Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Notícias / Política MT

Gilmar Mendes, Taques, Maggi, Riva e Mauro já são protagonistas de 2014

Da Editoria - Marcos Coutinho

22 Nov 2012 - 10:15

Logo após o encerramento do segundo turno das eleições em Cuiabá, com a vitória do empresário Mauro Mendes (PSB), a corrida sucessória para 2014 foi oficialmente aberta e alguns protagonistas já começam a despontar no horizonte da política mato-grossense, da mesma forma como ocorria desde o começo da década dos anos 80, quando os candidatos a governador já eram conhecidos e anunciados pelos partidos (leia-se na época MDB e PDS, depois PMDB, PFL, PDT, PSDB etc), quatro anos antes do pleito.

Com efeito, a sucessão de Silval Barbosa (PMDB), que deve deixar o governo para disputar uma cadeira no Senado da República em 2014 (hoje pertencente ao senador Jayme Campos, do DEM)  já tem alguns protagonistas carimbados, embora enrustidos pública e politicamente falando.

São eles: o ministro Gilmar Mendes (ex-presidente do Supremo Tribunal Federal), considerado um dos melhores nomes para aglutinar as forças políticas dispersas; o senador Pedro Taques (PDT), cujo anúncio de que "não fugirá de seu destino" foi feito ao Olhar Direto num perspecitva de ser candidato a governador; José Riva, presidente da Assembléia Legislativa, que assumirá o comando do Paiaguás quando Silval se lançar candidato ao Senado; o senador Blairo Maggi (PR), atualmente com um pé fora da sigla republicana (embora blefe neste aspecto); e o prefeito eleito da capitall, Mauro Mendes, que hoje jura de pés juntos que não é candidato em 2014.

Mas em se tratando de política, tudo é possível, especialmente nestas plagas pantaneiras. Wilson Santos (PSDB), por exemplo, também jurou com todas as forças possíveis que não deixaria o comando do Palácio Alencastro caso fosse reeleito, mas acabou indo para a disputa do Paiaguás em 2010 (e tomou uma surra daquelas históricas).

E Mauro Mendes pode sim ser candidato ao governo em 2014, sobretudo se o presidenciável do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, confirmar-se na disputa pela cadeira ocupada hoje por Dilma Rousseff. Quem não tem direito de sonhar ser governador e/ou de ser presidente da República ? Campos certamente quer ter o maior número de palanques possíveis nas capitais caso seu projeto de disputar a presidência seja viabilizado.

De Mendes para Mendes, o ministro Gilmar também sonha silente em ser governador de Mato Grosso. Para alguns mais íntimos, ele já sonha alto e os da intimidade transmitem os sonhos para a mídia. O deputado federal Júlio Campos (DEM) é um dos que sonham ter Gilmar Mendes como candidato a governador. Campos tem sido uma espécie de arauto da candidatura de Gilmar Mendes, o que seria a salvação do Democratas em Mato Grosso diante da desidatração nas últimas eleições, justamente pelo fato de não ter permitido a renovação política de seus quadros.

Blairo Maggi também já admite, para os mais íntimos, que pode ser candidato novamente ao governo e conta com apoio maciço do agronegócio e de outros setores da economia estadual que não escondem o descontentamento com a atual administração. Comedido, Maggi ainda seguro o ímpeto porque ainda é muito cedo para discutir o processo sucessório de 2014.

O senador Pedro Taques também pode ser considerado candidatíssimo ao cargo de governador. Aliás, nas articulações para consolidar a candidatura de Mauro Mandes, o senador pedetista bateu duro no sentido de assegurar que a candidatura do empresário socialista seria para quatro anos. Abertamente, Taques mandou um recado para Mauro Mendes ao afirmar que não aceitaria apoiar o projeto do PSB porque não poderia permitir que a Prefeitura de Cuiabá fosse usada como trampolim. Na réplica, Mendes afirmou que o mandato para senador também tem que ser para oito anos. Como chumbo trocado ñão dói, tanto Taques quanto Mendes reúnem sim condições para disputar o Paiaguás.
 
Quanto a Riva, o sonho de governar Mato Grosso depende de sua situação jurídica. Ele responde a quase uma centena de ações propostas pelo Ministério Público por supostas irregularidades administrativas e financeiras e desvio de recursos, além de fraudes em licitação. Riva vê perseguição do MP e denuncia a atuação política de setores do Poder Judiciário. O certo é que: com a máquina na mão e sem problemas judiciais, Riva é um forte candidato ao governo do Estado em 2014, apesar de todo desgaste político que tem em camadas sociais nas maiores cidades de Mato Grosso.

Mas para Riva assumir o comando do Paiaguás com a saída de Silval é necessário que o vice-governador Chico Daltro assuma uma vaga de conselheiro no Tribunal de Constas do Estado. Agora resta saber se Daltro está disposto a abrir mão de ser governador por oito meses para ser conselheiro vitalício do TCE.

Mais informações em instantes. 1ª atualização às 11h42

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Heider
    22 Nov 2012 às 18:07

    que horror, desses aí o menos ruim é o Pedro Taques.

  • edson
    22 Nov 2012 às 14:34

    Mauro Mendes foi eleito por ter convencido o eleitor de ficar os quatro anos na prefeitura e mostrar sua capacidade de governar e ai sim no seu segundo mandato escolher um vice de qualidade e partir pra um mandato de governo do Estado e com apenas 13 meses de prefeitura sair candidato a governo do Estado leva pau na certeza e ele é inteligente pra não fazer isso e a midia sabe disso

  • Carlos de Sá
    22 Nov 2012 às 14:07

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Vitor Hugo
    22 Nov 2012 às 13:45

    Gilmar Dantas Mentes, será da chapa do Jaime Campos. Num vem que não tem. Brairo vai ser vice de Riva. Taques vai ficar chutando o balde em Brasília, pois é o que sabe fazer. Mauro vai chupar a manga cheia de fiapo que ganhou do Galindo. Bem feito.

  • De Fora
    22 Nov 2012 às 11:39

    Destes aí citados, só não pode ser o TAL DE RIVA...!!!Se isso acontecer, Mato Grosso vai direto para o BURACO...

  • Sonia
    22 Nov 2012 às 11:35

    A chapa é Blairo (PSB)/ Silval (PMDB). Versus Taques (PDT)/ Serys (PDT). Blairo vai pro PSB pra junto com Ciro, minar a candidatura de Eduardo, à mando de Dilma. E pro PSB não apoiar Taques.

  • Sem mandato, vai ficar mto complicado!!!!
    22 Nov 2012 às 11:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Sem mandato, é cadeia!!!!
    22 Nov 2012 às 11:30

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • fernando
    22 Nov 2012 às 11:07

    Eu voto em Gilmar Mendes, tenho certeza que é o mas preparado, diante de todos que foram colocados nessa reportagem, não deixando de mencionar também, ele é filho da terra, matogrossense legítimo. Pode contar com meu voto.