Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Agronegócio

Agricultores familiares têm aporte de R$ 266 milhões e crescimento de até 40%

Da Reportagem local - Jonas da Silva

23 Ago 2012 - 15:58

Foto: Reprodução / Fanpage MTcomVC

Agricultores familiares têm aporte de R$ 266 milhões e crescimento de até 40%
Agricultores familiares de Mato Grosso receberão aporte de R$ 266 milhões de recursos para sua atividade do Plano Safra 2012/2013 do setor. Os recursos são provenientes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O volume representa acréscimo de 40% em relação ao ciclo produtivo 2011/2012.

O secretário de Regularização Fundiária na Amazônia Legal do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA),Sérgio Lopes informa que o benefício tem forte impacto aos pequenos agricultores, porque o setor representa em Mato Grosso 12% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. Do total de R$ 266 milhões do Plano Safra, R$ 240 milhões são do Pronaf.

O governador Silval Barbosa assegurou que em parceria com Incra e ministérios do governo federal o governo tem avançado em um dos maiores problemas do Estado, que é regularização fundiária.

"Trazemos para Estado regularizar áreas próximas de 2 milhões de hectares de agricultura familiar. Não dá mais para admitir o homem do campo, agricultor, ele não compreende que ele tem que ficar 20 a 30 anos, esperando por alguém que faça sua regularização fundiária".

Uma das novidades, citao secretário Sérgio, é que "antes podia acessar crédito do Pronaf quem ganhava 110 mil reais por ano e agora são 160 mil, então são mais agricultores beneficiados". Ele anunciou ainda que o seguro da agricultura familiar passa de R$ 3,5 mil para R$ 7 mil. Ele concordou que o recurso é pouco, mas que "a presidente Dilma de que se for bem aplicado os recursos, haverá mais".

O secretário de Políticas Agrícolas da Federação dos Agricultores na Agricultura de Mato Grosso (Fetagri-MT) informa que desde 2008 a agricultura familiar é penalizada. "Mato Grosso tem 98 mil assentados, e entre eles nem 40% tem acesso ao crédito por falta de regularização, que é o grande desafio para nós este ano", diz.

O secretário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, Carlos Milhomem, informa que ao contrário da agricultura familiar, que atua concentrada em três ou quatro produtos, os pequenos agricultores trabalham com cerca de 30 produtos, como frutas e verduras.

Além de que, os agricultores familiares precisam de ter CPF em dia e título da terra. "Muitos agricultores assentados estão inadimplentes e não têm título da terra para pegar recurso", afirma. O secretário explica que dos cerca de 90 mil agricultores da reforma agrária, 90% não têm título. "Às vezes, não têm acesso a recurso por falta de assistência técnica e nem força para montar cooperativas", aponta.

Mato Grosso tem cerca de 140 mil propriedades rurais, entrre grande e pequena, destes, de acordo com dados de 2006 do IBGE, 86 mil são estabelecimento da agricultura familiar.

Na solenidade, cinco agricultores receberam título definitivo de domínio da área. Como Sebastião Epifânio Ferreira, que nasceu no Distrito da Guia, e planta lá milho, mandioca e frutas para subsistiência e comercialização em 15,7 hectares. O Sítio São Sebastião está 64 Km de Cuiabá.

Protesto

Trabalhadores e servidores em greve do Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra), aproveitaram a presença do secretário do MDA para pedir mais valorização dos funcionários. Em faixas que estenderam no auditório do Palácio Paiaguás, pode ser lido palavras de ordem. "Dilma, valorize o Incra ou feche de vez!".

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet