Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Notícias / Logística

Produtores recebem patrulha mecanizada após 34 anos de espera em Mato Grosso

De Sinop - Alexandre Alves

13 Jul 2015 - 11:26

Foto: Ilustração/Secom-MT

Associação de produtores da região Noroeste receberá patrulha mecanizada pela primeira vez após 34 anos

Associação de produtores da região Noroeste receberá patrulha mecanizada pela primeira vez após 34 anos

A Associação de Produtores Rurais do Rio Roosevelt (Aprovale) recebeu ajuda do governo do Estado, por meio de uma patrulha mecanizada, para manter em boas condições a MT-313, rodovia estadual que liga Aripuanã a Rondolândia (1050 e 1100 km a Noroeste de Cuiabá, respectivamente).

“Fomos atendidos pela primeira vez após mais de 34 anos de isolamento. Além da patrulha, vamos receber recursos para aprimoramento das estradas e assim auxiliar as prefeituras de Rondolândia e Aripuanã. Vejo como muito importante essa Parceria Público Privada”, comemorou o presidente da entidade, Eli Wagner.

Leia mais:
Pedágio e Patrulhas Comunitárias visam manutenção de rodovias em MT
Governador autoriza implantação de pedágios em 14 rodovias estaduais

Conforme a Secretaria de Comunicação do Estado (Secom/MT), o programa de Patrulhas Comunitárias é uma das iniciativas do Pró-Estradas para melhorar as rodovias estaduais. A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) fornece a patrulha para cada associação sem fins lucrativos, recursos para recuperação dos equipamentos, recurso mensal para gestão, óleo diesel e recursos para manutenção de pontes e bueiros. A associação se responsabilizará pela remuneração da mão de obra e recursos para manutenção rotineira das máquinas e o projeto de implantação.

Eli Wagner contou que a Aprovale nasceu de uma reunião de 14 pessoas em 1981, em Londrina (PR), e todos tinham terras na região. Entre os anos de 1981 e 1984 eles construíram com recursos próprios 400 km de estrada e depois mais 90 km já nos anos 90. A rodovia liga Aripuanã ao distrito de Conselvan, Vale do Rio Roosevelt e Rondolândia, algo em torno de 300 km de distância. Parte das rodovias da região foi aberta pela Aprovale, como a que liga Aripuanã a Ji-Paraná (RO) e Aripuanã a Espigão do Oeste (RO).

A entrega da patrulha atende um dos pleitos da população da região Noroeste, que pede mais investimentos nas rodovias estaduais. Além da MT-313, a população espera a pavimentação de 46 km da MT-208, que liga Aripuanã até o entroncamento com a BR-170, ligando Colniza a Castanheira em 260 km.

O secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte, disse que das oito cidades da região Noroeste, cinco não tem ligação asfáltica. “São quase 200 mil pessoas desassistidas. Conforme estudos do governo e do Imea, a região tem três milhões de hectares que poderiam produzir soja, algodão e milho, que poderia trazer incremento de R$ 8 bilhões na economia, contudo o potencial esta adormecido por falta de estradas para escoar”, comentou.

Ele disse ainda que os repasses dos recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) nos oito municípios da região alcançam R$ 3 milhões por mês para manutenção das rodovias estaduais e municipais, contudo, o valor não é suficiente e por isso serão enviadas mais duas patrulhas para a região.

“A partir do decreto assinado pelo governador, vamos iniciar a consulta pública para que as associações se habilitem para gerenciar essas patrulhas e receber os recursos de óleo diesel e financeiros para auxiliar as prefeituras. Os R$ 3 milhões do Fethab não são suficientes devido a carência da região”, informou o secretário.

Duarte explicou também que a pavimentação da MT-208 ficou fora do programa MT Integrado e, portanto, sem os recursos necessários para a realização da obra. O governador Pedro Taques fez o compromisso de defender a inclusão dos 46 km na audiência no BNDES, no dia 15 de julho, às 14h30, em Brasília (DF), mas o aval caberá à instituição.

Em relação a outro pleito da região, a pavimentação da BR-170, os recursos de quase R$ 700 milhões estão assegurados. No entanto, o estado vai ter que fazer outro estudo técnico avaliado em R$ 4 milhões, devido a falhas na licitação da obra realizada pela gestão passada. O estudo deve ser concluído até o final do ano e a nova licitação deve ocorrer em 2016.

Duarte também comentou que os cinco contratos da Sinfra com a empresa Pav Service para as obras de manutenção da MT-170, entre Juara e Mundo Novo, foram rompidos e a segunda colocada será convocada a iniciar imediatamente as obras.

A informação é da assessoria.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • thiago
    14 Jul 2015 às 08:01

    Tem uns aqui, que não sabem de nada mesmo, nunca colocaram o pé nas estradas, daí ficam criticando sem nenhum sentido. Erros editoriais não podem denegrir este trabalho que começou a ser realizado. Pasme-se, 34 anos.... Só querem criticar, nos governos anteriores, o que fizeram?? NADA. Isto, porque os anteriores eram pessoas ligadas ao campo!

  • edson
    13 Jul 2015 às 21:24

    Acho que através de comodato é possível mas tem que ter formalidade.

  • tito lampreia
    13 Jul 2015 às 15:56

    De inocente a corrupto é um pulo!!! Cuidado Governador!

  • Leandro
    13 Jul 2015 às 15:22

    Não entendi governo dando dinheiro para produtor sem licitação ? E para entidade para fazer estrada !! NÃO ENTENDI PODERIA ME EXPLICAR MELHOR ESSE PROCEDIMENTO, ISSO PODE ? É LEGAL ?

  • Urbano
    13 Jul 2015 às 14:50

    MATO GROSSO SENTO ADMINISTRADO POR PESSOAS DE CARTER, SÉRIAS E O RESULTADO É SATISFATÓRIO PARA TODOS NÓS QUE AQUI RESIDIMOS E PARA TODOS QUE TRABALHAM NESSE ESTADO PARA SUSTENTAR AS SUAS FAMÍLIAS..PARABENS GOVERNADOR..PARABENS...

Sitevip Internet