Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Notícias / Indústria

Mato Grosso deve elevar para 6 mi ha área de manejo florestal sustentável nos próximos anos

Da Redação - Viviane Petroli

04 Abr 2016 - 11:29

Foto: Assessoria Cipem

Mato Grosso deve elevar para 6 mi ha área de manejo florestal sustentável nos próximos anos
Mato Grosso deve saltar de 2,8 milhões de hectares para 6 milhões a área de manejo florestal sustentável nos próximos anos. Na última semana o Governo de Mato Grosso propôs para o setor de base florestal parceria que visa alavancar e agregar valor aos produtos de floresta nativa, visando o beneficiamento da madeira no Estado.

A ampliação da área de manejo florestal sustentável faz parte do plano de ação para o cumprimento das metas assumidas pelo governador Pedro Taques durante a COP21.

Leia mais:
Madeira curta de Mato Grosso pode ganhar mercado interno e externo

O assunto foi debatido durante reunião entre o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), sindicatos da indústria madeireira e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

Na ocasião o secretário-adjunto de Agricultura da Sedec, Alexandre Possebon, destacou a necessidade da realização de ações integradas entre o Governo de Mato Grosso e o Cipem, com o intuito de aumentar a produtividade florestal com a base sustentável.

Possebon propôs na reunião uma parceria com o setor da base florestal "para que juntos possamos encontrar uma forma de alavancar e agregar valor aos produtos de floresta nativa, assim, ao invés de exportamos madeira bruta, como tem acontecido, iremos agregar valor e beneficiá-la aqui no Estado agregando maior valor à base industrial".

O presidente do Cipem, José Eduardo Pinto, destacou que a entidade está à disposição e lembrou que a proposta de parceria com o setor já aconteceu em outros governos, entretanto, na prática nunca ocorreu.

“Estamos há muito tempo buscando condições para trabalhar, todas essas propostas são anseios antigos do nosso setor, o problema é que quando troca o governo, temos que voltar a estaca zero. O que podemos afirmar é que estamos à disposição para trabalhar em conjunto e cumprir as metas da COP21, mas precisamos de uma política que não mude quando ocorrer a troca de mandatos. No governo Pedro Taques, estamos encontrando apoio, mas temos que garantir a continuidade de todos esses projetos também para os próximos governos”, salientou na reunião o presidente do Cipem.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • servidor publico
    04 Abr 2016 às 18:58

    se fala em tanta coisa, mas, e o material humano para colocar isso em prática? não se cogita discutir a falta de estrutura física, de equipamentos e de logística da sema, das péssimas condições de trabalho dos técnicos da sema, além dos salários destes hiper defasados. fala-se só em aumentar a produção, produtividade, quantidade de áreas ampliadas de planos de manejo florestal, repararam isso???e ainda tem que avaliar a gestão pública que remunera promotor de justiça com aproximadamente 100 mil reais por mês e no mesmo governo existem técnicos com pós graduação, mestrado ou doutorado ganhando menos de 10 mil, muito contradição e desigualdade, absurdo.

Sitevip Internet