Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Notícias / Indústria

Votorantim chega a substituir até 65% de combustíveis fósseis por biomassa para gerar energia; veja fotos

Da Redação - Viviane Petroli

23 Out 2015 - 09:20

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Votorantim chega a substituir até 65% de combustíveis fósseis por biomassa para gerar energia; veja fotos
A substituição de combustíveis fósseis (petróleo) por biomassa para geração de energia chega a até 65% nas unidades fabris da Votoratim Cimentos em Mato Grosso. Recentemente a multinacional investiu R$ 12 milhões no projeto de coprocessamento na fábrica de Cuiabá, localizada nos distritos de Aguaçu e Nossa Senhora da Guia.

Materiais que seriam descartados, como pneus, palha de arroz, resíduos industriais e serragem hoje são utilizados para a transformação de energia nas unidades de Cuiabá e Nobres.

Leia mais:
Acrimat será representante do Brasil na Aliança Mundial da Carne

Segundo a Votorantim Cimentos, na fábrica de Nobres substituiu-se 50% de combustíveis fósseis por biomassa, chegando já a picos de 65% de substituição, evitando a emissão de mais de 253.000 toneladas de gases de efeito estufa. Em Cuiabá chega a 35% o percentual de substituição.


 Pneus são utilizados para a geração de energia. (Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar)

Em 2015, até setembro, conforme o consultor de coprocessamento da Votorantim Cimentos, Edson Rodriguez, registrou-se um aproveitamento energético de 240 mil pneus em Mato Grosso.

"As fábricas de Cuiabá e Nobres são flex, então podemos utilizar vários combustíveis para transformar em energia. Nosso próximo passo é aprimorar o gerenciamento e a destinação de outros resíduos sólidos, como é o caso do lixo urbano, o que pode colocar Cuiabá entre as cidades brasileiras com melhores políticas de manejo de resíduos”, destacou Rodriguez durante visita realizada nesta quinta-feira, 22 de outubro na unidade fabril de Cuiabá.

A Votorantim revela ter obtido junto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) licenciamento ambiental para a realização do coprocessamento na unidade de Cuiabá.

O combustível (fóssil e biomassa), explica a indústria, é utilizado para alimentar o forno que transforma o calcário e a argila em clínquer, matéria-prima utilizada para fazer o cimento.


 Clínquer. (Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar) 

O gerente da indústria em Cuiabá, Murrib Moussa, explica que a substituição de combustíveis fósseis por outros resíduos auxilia na redução do passivo ambiental de Cuiabá, diminuindo assim a quantidade de resíduos sólidos destinados para o aterro sanitário.

A Votorantim Cimentos em Cuiabá foi inaugurada em 2013. No local foram investidos R$ 500 milhões. A fábrica em Cuiabá tem capacidade para produzir 1,2 milhão de toneladas de cimento no ano. Já a de Nobres possui capacidade para produção de 1,3 milhão de toneladas.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet