Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 22 de julho de 2019

Notícias / Leilões

Leilão do Pepro do milho é cancelado após milho apresentar valorização

Da Redação - Viviane Petroli

23 Out 2014 - 10:56

Foto: Reprodução/Internet

Leilão do Pepro do milho é cancelado após milho apresentar valorização
O leilão do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) do milho que seria realizado nesta quinta-feira (23) foi cancelado pelo Ministério da Agricultura após o cereal apresentar valorização no mercado interno. O cancelamento foi feito na quarta-feira (22). A oferta era de 910 mil toneladas de milho em grão proveniente de seis Estados, sendo 550 mil toneladas apenas de Mato Grosso. A saca de 60 quilos em Mato Grosso chegou a R$ 17 na última semana em Alto Araguaia.

O Ministério da Agricultura declarou que irá "avaliar para decidir quando entra novamente a programação dos leilões".

Leia também
Leilões do Pepro terão 770 mil t entre milho e algodão de MT
Governo mantém em R$ 13,56 o preço mínimo da saca do milho em MT

O milho mato-grossense que seria leiloado nesta quinta-feira estava dividido em quatro regiões. Na região Norte do Estado 200 mil toneladas seriam ofertadas, no Centro-Norte 80 mil toneladas, na Centro-Sul 120 mil toneladas e na Nordeste 150 mil toneladas. Goiás ofertaria de 90 mil toneladas, Mato Grosso do Sul 70 mil toneladas, Bahia 70 mil toneladas, Maranhão 65 mil toneladas e o Piauí 65 mil toneladas.

A comercialização estava sob o aviso de leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural de milho em grãos e/ou sua cooperativa - Pepro nº 185/2014.

No dia 22 de outubro a saca ficou em média cotada a R$ 13,43 no Estado, variando de R$ 11,70 em Sinop e Diamantino a R$ 16,50 em Alto Araguaia. A média mensal do preço da saca está em R$ 12,86, superior aos R$ 11,47 de setembro e R$ 10,37 de outubro do ano passado.

As cotações internas estão em sustentação pela alta do dólar frente ao real e a valorização dos contratos futuros do cereal negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) que elevaram a demanda do milho. Em Mato Grosso há ainda o fator do atraso do plantio da soja, devido à falta de chuvas, o que fará com que atrase também o plantio do milho 2ª safra e possa provocar redução da área destinada ao cereal.

Em seu boletim semanal do milho, divulgado no dia 20 de outubro, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), revelou que na semana passado "O preço do milho no mercado registrou alta de 6,86% na semana, acompanhando o comportamento da cotação corrente da CBOT e da BM&F, que aumentaram 3,29% e 8,29%, respectivamente. A alta de 2,83% na semana do contrato da CBOT, com vencimento em julho-15, manteve a tendência mensal. Em outubro este contrato já valorizou 7,8%".

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet