Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Notícias / Emprego

Passam de 500 as demissões na GM, contabiliza sindicato

MSN

13 Ago 2015 - 12:20

O número tem como base trabalhadores demitidos que procuraram o sindicato, uma vez que a empresa se nega a informar dados oficiais. Os trabalhadores começaram a receber telegramas de dispensa no sábado.

"O número de cortes já chega a quase 10% da planta e pode aumentar ainda mais, o que é inaceitável diante de todos os incentivos fiscais recebidos pela montadora. Por isso, cobramos a intervenção dos governos municipal, estadual e federal, no sentido de garantir os empregos", disse, em nota, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antônio Ferreira de Barros.

Antes dos cortes, a montadora empregava 5,2 funcionários na unidade que produz os modelos S10 e TrailBlazer. A produção está suspensa desde segunda-feira, 10, quando foi decretada greve contra as demissões.

A GM informou, na quarta-feira, 12, que obteve na Justiça do Trabalho medida liminar determinando ao sindicato "que se abstenha de bloquear vias, bolsões e acessos, permitindo a entrada e a saída de pessoas e veículos". Determina também que os sindicalistas "se abstenham de invadir a unidade fabril e de praticar atos de violência contra pessoas e o patrimônio da empresa", garantindo assim o livre acesso às dependências do complexo.

Segundo o sindicato, a GM condiciona a negociação ao fim da greve, enquanto a entidade defende que a volta ao trabalho ocorra após a suspensão das demissões. Na sexta-feira, 14, o sindicato realizará manifestação na cidade. Recentemente, a GM também cortou 500 vagas na fábrica de São Caetano do Sul (SP).

Greve na Volks

Em Taubaté (SP), funcionários da Volkswagen aprovaram ontem, em assembleia, estado de greve. Eles temem demissões após a recusa dos trabalhadores à proposta da empresa de congelamento de salários e antecipação de aposentadorias. Hoje e amanhã, os cerca de 5 mil trabalhadores da unidade que produz os modelos up!, Voyage e Gol estão de folga, também para adequar a produção à demanda.

Na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), a Volks estuda parar a produção dos modelos Gol e Parati na próxima semana, aproveitando o feriado de aniversário da cidade, no dia 20.

Férias

A Fiat dará, pela quarta vez no ano, férias coletivas para funcionários da fábrica de Betim (MG), por 20 dias. Dessa vez, a medida envolve 3 mil dos cerca de 19 mil trabalhadores da unidade. O objetivo também é adequar a produção à demanda. As férias terão início no dia 24.

"A queda no comércio de automóveis reflete nos funcionários da empresa. Diante disso, as férias coletivas são muito melhores do que as demissões", disse o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Paulo Miguel Antunes. Nas férias anteriores, em julho, quase a totalidade dos funcionários ficaram em casa por dez dias. Os recessos foram em março e maio, para 2 mil trabalhadores cada.

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de janeiro a julho as vendas caíram 21% ante 2014. Nesse período foram demitidos 8,8 mil trabalhadores. Colaborou Leonardo Augusto. Com informações do Estadão Conteúdo.
Sitevip Internet