Olhar Direto

Terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Notícias / Cidades

Veja lista dos conduzidos em operação que investiga fraude de R$ 2,1 bilhões

Da Redação - Wesley Santiago/Da Reportagem Local - Vinícius Mendes

07 Dez 2017 - 14:18

Foto: Divulgação/PJC

Veja lista dos conduzidos em operação que investiga fraude de R$ 2,1 bilhões
A Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), da Polícia Judiciária Civil (PJC), divulgou a lista de pessoas conduzidas coercitivamente para prestar depoimento na manhã desta quinta-feira (7), quando foi deflagrada a ‘Operação Crédito Podre’. O grupo conseguiu fraudar R$ 2,1 bilhões, o que ocasionou um rombo de R$ 140 milhões aos cofres públicos.

Leia mais:
Veja lista com nomes de empresários, contadores, comerciantes e corretores presos em operação
 
Foram conduzidos coercitivamente nesta manhã: Claudio Soares Domingos; Uellinton R. de Assunção; Allan Carlos Wanderlaan de Oliveira; Heder Vanni Massarolo; Fabio Ferreira do Lago; Celio Rodrigues Vasconcelos; Paulo Renan Pires; Mauro Laurindo da Silva e Geovane dos Santos Lara.
 
Também foram cumpridos 16 mandados de prisão preventiva, nas cidades de: Camburiu-SC (1); Indaiatuba-SP (1); Rondonópolis-MT (1); Campo Verde-MT (1); Primavera do Leste-MT (3); Sorriso-MT (1); Barra do Garças-MT (1) e Cuiabá-MT (7). Além disto, também foram expedidas 34 ordens de busca e apreensão.
 
As investigações conduzidas pela Defaz apuram fraudes na comercialização interestadual de grãos (milho, algodão, feijão, soja, arroz, milho, sorgo, painço, capim, girassol e niger), com sonegação de mais de R$ 140 milhões em ICMS (imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços).
 
Os envolvidos no esquema responderão por crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, falsificação de documentos, uso de documento falso, uso indevido de selo público e sonegação fiscal.
 
O inquérito policial foi instaurado no dia 9 de fevereiro deste ano, após informações  encaminhadas pela equipe técnica da Secretaria de Estado de Fazenda (Defaz), para apurar suposta organização criminosa, que mediante documentos ideologicamente falsos e articulada para a comercialização de grãos, estava promovendo a sonegação de ICMS, gerando enorme dano aos cofres públicos do Estado de Mato Grosso.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por justiça
    08 Dez 2017 às 06:50

    E so colocar a PF para veriguar mais municipios ai sim o povo trbalhador fica contente porque so tem malandro vivendo a custa da enganação...

  • FABIO SCHNEIDER
    07 Dez 2017 às 15:39

    Só prenderam teste de ferro e laranja... OS que realmente ganharam dinheiro não estão ai...

Sitevip Internet