Olhar Direto

Sábado, 20 de janeiro de 2018

Notícias / Política MT

Pedro Taques aposta melhores fichas em unidade do grupo político e duvida da candidatura de Mendes

Da Redação - Ronaldo Pacheco

02 Jan 2018 - 17:14

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Pedro Taques acredita que seu grupo político continuará unido em 2018

Pedro Taques acredita que seu grupo político continuará unido em 2018

Blairo Maggi, Pedro Taques, Mauro Mendes, Jayme Campos, Nilson Leitão e outros pesos-pesados devem compartilhar o mesmo palanque na campanha eleitoral de 2018. E a projeção é do próprio governador José Pedro Taques (PSDB), que em vezes anteriores dizia não ser Mãe Diná tampouco Walter Mercado, não desviou do assunto, em entrevista para o jornal Diário de Cuiabá.
 
Leia também:
Caravana da Transformação chega a Cáceres e espera atender mais de cinco mil pessoas

O chefe do Poder Executivo avalia que Mendes estará junto, em seu projeto de reeleição. “Eu não trabalho com hipóteses. O Mauro Mendes nunca me disse que vai ser candidato. O grupo político está conosco. Ninguém percebe essa movimentação de candidato”, avaliou ele.
 
Tudo indica que Taques não leva em consideração a forte movimentação política de bastidores, alimentada pelo ministro da Agricultura e Pecuária, senador Blairo Maggi (PP), em que coloca o ex-prefeito Mauro Mendes (sem partido)  na cara do gol, para a disputa do Palácio Paiaguás. Maggi chegou a permitir que Mendes fosse o protagonista de um almoço de confraternização, com jornalistas, em sua residência, em dezembro.
 
No entanto, o governador crê ser possível reverter o quadro e arrastar todos para a mesma coligação. “O meu desejo é manter o mesmo grupo político [de 2014]. Nós temos bons candidatos e acredito que o diálogo pode construir um consenso. Existe espaço para todos”, ponderou ele, sem entrar em detalhes.
 
Até mesmo a insistência do deputado federal Nilson Leitão (PSDB) em sua pré-candidatura para o Senado, na visão de Taques, tende a ser resolvida sem traumas. “Nós teremos conversas nas próximas semanas para tratar disso. Pessoalmente, não tenho nada contra o Nilson Leitão. Se existe alguma divergência política nós vamos dialogar e resolver”, mniimizou ou chefe do Poder Executivo.
 
E, contrariando a boataria de que iria recorrer ao Diretório Nacional para “enquadrar” Leitão, antes das convenções partidárias de agosto, Taques diz ter fé de que irá equacionar tudo em Cuiabá. “Acredito que as questões internas do PSDB de Mato Grosso serão resolvidas aqui mesmo, sem interferência do diretório nacional”, proclamou ele.
 
A confiança do governador tucano está intrinsecamente ligada à projeção de melhora nas finanças do Estado. “Hoje eu tenho manga para vender relacionado à minha gestão. Nós tivemos muitas transformações nestes três anos. Agora que a gestão está caminhando para obter ainda mais êxitos. Vamos recuperar a capacidade de investimentos com o equilíbrio das contas públicas e o cidadão mato-grossense pode ter a certeza de que tem um governador compromissado com avanços na saúde pública, infraestrutura e executar políticas públicas de melhoria da qualidade de vida ao cidadão”, complementou Taques.

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por justiça
    03 Jan 2018 às 12:54

    corruptos nunca mais o povo tem que dar um limpa nesses enganadores os malfeitores fora ja e PF nele ja....

  • Maria
    03 Jan 2018 às 09:34

    E a fila título eleitor vai terminar quando?kkkk

  • João José
    03 Jan 2018 às 00:19

    Com grupo ou sem grupo estará na berlinda

  • por justiça
    02 Jan 2018 às 22:59

    vai pagar primeiros os trbalhadores seu governo nganador o povo ta de olho em voce enganador ogora com essas ciladas vai catar cpquihos FICA DE olho nos gafanhotos....

  • Chico
    02 Jan 2018 às 22:07

    Xô satanás!

  • Maria
    02 Jan 2018 às 21:57

    Ano do governador tomar mais empréstimos e realizar mais concursos pra acabar de vez com MT. Ano do eleitor tirar esse péssimo governador.

  • Marciano
    02 Jan 2018 às 21:55

    Um governo que criticou a corrupção do governo anterior, mas teve o coordenador de campanha preso por desvios de mais de 50 milhões. Criticou a gestão anterior pelo aumento do gasto corrente, mas contratou mais de 5 mil servidores para a Segurança Pública, inviabilizando o Estado.

  • Simões
    02 Jan 2018 às 21:46

    O prefeito de Cáceres fez uma pesquisa interna que apontou rejeição acima de 70% ao governador em Cáceres. Diante desse cenário provavelmente deve se filiar ao PP ou PR para sair candidato a deputado federal. Detalhe: Cáceres foi o município em que o Taques obteve maior votação proporcional.

  • Francis
    02 Jan 2018 às 21:45

    Atraso nos repasses dos municípios, atrasos na Saúde, atrasos de salários, denúncia de caixa 2 (declaração do Alan Malouf). Este governo só falta acabar, o que vai acontecer nas eleições de 2018.

  • Davi
    02 Jan 2018 às 21:44

    Como militante do PSDB vejo que os diretórios municipais precisam ser consultados sobre os rumos do partido. Do meu ponto de vista a reeleição do Taques com esse nível de rejeição popular e política se mostra inviável. O mais adequado seria indicar o vice do Mauro Mendes, que poderia ser o prefeito de Cáceres Francis do PSDB (que atrai voto da região Oeste) e o Leitão ao senado. Até os candidatos a deputado do PSDB seriam beneficiados em termos de votação porque é evidente que a rejeição ao governador trás um grande desgaste.

Sitevip Internet