Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Agronegócio

Cargill desativa unidade de processamento de soja em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

17 Ago 2016 - 14:22

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Cargill desativa unidade de processamento de soja em Mato Grosso
A Cargill desativou o processamento de grãos de soja em Primavera do Leste. A empresa é uma das maiores exportadoras e esmagadoras da commoditie no Brasil. A interrupção seria em meio à escassez interna do grão e margens de lucro menores.

A informação é da Bloomberg e do O Globo. Além da unidade em Mato Grosso, também teria sido desativada a unidade de Três Lagoas no Mato Grosso do Sul.

Leia mais:
Exportações em Mato Grosso devem subir 8,9% em 2017; previsão para o PIB é de 2%

A Cargill está sediada em Minneapolis, nos Estados Unidos, e conta com seis fábricas no Brasil, onde a soja é utilizada para a produção de óleos vegetais e ração para animais.

A reportagem do Agro Olhar entrou em contato com a Cargill e foi informada, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá comentar o assunto.

O Brasil detém a segunda maior produção mundial de soja. Nesta safra 2015/2016 foram produzidas 95,4 milhões de toneladas, 0,8% a menos que as 96,2 milhões do ciclo passado, de acordo com a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab). Os Estados Unidos é líder em produção de soja com uma safra estimada em 106 milhões de toneladas.

Mato Grosso é responsável por 26,03 milhões de toneladas do volume nacional, conforme a Conab. A produção mato-grossense é 7,1% menor que as 28 milhões de toneladas da safra 2014/2015.

Em julho, Mato Grosso esmagou 745,3 mil toneladas de soja, segundo boletim da soja do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). O volume é inferior as 828,6 mil toneladas do mês anterior e as 807,4 mil toneladas em 2015.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sebastiana
    28 Out 2017 às 19:14

    Gostaria de saber ser estão contratando tenho uma amiga que é formada em alimentos.

  • Manioel
    19 Ago 2016 às 11:16

    Taí. Para os que são defensores da Não taxação do das exportações de commódities do Agrónegócio. A cada Ano nossa exportação de produtos primários cresce em detrimento do decréscimo de exportações de produtos semi-elaborados e manufaturados. Ta passando da hora sim de começar a taxar a exportação de produtos primários. desta forma como esta seremos sempre uma fazendona, uma colônia. temos que incentivar a industrialização e agregação de valor ao nosso produto. Com a atual política e evidente que mais fabricas fecharão

  • Gilberto
    19 Ago 2016 às 08:11

    Para que uma empresa com o tamanho da CARGILL, e do investimento feito nessas unidades simplesmente paralisar suas atividades, deve ter algum elefante debaixo dessa tenda! os caras não dão ponto sem nó! Aguardemos.

  • DAUTRO BELADELLI
    18 Ago 2016 às 18:31

    NORMAL ISSSO EM UM PROCESSSO DE NEOLIBERALIZAÇÃO ECONOMICA.FATOR DETERMINAMTE NO PROCESSO EMPRESÁRIAL EM EMPRESAS MULTINACIONAIS,ISSSO NADA MAIS É QUE REFORMULAÇÃO,COM CERTEZA OUTROS GRUPOS IRÃO SE INTERRESSAR POR ESSAS FÁBRRICAS,POR ESAREM LOCALIZADAS EM PÓLOS PRODUTIVOS E INTERESSANTES..

  • Gainor.
    18 Ago 2016 às 10:36

    Falta de visao. A soja esta no medio norte e nortao.

  • Sidnei Troschinski
    18 Ago 2016 às 10:15

    Bom dia. Essa empresa não será a ultima a fechar algumas de suas unidades no Brasil. O que deveria ser feito é limitar o volume de exportações, por exemplo de grãos, carnes e outros produtos que estão caros internamente, pois, para o governo somente interessa os índices do PIB e impostos, primeiro devemos alimentar nosso população, o que sobrar poderá ser exportado. Da forma atual, somente geramos mais riquezas para outras nações, enquanto a nossa fica a cada dia mais miserável.

  • rogerio greiqeu machado
    18 Ago 2016 às 10:01

    Bom dia a todos cada dia Mato Grosso vai perdemdo o potêncial que tem e o nosso governo gastando milhões em propaganda na midia a melhor midia e a boca a boca e só fazer um bom trabalho que a população irá falar , Senhores não precisar ser formado em Economia para dizer que a nossa politica fiscal esta errado colocando todos os empresarios para correr do estado

  • ABDELKADER CHAIB
    18 Ago 2016 às 09:47

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Jim Carrey
    18 Ago 2016 às 09:36

    Tive uma ideia mirabolante!!! Ao invés de diminuir os custos do governo, vamos tributar mais ainda, claro que isso só pode ser uma coisa boa, pois com menos receitas e custos mais elevados os empresários terão a produção inviabilizada e fecharam suas portas. Opa, perai, deu errado essa análise!

  • Jean
    18 Ago 2016 às 09:15

    E isso que maggi grosso quer. exportar materia- prima bruta, menos emprego menos investimento e mais lucro , isso vem desde a colonizacao .o brasi nunca vai aprender a processar a materia prima gerando emprego e renda para o brasil.

Sitevip Internet