Olhar Direto

Notícias / Política MT

Sem dinheiro, Governo de Mato Grosso admite escalonamento de salário dos servidores

Da Reportagem - Érica Oliveira e Carlos Gustavo Dorileo / Da Redação - Ronaldo Pacheco

01 Nov 2017 - 08:10

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Sem dinheiro, Governo de Mato Grosso admite escalonamento de salário dos servidores
O governo de Mato Grosso não tem dinheiro suficiente para honrar o salário dos quase 100 mil servidores públicos do Poder Executivo, no próximo dia 10. A explicação partiu do secretário-chefe da Casa Civil, deputado Max Russi (PSB), ao justificar a pressa do governador José Pedro Taques (PSDB) em cobrar urgência do governo federal no reapsse do Fundo das Exportações (FEX) e a dívida da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).   
 
Além disso, o governo repassou aos poderes Legislativo e Judiciário e ainda ao Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado (TCE) somente os valores suficientes para quitar a folha de pagamento de cada instituição. O restante será cumprido quando houver dinhieor.

Leia mais:
- Governo Taques confirma liberação de R$ 496 milhões do FEX para MT em dezembro

- Executivo deve quase R$ 700 milhões para poderes e não tem prazo para quitar; PEC do Teto vai amortizar R$ 360 milhões
 
Max Russi desmentiu que a tabela de escalonamento dos salários, divulgada insistentemente nas redes sociais, tenha sido divulgada pelo governo, apesar da dura realidade. “A imagem não é verdadeira, mas  admitimos a possibilidade do escalonamento de salários. Se não tivermos entrada de recursos novos até  o próximo dia 10, teremos dificuldade de honrar com o compromisso de toda a folha. É o desejo do governador Pedro Taques de priorizar, mas nós teremos dificuldade de ter dinheiro para cumprir isso”, afirmou Russi, ao lado dos secretários Gustavo Garcia, de Estado de Segurança Pública; e Kleber Lima, de Comunicação, ao fim de entrevista coletiva, no Salão Garcia Neto do Palácio Paiaguás, nesta terça-feira (31).   
 
“Queremos pagar tudo na data certa. Mas, não podendo cumprir, haverá uma faixa salarial de quem ganha até quatro ou cinco mil reais, para pagar [no dia 10], o que corresponde mais ou menos 80% dos servidores do Estado”, avisou Max, em resposta à reportagem do Olhar Direto..
 
O titular da Casa Civil citou que houve compreensão dos poderes, que receberam o mínimo. “O compromisso que temos com os poderes foi cumprimento, com  o mínimo necessário para a folha de pagamento. E  foi cumprido com Assembleia, Tribunal de Justiça,  TCE e Ministério Público”, citou ele.
 
A confiança no ministro da Agricultura e Pecuária, senador mato-grossense Blairo Maggi, para que seja quitado o débito da Conab enche de esperança o staff do governador Pedro Taques. “O dinheiro da Conab é o nosso desejo. O governador esteve ontem [segunda-feira] em Brasília atrás de dinheiro. A cobrança do FEX já avançou, com apoio da  bancada federal”, sintetizou, citando os deputados federais Victório Galli (PSC), Rogério Silva (PMDB), Fabio Garcia (PSB), Nilson Leitão (PSDB); e os senadores José Aparecido Cidinho Santos (PR) e Wellington Fagundes (PR), entre outros.
 
Existem também algumas ações da Procuradoria Geral do Estado (PGE), em cobrança fiscal, já que no próximo mês não vai ter recursos da Conab nem do FEX.

“A partir de 2019, o FEX vai entrar  todo mês. O problema é que a nossa folha salarial, nos últimos anos, vem crescendo muito mais que a nossa receita. É fruto de discussões, embates e leis aprovadas. Mas vamos melhorar a receita”, prometeu o chefe da Casa Civil.
 
Max Russi entende que as receitas de Mato Grosso estão se comportando melhor. “Nós já geramos mais de 30 mil novos postos de empregos e isso  mostra que economia do Estado está começando a reagir. Isso é um indicador positivo”, citou ele. “Esses R$ 400 milhões a menos em recursos do governo federal é que estão fazendo falta em nosso caixa. E faze com que nós não consigamos honrar os nossos compromissos”, lamentou Russi.
 
Blairo Maggi projetou a liberação dos recursos da Conab para os próximos dias. “Temos um ministro de Mato Grosso no Ministério da Agricultura [Maggi]. E o governador tem se dedicado muito a ir atrás de recursos. No caso da Conab, temos o REFIS: a dívida de R$ 650 milhões, pode ser paga por pouco mais de R$ 100 milhões. Temos muita fé e muita esperança de que nós vamos receber neste ano”, sintetizou Russi.

38 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Moacir paelo camarao
    07 Fev 2018 às 08:15

    Cadê o judiciário para bloquear as contas do Estado e pagar os funcionários públicos

  • Moacir paelo camarao
    11 Jan 2018 às 05:44

    O governo fala que não tem dinheiro para pagar os salários em dia mais dinheiro para pagar ex secretário pagou licença prêmio ai pergunto cadê o ministério público do Estado ,esse Pedro Taques está sendo conivente com o crime o dele está guardado vai ser nas urnas,e o MP para quem não sabe é o fiscal das leis obrigado MP

  • Moacir paelo camarao
    11 Jan 2018 às 03:37

    Eu trabalhei e quero meu pagamento é meu direito de o Pedro Taques não tem competência ,e fácil vai embora para sua casa talvez a mulher dele aguenta ele ,mais para os poderes ele paga certinho e o medo de bloqueio das contas né seu Pedro Taques e seu está bem guardado vai ser nas urnas pode esperar com certeza

  • Armindo de Figueiredo Filho Figueiredo
    02 Nov 2017 às 12:52

    DE NOVO????Já estamos cansado desse "DISCURSO BARATO E DEMAGOGO"!!!POXA"!!!! todo final de mês, a mesma ladainha, a mesma desculpa, os mesmos dizeres...ORA BOLAS!!! Até quando, vamos deparar com a INCOMPETÊNCIA desse governo??? Essa "CRISE", que estão relatando, na mídia toda, sempre pela equipe econômica "DESASTROSA", não TERMINA???? Até quando vai responsabiliza-la a "crise", pela má gestão e inoperância? Os índices Econômicos (estão subindo positivamente) que a mídia, vem nos mostrando diariamente. O país, já saiu do "SUFOCO" há muito..ORA BOLAS DE NOVO!!! A culpa de "NÃO TER DINHEIRO" é desculpa esfarrapada, perante uma crise que não mais existe. Basta verificar os aumentos (consumos), nas industrias, nos supermercados, em todas as lojas dos shopping (estão esperando um aumento (expectativa/natal), de mais de 6% em relação ao mesmo per´odo do ano passado. isso mostra que todos os setores da economia já reagiram, e vão reagir ainda mais. NA VERDADE,O GOVERNO DE MT, TEM QUE PARAR DE CULPAR A CRISE (que não existe mais) PELA SUA INCOMPETÊNCIA. E também , com essa ""LENGA LENGA" ", de colocar os ""Servidores Públicos"", em "PÂNICO" todo mês.

  • Teka Almeida
    02 Nov 2017 às 11:37

    Só vou fazer um lembrete aos que comentam que funcionários públicos deveriam pedir demissão e ir para a iniciativa privada. O estado é uma máquina, faltando dinheiro para o funcionário público, falta dinheiro no comércio, com isso o dinheiro não gira, não entra para quitação e compra e o resultado??? vocês com certeza pagarão o pato. Pois o seu PATRÃO visa LUCRO e você despesa, advinha por quem ele vai optar???? Então estuda e vai prestar concurso.

  • Teodoro da Silva Junior
    02 Nov 2017 às 11:34

    Parece-me que este não é o secretário que tem por incumbência falar sobre a situação das finanças!

  • Teka Almeida
    02 Nov 2017 às 11:21

    Só vou fazer um lembrete aos que comentam que funcionários públicos deveriam pedir demissão e ir para a iniciativa privada. O estado é uma máquina, faltando dinheiro para o funcionário público, falta dinheiro no comércio, com isso o dinheiro não gira, não entra para quitação e compra e o resultado??? vocês com certeza pagarão o pato. Pois o seu PATRÃO visa LUCRO e você despesa, advinha por quem ele vai optar???? Então estuda e vai prestar concurso.

  • Glaucia
    02 Nov 2017 às 08:42

    Devia pagar salário para quem trabalha no caso dos professores e pessoal da limpeza... o resto fingi trabalhar.

  • alexandre
    02 Nov 2017 às 08:00

    Vai atrasar, é fato, só vai receber em dia, o legislativo e judiciário, os mega salários e verbas indenizatórias. O executivo só dia 15.

  • alexandre
    02 Nov 2017 às 07:27

    Tá mais que comprovado que o rombo está em mega isenção fiscal pro agronegócio é prodeic prós amigos do rei, 4,9 bilhões de reais de prejuízo anual pras trades não pagar imposto.

Sitevip Internet