Olhar Direto

Sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Notícias / Cidades

Veículos pesados continuam a transitar por ponte e secretário vê risco para outros motoristas; fotos

Da Redação - Wesley Santiago

19 Mai 2017 - 08:20

Foto: Semob

Veículos pesados continuam a transitar por ponte e secretário vê risco para outros motoristas;  fotos
Os motoristas de veículos pesados continuam a transitar pela ponte Benedito de Figueiredo, na Avenida Quidalguro Fonseca, região do Coxipó. A passagem de caminhões está proibida no local, mas mesmo assim os agentes da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) flagram os motoristas todos os dias passando pela região. O secretário da pasta, Antenor Figueiredo, lamentou o fato: “Imagina se aquilo começa a trincar?”.

Leia mais:
Para coibir caminhões, Semob dá início a fiscalização de videomonitoramento em ponte
 
“Fico triste em saber que as pessoas continuam a não respeitar a vida dos outros. Na semana passada, eu mesmo fiz a apreensão de um caminhão de 25 toneladas. Tivemos que instalar uma câmera no local para inibir quem passa com carga pesada por lá. O pior é que este veículo pesado pode deixar uma armadilha para quem vem depois. Imagina se aquilo começa a trincar ou da outro tipo de problema?”, questiona o secretário em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.
 
Enquanto a reportagem conversava com o secretário, pelo menos dois flagras foram feitos pelos agentes de trânsito que acompanham o monitoramento das câmeras espalhadas pela capital mato-grossense. O valor da multa para quem for pego desrespeitando as orientações é de aproximadamente R$ 300 reais.
 
“Mandei duplicar os blocos de concreto porque as pessoas estavam afastando os blocos para passar por lá. Colocamos o limitador de altura, mas ficou tudo amassado, levaram embora. É triste ver que não respeitam. Infelizmente, o único jeito é multar estes infratores”, finaliza o secretário.
 
A ponte, que interliga o bairro Jardim Califórnia (Av. Beira Rio) com a Avenida Engenheiro Quidauguro Fonseca, no bairro Coophema, região do Coxipó, foi interditada no mês de fevereiro pela Defesa Civil depois que o órgão identificou um processo de desbarrancamento em uma das cabeceiras da edificação.
 
A fim de garantir uma maior fluidez no trânsito a Prefeitura de Cuiabá realizou uma ação emergência no local, até que o Governo do Estado realize as obras definitivas. A medida paliativa permitiu a desobstrução da Avenida Fernando Corrêa da Costa, que passou a receber um maior fluxo de veículos após a interdição. Na ponte, foram instalados longarinas de sustentação, além de 16 placas e selamento de barras de ferro, para evitar possíveis deslizes de pneus de carros, vans e motocicletas.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Xavier
    19 Mai 2017 às 16:21

    Na realidade o município deveria obrigar a empresa que construiu a ponte a realizar os devidos consertos que se fazem necessários, pois, a obra tem que ter garantia. Não tem nem cinco anos de construída. Estão esperando que venha o próximo período de chuva e que desbarranque de novo. Que se faça uma força-tarefa, que a obra estará pronta em poucos dias.

  • Maria José
    19 Mai 2017 às 11:19

    É muito triste tudo isso! A falta de respeito e até mesmo falta de educação desses motoristas que sabem que é proibido e mesmo assim ainda passam por lá, não se preocupam a com vida do próximo! Será que eles não pensam que pode acontece alguma tragedia? Utilizo essa ponte todos dias para ir pro meu trabalho, senti na pele o sufoco que foi pegar a Av. Fernando Correia na ida e volta do trabalho! Por isso deixo aqui o meu apelo e peço encarecidamente, para que pensem um pouco em tantas pessoas como eu que necessitam transitar por essa rua e passar por essa ponte! E outra o governo tem culpa que a obra foi mal executada? Tem sim! Tem que resolver o problema de forma definitiva? Claro que sim! Mas então pra que piorar o que já não ta bom? Cobrar dos governantes é fácil, mas porque cada um não faz sua parte? Fica aqui minha indignação e revolta!

  • luciano
    19 Mai 2017 às 09:46

    Esta obra não está na garantia dos 5 anos ? Não cobram porque com certeza levaram alguns.......

  • Anderson
    19 Mai 2017 às 09:39

    Ainda bem que quem executou a medida paliativa fez muito bem feito. Acho que o Governo do Estado vai acabar deixando como está.

  • ana
    19 Mai 2017 às 09:31

    é lamentável as autoridades ver tudo isso e não tomar nem uma providencia neste caso, enquanto não acontecer alguma coisa grave uma tragédia neste local ninguem vai tomar providencia isso pq ja fazer mais de 06 meses essa situação, é lamentável tudo isso.

  • Ana Claudia
    19 Mai 2017 às 09:29

    Isso mostra a INCOMPETÊNCIA dos gestores com erário.

  • CUIABANO
    19 Mai 2017 às 08:49

    É LAMENTÁVEL SIM, MAIS LAMENTÁVEL É O SECRETÁRIO E PREFEITO VER TUDO ISSO E NÃO AGILIZAR O CONCERTO DA PONTE QUE FOI MAL FEITA, TUDO POR CAUSA DE DINHEIRO E O SENHORES ESTÃO VENDO DE CAMAROTE E NÃO TOMAM ATITUDE LOGO, É MELHOR ENTÃO INTERDITADA TUDO NO BRASIL É DEMORADO ATÉ ACONTECER UMA TRAGÉDIA.

Sitevip Internet