

  • Neuza Bini
    14 Fev 2014 às 02:38

    ainda estão nessa de privilegiar os das panelas? onde está a tão prometida Universidade democrática? qualquer dúvida a respeito conto algumas histórias a respeito. rs

  • Cleber Silva
    13 Fev 2014 às 22:42

    Qual a senha para fazer mestrado ou doutorado? O comentario e tao idiota quanto o autor que nao teve coragem de se identificar... Sou doutorando e ralei muito para estudar, enquanto um idiota desse destila asneiras aqui...

  • Leticia
    13 Fev 2014 às 18:14

    Mas ele continua no portal da transparência como servidor efetivo e recebendo. Que coisa não é mesmo reitora...

  • Paulo Justos Kuiabano
    13 Fev 2014 às 17:51

    A UFMT precisa vir a público expor os resultados das "Pesquisas Científicas". Tem que dizer a sociedade que ela não é apenas figurante ou fabricante de títulos e titulados ,mas, uma instituição que realmente promove retorno social por tudo de investimento que recebe nacional e internacional. Não havendo resultado/retorno social a altura dos investimentos recebidos por ela, ficaria a pergunta: Ela está servindo a sociedade como deveria? Quem faz essa avaliação somos nós quem pagamos nossos impostos por tão altos investimentos e não vemos os resultados em nosso cotidiano. Sugiro que poderia haver um Conselho singular e representativo de todas os poderes institucionais e não institucionais para fazer essa avaliação e fixar metas também para essa instituição já que é pública e portanto de interesse público.Mais que titulados precisamos de resultados/retorno para toda a população mato-grossense e brasileira, caso contrário, refaço a mesma pergunta já postada aqui: Qual é a senha para tão pouca produtividade e raríssimos retornos social.

Sitevip Internet