Olhar Direto

Segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Notícias / Política BR

Advogado deixa sede da PF e reafirma que apenas explicou relação de amizade com Eder

Da Redação - Viviane Petroli/Patrícia Neves/Laíse Lucatelli

02 Dez 2015 - 07:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Advogado deixa sede da PF e reafirma que apenas explicou relação de amizade com Eder
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 02 de dezembro, a nona fase da operação Ararath. Estão sendo cumpridos entre Cuiabá e Várzea Grande 11 mandados de busca e apreensão e seis mandados de condução coercitiva.

Leia Mais:
Ararath: preso preventivamente por duas vezes e condenado a 69 anos, Eder terá que explicar “laranjas”

A operação visa desarticular mais um braço da organização criminosa, que segundo as investigações, estaria adquirindo empresas em nome de terceiros. Além disso, pagamentos estariam sendo efetuados através de instituições financeiras clandestinas (operadores financeiros), que ainda não tinham sido relacionadas nas investigações.

Os mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva foram expedidos pela 5ª Vara Federal de Mato Grosso.

De acordo com a Polícia Federal em Mato Grosso, constatou-se pagamentos de aproximadamente R$ 17 milhões no interesse da organização criminosa. A constatação veio após análise de documentos apreendidos em fases anteriores da Ararath e provas compartilhadas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região relacionadas à Operação MIQUEIAS, deflagrada pela Polícia Federal no Distrito Federal em setembro de 2013.

São investigados crimes, conforme a Polícia Federal, de operar instituição financeira clandestina, artigo 16 da Lei 7.492/86, crimes contra a administração pública, artigo 317 do Código Penal, lavagem de dinheiro, artigo 1º da Lei 9.613/98 e o crime de organização criminosa, artigo 2º Lei 12.850/2013.

14h25 - A assessoria da Polícia Federal informou que todos os mandados já foram cumpridos. Foram seis mandados de condução coercitiva e 11 mandados de busca e apreensão.

12h40 -  O advogado Marden Tortorelli  acaba de deixar a sede da Polícia Federal, em Cuiabá, onde prestou depoimento durante toda a manhã. Na saída, limitou-se a informar que  possui amizade com o ex-secretário Eder Moraes  e que apenas atua como advogado para o mesmo. Em 2013, durante a deflagração da operação Miquéias, o advogado que foi alvo de mandado de busca e apreensão, disse que mantinha um vínculo de amizade há mais de 20 anos com Moraes.

11h41-  O ex-secretário Eder de Moraes possui ligação com os conduzidos durante a nona fase da operação Ararath, deflagrada nesta manhã, e que  apura crimes de operação de instituição financeira clandestina,  contra a administração pública, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Moraes é um dos principais investigados pela ação e chegou a ser preso por duas vezes em maio de 2014 e abril de 2015.
 
Os conduzidos nesta manhã à sede da PF, em Cuiabá, são pessoas que adquiriam ou vendiam empresas investigadas. Também estão sendo ouvidos terceiros que faziam operações financeiras relacionadas ao pagamento dessas empresas.
 
Ainda segundo a Polícia Federal, um dos conduzidos trata-se de um empresário que não possui empresa legalmente constituída para atuação no ramo financeiro, mas não possui uma factoring legalmente constituída. 


11h11 -  A defesa do ex-diretor da TV Pantanal, Elvis Antônio Klauk e de Vera Dias Fanaia – conduzidos nesta manhã  à Superintendência da Polícia Federal, afirmou que ambos foram conduzidos como informantes. Por meio de nota, eles informaram que “ambos foram conduzidos apenas como declarantes, para prestar informações de interesse do juízo Federal, a respeito dos envolvidos na operação Ararath”.
 
A defesa esclareceu ainda que Elvis e a Sr. Vera não são réus nessa ação penal.  Ainda, de acordo com a nota, devido o sigilo processual nenhuma informação quanto ao depoimento pode ser informado.

10h56 - Dois advogados acabam de chegar a sede da Polícia Federal e foram encaminhados para o 5º andar. Os dois devem atuar na defesa do advogado Marden Tortorelli que presta depoimento nesta manhã.

10h33 -  O compartilhamento de provas entre a investigação Miquéias (deflagrada em Mato Grosso e mais nove estados) auxiliou a deflagração da nova fase da Ararath.  Segundo a Polícia Federal, provas encontradas naquela época evidenciaram ligações entre suspeitos. As duas ações, de acordo com a PF, nã possuem relação.
 
A operação Miquéias, desencadeada em setembro de 2013 investigava lavagem de dinheiro e fraudes má gestão de recursos de entidades previdenciárias públicas.  Na ocasião, o advogado Marden Elvis Fernandes Tortorelli teve sua residência e seu escritório como alvo de mandados de busca e apreensão. Na época, Tortorelli foi encaminhado a PF para prestar esclarecimentos. Marden, amigo particular do  ex-secretário Eder Moraes, atuou na defesa da esposa de Eder, Laura Costa perante à Justiça Federal. 

O ex-secretário Eder Moraes, é um dos principais alvos da operação Ararath e recentemente foi condenado a cumprir 69 anos de prisão por crime de lavagem de dinheiro. Marden Elvis seria um dos alvos da PF nesta manhã. 

Além dele, o empresário Elvis Antônio Klauk, que atuava na direção da TV Pantanal de Cáceres, ele encontra-se na PF e é acompanhado pelo filho advogado, Elvis Klauk.

10h11 - Até agora cumpridos quatro mandados de condução e sete de buscas. 

09h31 - A delegada Heloísa Faveri é responsável pela apuração do caso.

09h10 - A PF não confirmou a identidade de nenhum dos conduzidos coercitivamente, mas uma das pessoas encaminhadas a prestar esclarecimentos já foi liberada. 

09h08 -Os alvos dessa vez, na operação, são empresários e pessoas 'comuns'. A assessoria confirmou que não há nenhum servidor público envolvido ou políticos. 

09h05 - A Polícia Federal confirmou que um mandado de prisão foi cumprido em Várzea Grande e os demais em Cuiabá.

08h18 - A PF confirma que alguns dos conduzidos prestam depoimento. 

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • jose ricardo
    02 Dez 2015 às 15:35

    Agora sai com essa carinha de Madalena arrependida na foto. Na hora que tá comprando Mercedes fica rindo.

  • jose ricardo
    02 Dez 2015 às 15:29

    Advogado que tem dois clientinhos, passa dias sem ir no seu escritório e anda de Mercedes. Conduzido coercitivamente é ÓTIMO!!!

  • Gilson
    02 Dez 2015 às 12:48

    Interessante nisso tudo, complementando a operação Ararath que o pivô Jr. Mendonça que financiava e lavava dinheiro de toda essa bagunça nas suas empresas é tudo como herói por ter feito delação. Delação= assumir seus crimes! O tratamento diferenciado no caso dele até hoje é puramente porque patrocinou a campanha do Governador Pedro Taques. Oras, mas esse Governo, não é o da transformação?! Espero que desta vez coloquem a verdade no ar.

  • joaoderondonopolis
    02 Dez 2015 às 11:19

    Tem gente de Rondonópolis, vamos aguardar.

  • pedro neves
    02 Dez 2015 às 10:29

    empresário não é "pessoa comum"?

  • FERNANDO
    02 Dez 2015 às 10:09

    INTERESSANTE....CONTINUA TUDO DO MESMO JEITO.....A CIDADE UM LIXO, GOVERNADOR PASSEANDO (PRA VARIAR) NINGUÉM ATÉ AGORA DEVOLVEU NADA AOS COFRES PÚBLICOS..E ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE NESSE É BEM MT!!

  • LUCIANO MEDEIROS CRIVELLENTE
    02 Dez 2015 às 08:36

    ...dezembro...

  • Edinaldo
    02 Dez 2015 às 07:40

    02/12/2015 a data correta

Sitevip Internet