Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Notícias / Política MT

Taques e Lucimar lançam PAC de R$ 168 milhões para garantir água tratada e esgoto em Várzea Grande

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

27 Jul 2017 - 14:20

Foto: Ronaldo Pacheco / Olhar Direto

Lucimar Campos lembra que o sonho está sendo realizado, com as obras do PAC em Várzea Grande

Lucimar Campos lembra que o sonho está sendo realizado, com as obras do PAC em Várzea Grande

Depois de mais de uma década de idas e vindas, a Prefeitura de Várzea Grande vai colocar na vida dos cidadãos mais de R$ 168 milhões em investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O governador José Pedro Taques (PSDB) e a prefeita Lucimar Sacre de Campos (DEM) e o ex-senador Jayme Campos, secretário de Assuntos Estratégicos, fizeram a assinatura dos contratos para imediato início das obras, nesta quinta-feira (27), em cerimônia presenciada por ais de mil pessoas, na porta do Palácio Júlio Domingos Fiote de Campos, em Várzea Grande.
 
 “Dezenas de bairros estão sendo beneficiados. A prefeita Lucimar Campos está fazendo uma administração com qualidade diferenciada; prova disso é que conseguimos desenterrar, enfim, o recurso que estava enterrado, igual a cabeça de burro, para milhares possam ter condições de receber água e esgoto, viver com mais dignidade”, observou o chefe do Poder Executivo.
 
Leia Mais:
- Lucimar Campos vai investir 70% do orçamento de Várzea Grande em infraestrutura

- Jaime Campos confia em reverter no TRE decisão que cassou Lucimar por não haver existência de ilícito

Já a prefeita lembrou que, em 2015, soube que o PAC estava paralisado, com previsão de investimentos da ordem de R$ 450 milhões, já considerados perdidos, por gestões anteriores. Foram reconquistados quase R$ 210 milhões, mas Lucimar ainda sonha com 100% do PAC, porque os valores estimados tendem a serem ampliados em conformidade com a execução de obras e ações de interesse da população.
 
“Sonhar é acreditar. Sonhar é cuidar. E nós fomos felizes nas parcerias importantes e fundamentais, seja com o governo do Estado, na pessoa do governador Pedro Taques, seja com os senadores, deputados federais e estaduais que honram os pleitos de Várzea Grande, trazendo benefícios para que o município atenda sua gente e suas necessidades”, argumentou Lucimar Campos.
 
O secretário de Assuntos Estratégicos recordou que, além do PAC, estão asseguradas verbas para asfalto. “Lucimar Campos acorda às 5 horas e logo começa a trabalhar. Hoje, a Prefeitura de Várzea Grande tem crédito. Temos entrada na Caixa Econômica Federal com projeto de financiamento de R$ 150 milhões para pavimentação de 160 quilômetros até 180 quilômetros de ruas e avenidas”, explicou Jayme Campos.
 
Líderes comunitários e representantes de dezenas de 80 bairros superlotaram a área frontal do Palácio Júlio Domingos Fiote de Campos, no Paço Couto Magalhães.
 
Após permanecer paralisado por quase 10 anos, inclusive levando alguns para cadeia, devido a  investigações por irregularidades nas licitações e nos contratos firmados em gestões passadas, o PAC ressuscitou. E mais: Lucimar teve de resolver a falta de certidões de regularidade fiscal da Prefeitura de Várzea Grande, para resgatar os recursos que são a fundo perdido, mas exigem contrapartida do Tesouro Municipal. E, também, vai conseguir executar parcela considerável das obras de pavimentação asfáltica e esgotamento sanitário.
 
Além da continuidade e reforço destas duas frentes de trabalho, começará nos próximos dias a execução das obras de captação, tratamento e distribuição de água potável para atender a 100% da  população da segunda maior cidade de Mato Grosso. E, em sendo assim, deve dobrar o volume de água captada, tratada e distribuída, finalmente  solucionando um dos mais graves problemas da Cidade Industrial, que é a falta de água potável.
 
Jayme Campos citou que, para esgoto sanitário estão previstos R$ 83 milhões em obras e, para o abastecimento de água, outros R$ 85 milhões, totalizando R$ 168 milhões. “Recursos que representam melhor qualidade de vida para toda a população de Várzea Grande”, destacou o secretário de Assuntos Estratégicos.
 
Lucimar Campos recordou que muitas licitações realizadas representaram economia entre a proposta apresentada pelos fornecedores e a que foi aprovada. “Fazemos economia para os cofres públicos, sem perder a qualidade nos produtos adquiridos e nas obras em execução”, justificou ela.
 
Pedro  Taques enalteceu a atuação da bancada de Mato Grosso no Congresso Nacional, principalmente o senador José Aparecido Cidinho Santos (PR), e o deputado federal Nilson Leitão, presidente regional do PSDB, para convencer o ministro das Cidades, deputado Bruno Araújo (PSDB), sobre a importância do PAC. Agora, Taques e Lucimar devem ter nova audiência com Bruno Araújo para  abrir discussão  que pode resultar na ampliação do PAC, mas a principal intenção é redimensionar e acelerar as obras do programa que estão previstas para serem concluídas até 2025.
 
Jayme Campos assinalou que a demanda hoje por água e esgoto é muito grande, no município, cuja sua população, mesmo em época de crise, tem crescido em média de 7% por ano –  o que acaba demandando por parte do Poder Público, a necessidade de mais obras em setores essenciais.
 
“Existe um cronograma de obras e ações sendo executados e, mesmo havendo recursos disponíveis, a capacidade de se implementar é limitada. Tanto é que, em vez de somarmos o valor global do PAC de R$ 450 milhões, no Orçamento Anual, nós preferimos promover a reserva orçamentária e inserir apenas o que será executado nos 12 meses do ano”, complementou Jayme.
 
Para ele, se a administração municipal conseguir aplicar uma média de R$ 80 até R$ 125 milhões por ano,Várzea Grande estará mais do que contemplada com obras essenciais e avançando na execução do PAC que é importante para se melhorar o IDH do Município que é considerado alto, mas está aquém da realidade.
 
O PAC é subdividido em projetos socioambientais: PAC Pavimentação e Drenagem; PAC Esgotamento Sanitário; PAC Abastecimento de Água; PAC Habitação para Áreas de Risco; PAC Recuperação de Lagoas e Trabalho Técnico Social.
 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Carmem
    28 Jul 2017 às 09:13

    Como é que vai ficá, Brasília anuncia corte de 35% no PAC. Será que mais uma vez anunciam uma oisa e será outra? Moro no centro e esgoto nem pensar. água melhorou, mas não é a qualidade que desejamos para pessoas idosas e crianças.

  • Carolina
    28 Jul 2017 às 02:14

    Água e esgoto são problemas cônicos aqui de VG, nunca ou pouco teve, apesar dos campos sempre anunciarem obras nesse sentido. Espero que desta feita realmente elas sirvam para alguma coisa, ou seja, servir a população.

  • Benedita de Avela Martins
    27 Jul 2017 às 17:01

    Na verdade uma pergunta a prefeita está dizendo que as verbas vai beneficiar a população de vg gostaria de saber dela sobre as obras do bairro jd. Paula 2 tem trabalhador nas ruas aqui no bairro mais a conversar e que vai asfaltar somente uma rua onde vai passar os ônibus dele

Sitevip Internet