Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Notícias / Indústria

Blairo atestará frigoríficos que estão fora de investigação; ofício é garantia a importadores

Da Redação - Viviane Petroli

28 Mar 2017 - 08:07

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Blairo atestará frigoríficos que estão fora de investigação; ofício é garantia a importadores
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) irá emitir ofícios para frigoríficos que não são citados nas investigações da Polícia Federal atestando que não possuem qualquer relação com o caso. O intuito é que o documento seja encaminhado aos importadores visando "segurar" os mercados internacionais das carnes brasileiras.

Leia mais:
China e Egito reabrem a importação da carne brasileira; EUA decide não embargar a entrada do produto no País
 
Levantamento semanal das exportações brasileiras, divulgado nesta segunda-feira, 27 de março, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), aponta que a média diária de exportações de carnes da quarta semana de março (cinco dias úteis) foi de US$ 50,5 milhões, o montante é 19% menor em relação à média diária registrada até a terceira semana de março, antes da Operação Carne Fraca estourar, que havia sido de US$ 62,2 milhões.
 
O ofício será emitido pelo Ministério quando solicitado pelos frigoríficos que não fazem parte da lista dos 21 investigações.
 
O compromisso de emitir os documentos foi assumido pelo ministro Blairo Maggi durante reunião do Conselho de Agroindústria (Coagro) da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília (DF), na segunda-feira, 27, após empresários da agroindústria destacarem dificuldades para exportar carnes e derivados, pois há importadores exigindo essa garantia de qualidade dos produtos. Os documentos foram solicitados pelos empresários.
 
De acordo com Blairo Maggi, este é o momento de "segurar" os mercados internacionais das carnes brasileiras. Durante a reunião dos empresários de agroindústrias, o ministro da Agricultura observou que o órgão federal vinha desenvolvendo uma estratégia para elevar de 7% para 10% a participação do Brasil no comércio agrícola global. Porém, segundo Maggi, a estratégia hoje é trabalhar para não perder espaço no comércio internacional de carnes.
 
Ainda de acordo com Maggi, quando passar a fase provocada pela investigação da Polícia Federal o Ministério da Agricultura partirá para o exterior com o intuito de promover missões aos países compradores, juntamente com empresas e associações do setor. “O fato de conseguirmos manter o mercado aberto, não significa que teremos o mesmo volume de vendas".

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joaoderondonopolis
    28 Mar 2017 às 10:32

    Parabéns Polícia Federal pelo que que fez pela saúde da sociedade.

Sitevip Internet