Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 17 de julho de 2019

Notícias / Pecuária

Nova modalidade de julgamento tem recorde quebrado por Nelore em Cuiabá

Da Redação - André Garcia Santana

19 Jul 2017 - 10:07

Foto: Da Assessoria

Nova modalidade de julgamento tem recorde quebrado por Nelore em Cuiabá
Em sua primeira edição em Mato Grosso, a modalidade Julgamento a Campo foi um dos grandes destaques da Nelore durante a 53ª Exposição Agropecuária (Expoagro) de Cuiabá. O método de avaliação, focado em animais geneticamente superiores, mas em condições de criação a pasto, quebrou o recorde brasileiro de participantes com 70 bovinos. 

Leia mais:
Melhorado geneticamente, gado em exposição custa 15 vezes mais que comum; novilhas passam de R$ 200 mil

De acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Nelore de Mato Grosso (ACNMT), Mário Roberto Candia de Figueiredo, identificar e premiar estes animais são formas de valorizar a pecuária extensiva, que predomina no país com cerca de 90% do rebanho criado a campo.  Além disso, reconhecer esta forma econômica, mais próxima da realidade dos criadores, pode agregar valor futuro na comercialização dos bovinos.

"Esta é uma oportunidade de os criadores compararem suas seleções com a de outros e também somar ao seu plantel alguns títulos que poderão agregar valor futuro. Isto, tendo em vista que o Julgamento a Campo em si é um sistema econômico, em que o animal permanece no local por um ou dois dias e o criador só gasta com o frete. Quebramos o recorde de Uberaba [MG], que era de 23 animais. Todos os criadores que passaram pelo Tatersal já prometeram que no ano que vem também vão aderir", destacou. 

O presidente do Sindicato Rural de Cuiabá (SRC), Jorge Pires de Miranda, enfatizou que o Julgamento a Campo faz parte de um processo em prol da troca de experiências no setor, bem como tem como objetivo revelar o empenho e habilidade empregados por estes criadores na pecuária mato-grossense. 

"Temos feito uma gestão com os pecuaristas para que a gente possa trazer esses animais a campo para julgamento. Queremos ampliar e melhorar essa modalidade com o tempo. Inclusive, fazer deste um evento que melhore o relacionamento entre os pecuaristas. Uma forma de convívio social e que também envolva a busca constante pelo melhoramento genético. Isto, sem esquecer-se dos Julgamentos de Pista", ponderou. 

JULGAMENTO A CAMPO 

Iniciativa da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) junto com a Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), a modalidade é destinada aos bovinos Nelore e Nelore Mocho. Conforme explicou o diretor-técnico da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e consultor da ACNMT, Francisco de Sales Manzi, ela consiste em uma ferramenta de avaliação visual para constatar a qualidade e o potencial da raça criada a campo. 

"No Julgamento de Pista, os animais eram criados em condições absolutamente perfeitas – numa espécie de laboratório para ver o potencial da raça. Enquanto que no Julgamento de Campo, eles foram tratados de forma que reflita muito mais o sistema de criação moderno brasileiro. Ali, o juiz avalia visualmente as condições desejadas. Entre eles, aspectos como carcaça [conformação e musculatura], funcionalidade [aprumo, umbigo, precocidade sexual e sexualidade] e características raciais", esclareceu.  

O campeonato apresenta categorias como bezerro/bezerra (7 a 11 meses), soberano macho/fêmea (11 a 16 meses), garrote/novilha (16 a 24 meses), touro/fêmea jovem (24 a 30 meses), touro sênior/fêmea adulta (30 a 36 meses) e progênia de pai (7 a 36 meses).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet