Olhar Direto

Segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Notícias / Cidades

Preso por embriaguez, procurador é liberado após pagar fiança de um salário mínimo

Da Redação - Wesley Santiago

13 Jan 2018 - 14:52

Foto: Reprodução/Facebook

Preso por embriaguez, procurador é liberado após pagar fiança de um salário mínimo
O advogado e procurador da Prefeitura de Cuiabá, Rober Caio Martins Ribeiro, de 31 anos, preso na madrugada deste sábado (13) por dirigir com sinais de embriaguez pela contramão da avenida Presidente Marques, foi liberado após o pagamento de fiança no valor de um salário mínimo. Além disto, ele ainda estava com o documento atrasado.

Leia mais:
Procurador de Cuiabá é preso dirigindo na contramão e supostamente embriagado
 
Segundo as informações da Polícia Judiciária Civil (PJC), o procurador foi preso e encaminhado para a delegacia após se negar a fazer o teste de alcoolemia. Lá, foi arbitrada fiança no valor de um salário mínimo, que o advogado pagou para ser liberado. Conforme as policiais que atenderam a ocorrência, os documentos do carro dele (Jeta) estavam atrasados.
 
O carro do procurador foi apreendido e encaminhado para o pátio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) acabou apreendida pelas autoridades. Rober tomou posse como procurador do município em fevereiro de 2015.
 
O caso

O procurador da Prefeitura de Cuiabá, Rober Caio Martins Ribeiro, 31 anos, foi detido na madrugada deste sábado (13) ao ser flagrado por uma por policiais dirigindo pela contramão da Avenida Presidente Marques, em Cuiabá, com sinais de embriaguês. Ao ser detido, o procurador afirmou que havia acabado de deixar uma boate, mas se negou a fazer o teste do bafômetro.

De acordo com o boletim de ocorrências, os policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar faziam rondas pela região central da Capital quando avistaram um Volkswagen Jetta em ziguezague pela contramão. Ao abordarem o procurador, os policiais perceberam que ele apresentava sinais de embriaguez. Além disso, Rober estava com o documento atrasado.

A reportagem do Olhar Direto tentou contato com o procurador por meio de seu celular, mas as ligações não foram atendidas. Em nota, a Prefeitura de Cuiabá argumenta que o fato ocorreu fora do horário de trabalho e sem o uso de veículo oficial. A nota diz ainda que Rober deverá responder pelo caso como um civil e não como servidor municipal.

Veja a íntegra:

A infração cometida pelo procurador Rober Caio Martins Ribeiro aconteceu fora do horário de trabalho, sem o uso de veículo oficial da Prefeitura de Cuiabá. Nesta circunstância, ele responde pela ocorrência como um civil e não como servidor municipal.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ingrid
    15 Jan 2018 às 13:53

    Um funcionário público tem de ter moral ilibada! Punição pra esse infrator! Tem de ser exemplo!

  • Anna Arantes
    14 Jan 2018 às 09:24

    Esperar o que de um país que é um LIXO.

  • carlos
    14 Jan 2018 às 09:01

    uma piada FIANCA DE SALARIO MINIMO, para quem ganha acima de 10 salários mínimos

  • carlos
    14 Jan 2018 às 09:01

    uma piada FIANCA DE SALARIO MINIMO, para quem ganha acima de 10 salários mínimos

  • Jorge,Um brasileiro
    14 Jan 2018 às 01:25

    Enquanto "Divogado" se achar "otoridade constituída" , vai dar sempre essa merda ai!!!Deveria perde o emprego!

  • Cervante
    14 Jan 2018 às 00:15

    Fiscal do cumprimento da lei. Que pena. Que vergonha. Nosso país continua carente de integridade, de moralidade, de verdade.

  • Cervante
    14 Jan 2018 às 00:15

    Fiscal do cumprimento da lei. Que pena. Que vergonha. Nosso país continua carente de integridade, de moralidade, de verdade.

  • tcm.com
    13 Jan 2018 às 22:01

    SERÁ QUE ISSO VALE PRA TODOS OS BEBADOS???

  • Marcos Justos
    13 Jan 2018 às 19:08

    Olha, ridículo para o Delegado que árbitrou uma fiança ínfima dessa para o “poder aquisitivo” do delinquente. A fiança saiu mais barato do que a multa, deveria ter ficado preso!!!

  • Jucão
    13 Jan 2018 às 17:47

    Moleque sem noção. Não dá valor ao que tem e o que deva ser.

Sitevip Internet