Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Agronegócio

Técnicos do Mapa devem seguir aos EUA dia 05 para negociar retomada de venda de carne bovina

Da Redação - Viviane Petroli

01 Jul 2017 - 08:13

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Técnicos do Mapa devem seguir aos EUA dia 05 para negociar retomada de venda de carne bovina
Técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) devem seguir para os Estados Unidos no próximo dia 05 de julho para negociar a retomada da venda de carne bovina in natura. O país norte-americano embargou no dia 22 de junho 13 plantas frigoríficas brasileira, sendo duas em Mato Grosso, após a constatação de abcessos, provocados pela vacina contra a aftosa, na carne fresca enviada.

Leia mais:
Processo para reverter embargo dos EUA deve demorar pelo menos 30 dias, diz Ministério da Agricultura
 
De acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), somente após o retorno da equipe técnica da pasta dos Estados Unidos é que o ministro Blairo Maggi seguirá para o país norte-americano para tratar sobre o assunto pessoalmente com o secretário de Agricultura do governo Trump, Sonny Perdue.
 
O anuncio dos Estados Unidos de suspender 100% (13 plantas) as importações de carne fresca do Brasil foi feito no dia 22 de junho, pelo secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue.
 
Em comunicado, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que está testando 100% da carne Brasileira que entra no país. O documento informa ainda que nesses testes, 11% dos produtos de carne brasileira importados foram rejeitados. "Esse resultado está substancialmente acima do que a taxa de rejeição de 1% das entregas vinda do resto do mundo", diz o USDA.
 
Nesta semana o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luiz Eduardo Rangel, destacou que uma carta com respostas aos questionamentos dos Estados Unidos está sendo elaborada. Ainda de acordo com Rangel, o processo para reverter à decisão dos Estados Unidos quanto à suspensão da compra da carne bovina in natura (fresca) brasileira deve demorar pelo menos um mês.
 
Das 13 plantas suspensas duas estão localizadas em Mato Grosso: JBS (Barra do Garças) e Marfrig (Paranatinga).
 
Durante entrevista coletiva no dia 23 de junho, o secretário-executivo do Mapa, Eumar Novacki, afirmou que plantas frigoríficas que exportam para os Estados Unidos serão auditadas, com o objetivo de dar respostas ao governo e a importadores daquele país e restabelecer as negociações no setor. Novacki afirmou, ainda, que todos os cortes dianteiros de bovinos serão fatiados antes do embarque para evitar problemas como os que foram alegados pelos norte-americanos para determinar a suspensão da compra da carne brasileira.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet